Rio Piracicaba

Rio Piracicaba
Rio Piracicaba cheio (crédito da foto Ivana Negri)

Diretoria

Diretoria da Academia Piracicabana de Letras

Presidente– Gustavo Jacques Alvim
Vice-Presidente– Cassio Camilo Almeida de Negri
Primeiro Secretário – Carmen Maria da Silva Fernandes Pilotto
Segundo Secretário – Evaldo Vicente
Primeiro Tesoureiro – Antônio Carlos Fusatto
Segundo Tesoureiro – Waldemar Romano
Bibliotecária – Aracy Duarte Ferrari

Conselho Fiscal

Walter Naime
Cezário de Campos Ferrari

Editor e Jornalista Responsável
João Umberto Nassif

Conselho editorial

Antonio Carlos Neder
Ivana Maria França de Negri
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto
Myria Machado Botelho


Seguidores

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Memórias da Educação e Literatura - Leda Coletti

   Com este tema, a professora, documentarista e poetisa Leda Coletti realizou no sábado 2 de setembro, no Recanto dos Livros do Lar dos Velhinhos, sua participação na série “Retrospectiva”, que tem como objetivo difundir e prestigiar os autores piracicabanos.

                Ela contou das suas experiências no campo educacional como professora, cuja trajetória iniciou-se em escolas da zona rural de cidades paulistas e culminou com cargos de direção em escolas públicas de Piracicaba. Falou da metodologia que desenvolveu com os alunos e do carinho que guarda deste tipo de atividade ainda hoje.
                Apresentou sua produção literária, feita de livros com poemas e de uma bem cuidada biografia dos Dal Picolo, imigrantes italianos de Veneto e Treviso que vieram ao Brasil no século XIX, constituíram família, implantaram negócios e possibilitaram a construção de um dos mais importantes registros históricos sobre a imigração italiana no país.
                
  A convidada tem participado com suas ideias e dinamizado várias organizações do campo literário e artístico da cidade, inovando com ações como a distribuição de poemas em espaços públicos, leituras e contribuiu decisivamente com doações de livros que deram um grande impulso à consolidação do “Recanto dos Livros” como um espaço de cultura e preservação da memória.
                Na sua saudação a convidada, o jornalista João Nassif, coordenador do “Recanto dos Livros”, agradeceu a amabilidade e generosidade de Leda Coletti por sua participação como voluntária e incentivadora das ações que teme elevado o grau de conhecimento sobre este novo espaço cultural de Piracicaba.
Noutro momento, saudada por Madalena Tricânico, a convidada foi definida como “seu nome é Leda, mas seu sobrenome é generosidade”, pelo desprendimento e colaboração continua a vários projetos culturais da cidade.
                Os próximos convidados para a série “Retrospectiva” são os irmãos Newman e Douglas Simões, que vão trazer num dos próximos sábados, um pouco de poesia e música ao espaço cultural.

domingo, 17 de setembro de 2017

Nhô Lica apresentado para os Escoteiros pela acadêmica Ivana Negri

A convite do Grupo Escoteiro Piracicaba, o personagem piracicabano Nhô Lica foi apresentado às crianças.
Os lobinhos fizeram perguntas e contaram suas histórias também. 
E receberam livrinhos autografados de presente!




























terça-feira, 12 de setembro de 2017

Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro

Uma iniciativa do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro,  em conjunto com a Marinha brasileira,para comemorar os laços históricos e afetivos entre Brasil e Portugal. 
O acadêmico Armando Alexandre dos Santos foi convidado a dar uma palestra no evento

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Abraçando a sua causa profissional

Waldemar Romano
Cadeira n° 11 - Patrono: Benedicto de Andrade

Meses atrás, juntamente com outras seis ou sete pessoas, estava este cidadão brasileiro na porta de saída de um supermercado que se localiza no Centro de nossa cidade, com compras já efetuadas, aguardando a benevolência de São Pedro (dizem que ele comanda a natureza) para fechar suas torneiras, pois, de forma continua e com muito vigor, chovia para dar e vender.
Para mim, era somente atravessar a rua que já estaria adentrando o portão de edifício vertical em que resido há mais de 20 anos. Faltava-me coragem para enfrentar água da cabeça aos pés. Para as outras pessoas, certamente seriam muito mais passos até suas residências.
Impaciência, algumas reclamações discretas, conversas entre pessoas desconhecidas, olhares para o céu totalmente inundado, consultas aos relógios de pulso e aos celulares, telefonemas solicitando providências para possíveis caronas, completavam certo cansaço dos que ali se encontravam.
Eis que na esquina da antigamente conhecida como sendo a “Rua do Commercio” surge um veículo (não sei se tem nome especifico), coletor de lixo orgânico e, como de praxe, em seu degrau traseiro alguns trabalhadores (autênticos) executando sua tarefa, sob a torrencial chuva, em total alegria, gritando, cantando, saudando os que estavam com receio de não se molharem.
Pois é! Todos nós sabemos que devemos exercer a profissão que nos dá prazer. Aqueles garis assim demonstraram, mas enfrentar chuva, sol, correr o dia todo para descartar o nosso lixo, explorar o olfato sempre de forma contínua em área não perfumada são atitudes próprias de amor ao próximo.
Profissões existem pelas quais tenho admiração muito especial. Gari é uma delas pois se eu tivesse 20 anos não teria condição física para a maratona diária.
Profissionais há que estão sempre protegidos do sol, da chuva, dos ventos e de outros inconvenientes, mas não valorizam esta condição. Reclamam do barulho, do ar condicionado que não esta funcionando a contento, da iluminação artificial etc.
Alguns de nós que a sociedade permitiu completar o nível superior, devemos valorizar nosso diploma, executar nosso trabalho com a mesma alegria de um gari, de forma completa (técnica e humana), sem reclamar da crise que ora enfrentamos e buscar caminhos e soluções.

