Rio Piracicaba

Rio Piracicaba
Rio Piracicaba cheio (foto Ivana Negri)

Patrimônio da cidade, a Sapucaia florida (foto Ivana Negri)

Balão atravessando a ponte estaiada (foto Ivana Negri)

Diretoria 2022/2025

Presidente: Vitor Pires Vencovsky Vice-presidente: Carmen Maria da Silva Fernandes Pilotto Diretora de Acervo: Raquel Delvaje 1a secretária: Ivana Maria França de Negri 2a secretária: Valdiza Maria Capranico 1o tesoureiro: Edson Rontani Júnior 2o tesoureiro: Alexandre Sarkis Neder Conselho fiscal: Waldemar Romano Cássio Camilo Almeida de Negri Aracy Duarte Ferrari Responsável pela edição da Revista:Ivana Maria França de Negri

Seguidores

sexta-feira, 31 de maio de 2024

Assim sêsse como tu has de for

 Walter Naime                  

Se você não entendeu o título não se preocupe. “Assim sêsse como tu hás de for”, ou melhor dizendo “Assim fosse como tu hás de ser”, não é um trocadilho, mas uma simples troca dos finais das palavras com inversão das iniciais. O cérebro que interprete como quiser.

Se a leitura tem um significado importante para você, para mim é motivo para continuar escrevendo.

Os conceitos, coisas e pensamentos são expressos por sons falados, escritos ou por gestos que representam palavras, que juntadas e pontuadas dão sentido e significado à comunicação.

Sendo assim, a mente humana é a hospedeira da linguagem e por conseguinte a casa do ser.

A palavra é o instrumento da nossa comunicação. Esse é o milagre da linguagem.

Chacrinha, de quem você deve se lembrar, dizia que “Quem não se comunica se estrumbica”. Ele estava certo. O homem sem a capacidade da comunicação fica perdido, fechado em si mesmo. Exemplo simbólico do que estamos dizendo é o episódio bíblico da Torre de Babel, quando o desentendimento e a confusão se instalou entre os homens e as nações por que de súbito todos passaram a falar em idiomas diferentes e ninguém mais se entendeu. Foi a forma irônica que Deus encontrou para punir os homens pela ambição de querer subir aos céus e conhecer a morada do próprio Deus. Isso me faz pensar na semelhança entre os desígnios de Deus e o nosso bom e velho Chacrinha, que dizia afirmativamente: “Não vim para explicar, mas para confundir”.

Hoje certos cultos religiosos incentivam seus adeptos a “falar em línguas” porque as palavras normais não atendem a necessidade de expressão do “espírito santo“ e outras entidades sobrenaturais. Dizer que “Deus escreve certo por linhas tortas” não deixa também de ser uma tentativa de elevar a linguagem coloquial a um nível filosófico e religioso.

Atualmente, devido ao tamanho das palavras e frases tornou-se necessário abreviá-las para que não tomassem grande espaço. Passaram a ser representadas por abreviações ou siglas: USA (United States of America), GPS (Global Positioning System), PSDB (Partido Social Democrático do Brasil), ONU (Organizações das Nações Unidas), CQD (como queríamos demonstrar) e assim por diante.

Já na linguagem digital, temos vg, simbolizando a vírgula, pt, simbolizando o ponto, vc simbolizando você.

A linguagem dos mudos é feita por meio de gestos dos membros e da face. A comunicação dos cegos se dá pelo toque dos dedos em a uma forma particular de escrita em relevo; o “Braile”.

Temos ainda a linguagem literária, poética, cientifica e outras.

No amontoado dessas formas de linguagem está o ser humano tentando se comunicar. O que seria a vida social sem a possibilidade da comunicação? Provavelmente o número de brigas e desentendimentos seriam insuportáveis e não seria viver em paz e harmonia.

Por isso, vamos usar a cabeça não apenas para colocar chapéu, mas também para progredir no entendimento.

Pela maneira como andam as coisas no mundo de hoje está mais fácil se comunicar com divindades do que com o nosso próximo. Estamos como no tempo da Torre de babel: não está dando para entender mais nada. Assim fosse como tu hás de ser.

terça-feira, 28 de maio de 2024

Nossa Senhora de Fátima

 



Aracy Duarte Ferrari

 

Dia 13 de maio de 1.917

Aparece na Cova da Íria

Em Portugal, nação cristã

Encantando e abençoando.

 

Aos três pastorinhos

Lúcia, Jacinta e Francisco

Que estavam juntinhos

Pastoreando as ovelhas.

 

Abençoados, sentiram a forte luz

Olharam para o céu

Viram a imagem que reluz.

terça-feira, 14 de maio de 2024

Da obsolescência das palavras, da poesia e da Arte





(foto Ivana Negri)

                                                 Carmen Pilotto

Olhando pela minha janela de trabalho observo as folhas douradas caindo com o vento do outono, cheias das lembranças das estações anteriores, que nos contam sobre vivências pelas quais suas texturas foram tomando forma e se converteram em lindos recortes de seiva que alimentaram as árvores e exalaram oxigênio para dar suporte ao o planeta... Mesmo após a queda, passam a ser os húmus da terra e com o tempo, após séculos, se transformarão em âmbar contando a história de uma região.

Quando chego ao trabalho, tomo contanto com um cenário lindo e agradeço a Deus pela oportunidade ímpar de poder captar lindas formas vegetais, aromas, pássaros no entorno e amplitude de céu azul.  Faço minha oração e inicio minhas tarefas.

Hoje foi especialmente um dia triste, lendo a notícia publicada por nossa amiga Sabrina Scarpare sobre a poetry.camera/, traduzindo a Câmera de Poesia. Trata-se de um equipamento que em vez de tirar fotos irá fazer um poema descrevendo sensações das imagens capturadas! Usará metáforas, registrando belas imagens, descrevendo com técnicas perfeitas tudo o que consideramos belo.

Meu questionamento é de quando poderemos perceber se quem escreveu foi uma máquina ou um ser humano? Imagens serão detalhadamente registradas com um desempenho além da capacidade das palavras de nosso âmbito. Assim, a ARTE está muito comprometida: quadros, fotos, textos, esculturas, partituras e tudo que a genialidade humana produz será replicada de forma mecânica e com perfeição.

Os humanos e suas emoções são realmente algoritmos de uma raça em extinção.

sexta-feira, 10 de maio de 2024

Arte para a FLIPIRA 2024


 Estamos selecionando  o LOGO da 5ª FlLIPIRA até dia 30/05/2024 e quem desejar participar do desenvolvimento da arte, favor enviar através dos  e-mails: 

raqueldelvaje@yahoo.com.br 

ou ivanamfn@yahoo.com.br, 

Pode participar qualquer pessoa maior de 18 anos.

Informações que a arte deve conter: FLIPIRA – FESTA LITERÁRIA DE PIRACICABA.  LOCAL: ENGENHO CENTRAL. DATA  25, 26 e 27 de OUTUBRO de 2024.

 O LOGO estará em todas as divulgações nas mídias, banners e folders da Festa.

Comissão Organizadora da 5a edição da Flipira/2024

segunda-feira, 6 de maio de 2024

A Natureza é Bela



Feitas em parceria com minha querida “mamma” Amélia

Leda Coletti

 

Natureza mãe e amiga

nem sempre tão respeitada,

mesmo assim não inimiga

dos que a fazem maltratada.

 

Nunca a água desse rio

vai para o mesmo lugar,

mas lenta ou em rodopio

ajuda a formar o mar.

 

Botões, rosas amarelas

parecem raios de sol,

verdadeiras sentinelas

brilham mais do que um farol.

 

Sabiá sempre gorjeando

quis cantar lá na matriz,

não viu o gato esperando

escapou, foi por um triz.

 

Água, terra, ar e sol

são forças da natureza,

trazem a cada arrebol

esperança, só beleza.

quarta-feira, 1 de maio de 2024

Mulher Intensa



Bianca Rosenthal

 

Ela tem ímpeto, um raio de sol vívido e intenso.

Como Virginia Woolf em seu senso,

Irradia vigor e esplendor,

Sensibilidade, força e fervor.

 

Não se curva aos padrões, não se conforma,

Não aceita que definam a forma

De como ela deva viver.

Está pronta a ajudar e quer aprender.

 

Ajusta os seus erros, proclama a sua voz.

Luta por direitos e quando precisa é feroz.

Desafia a opressão da sociedade

E sabe da importância de promover a humanidade.

 

A intensidade lhe traduz,

Mas é generosa, alma de luz.

Através de seus escritos,

Compartilha o sonho de um mundo mais justo e bonito

Galeria Acadêmica

1-Alexandre Sarkis Neder - Cadeira n° 13 - Patrono: Dario Brasil
2- Maria Madalena t Tricanico de Carvalho Silveira- Cadeira n° 14 - Patrono: Branca Motta de Toledo Sachs
3-Antonio Carlos Fusatto - Cadeira n° 6 - Patrono: Nélio Ferraz de Arruda
4-Marcelo Batuíra da Cunha Losso Pedroso - Cadeira n° 15 - Patrono: Archimedes Dutra
5-Aracy Duarte Ferrari - Cadeira n° 16 - Patrono: José Mathias Bragion
6-Armando Alexandre dos Santos- Cadeira n° 10 - Patrono: Brasílio Machado
7-Barjas Negri - Cadeira no 5 - Patrono: Leandro Guerrini
8-Christina Aparecida Negro Silva - Cadeira n° 17 - Patrono: Virgínia Prata Gregolin
9-Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto - Cadeira n° 19 - Patrono: Ubirajara Malagueta Lara
10-Cássio Camilo Almeida de Negri - Cadeira n° 20 - Patrono: Benedito Evangelista da Costa
11- Antonio Filogênio de Paula Junior-Cadeira n° 12 - Patrono: Ricardo Ferraz de Arruda Pinto
12-Edson Rontani Júnior - Cadeira n° 18 - Patrono: Madalena Salatti de Almeida
13-Elda Nympha Cobra Silveira - Cadeira n° 21 - Patrono: José Ferraz de Almeida Junior
14-Bianca Teresa de Oliveira Rosenthal - cadeira no 31 - Patrono Victorio Angelo Cobra
15-Evaldo Vicente - Cadeira n° 23 - Patrono: Leo Vaz
16-Lídia Varela Sendin - Cadeira n° 8 - Patrono: Fortunato Losso Netto
17-Shirley Brunelli Crestana- Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior
18-Gregorio Marchiori Netto - Cadeira n° 28 - Patrono: Delfim Ferreira da Rocha Neto
19-Carmelina de Toledo Piza - Cadeira n° 29 - Patrono: Laudelina Cotrim de Castro
20-Ivana Maria França de Negri - Cadeira n° 33 - Patrono: Fernando Ferraz de Arruda
21-Jamil Nassif Abib (Mons.) - Cadeira n° 1 - Patrono: João Chiarini
22-João Baptista de Souza Negreiros Athayde - Cadeira n° 34 - Patrono: Adriano Nogueira
23-João Umberto Nassif - Cadeira n° 35 - Patrono: Prudente José de Moraes Barros
24-Leda Coletti - Cadeira n° 36 - Patrono: Olívia Bianco
25-Maria de Lourdes Piedade Sodero Martins - cadeira no 26 Patrono Nelson Camponês do Brasil
26-Maria Helena Vieira Aguiar Corazza - Cadeira n° 3 - Patrono: Luiz de Queiroz
27-Marisa Amábile Fillet Bueloni - cadeira no32 - Patrono Thales castanho de Andrade
28-Marly Therezinha Germano Perecin - Cadeira n° 2 - Patrona: Jaçanã Althair Pereira Guerrini
29-Mônica Aguiar Corazza Stefani - Cadeira n° 9 - Patrono: José Maria de Carvalho Ferreira
30-Myria Machado Botelho - Cadeira n° 24 - Patrono: Maria Cecília Machado Bonachela
31-Newman Ribeiro Simões - cadeira no 38 - Patrono Elias de Mello Ayres
32-Angela Maria Furlan – Cadeira n° 25 – Patrono: Francisco Lagreca
33-Paulo Celso Bassetti - Cadeira n° 39 - Patrono: José Luiz Guidotti
34-Raquel Delvaje - Cadeira no 40 - Patrono Barão de Rezende
35- Elisabete Jurema Bortolin - Cadeira n° 7 - Patrono: Helly de Campos Melges
36-Sílvia Regina de OLiveira - Cadeira no 22 - Patrono Erotides de Campos
37-Valdiza Maria Capranico - Cadeira no 4 - Patrono Haldumont Nobre Ferraz
38-Vitor Pires Vencovsky - Cadeira no 30 - Patrono Jorge Anéfalos
39-Waldemar Romano - Cadeira n° 11 - Patrono: Benedito de Andrade
40-Walter Naime - Cadeira no 37 - Patrono Sebastião Ferraz