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Lançamento do livro "Nhô Lica o colecionador de pedras"

No dia 25 de agosto, no Centro Cultural Martha Watts, aconteceu o lançamento do livro infanto juvenil "Capitão Nhô Lica, o Colecionador de Pedras".
Autora Ivana Maria França de Negri, com ilustrações de Ana Clara de Negri Kantovitz

(Fotos Cassio Negri e Marcelo Fuzeti Elias)

Ivana, Ana Clara e Joceli Lazier, diretora do Martha Watts























sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Lançamento do livro infanto juvenil "Capitão Nhô Lica, o colecionador de pedras"

Site do Colégio Piracicabano
Autora: Ivana Negri e ilustradora: Ana Clara de Negri Kantovitz

A ilustradora do livro Ana Clara de Negri kantovitz


O lançamento do livro para crianças “Capitão Nhô Lica, o Colecionador de Pedras” faz parte dos festejos dos 250 anos de Piracicaba.
Escrevi, faz um tempinho, um texto na Gazeta de Piracicaba: “Somos todos Nhô Lica”, onde tecia comentários sobre a nossa mania de colecionar coisas, comparando com essa fixação de coletar pedras do lendário Nhô Lica.
Muita gente comentou, mandou e-mail ou contou pelo facebook  alguma experiência que teve com ele.
E a escolinha das minhas netas gêmeas, para minha surpresa,  fez um trabalho interessante com as crianças, baseado no meu texto. Fiquei muito feliz!



As crianças coletaram pedregulhos e levaram para a escola. E vieram contando animadas sobre a história do Nhô Lica.
Então, a minha amiga Carmen me deu a ideia de escrever um livrinho infantil recontando essa lenda da nossa terra para as novas gerações. 
O único livro que narra a saga do Nhô Lica foi escrito pelo escritor Chico Mello, parente dele.
Adaptei para o linguajar infantil e minha neta de 9 anos fez as ilustrações. Penso que essas lendas não devem morrer nunca, pois fazem parte da história e do folclore piracicabano.
A maioria das crianças não conhece esse personagem e poucos professores ainda contam para elas essa história.
E no final do livro, as quadrinhas para Nhô Lica.

Quadrinhas para Nhô Lica

Nhô Lica era um sonhador
Que se achava milionário!
Catava pedras nas ruas
E as guardava em seu armário

Pensava serem brilhantes
Aquelas pedras feiosas
Por isso suas histórias
Ficaram muito famosas

O som do seu  violão
Tocava o começo e o fim
Pois só tinha duas cordas
Dim, dim, dom dom, dim ,dim, dim

Dizia ser bandeirante
Que andou pela Patagonia
Por Goiás, por Minas e Andes
Em suas noites de insonia

Passou a ser uma lenda
A história desse guerreiro
E a saga do capitão
Vai rodando o mundo inteiro!

O livrinho encontra-se à venda na Livraria Jota Portes e no Recanto dos Livros


Galeria Acadêmica

Alexandre Sarkis Neder - Cadeira n° 13 - Patrono: Dario Brasil
André Bueno Oliveira - Cadeira n° 14 - Patrono: Branca Motta de Toledo Sachs
Antonio Carlos Fusatto - Cadeira n° 6 - Patrono: Nélio Ferraz de Arruda
Antonio Carlos Neder - Cadeira n° 15 - Patrono: Archimedes Dutra
Aracy Duarte Ferrari - Cadeira n° 16 - Patrono: José Mathias Bragion
Armando Alexandre dos Santos- Cadeira n° 10 - Patrono: Brasílio Machado
Carla Ceres Oliveira Capeleti - Cadeira n° 17 - Patrono: Virgínia Prata Gregolin
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto - Cadeira n° 19 - Patrono: Ubirajara Malagueta Lara
Cássio Camilo Almeida de Negri - Cadeira n° 20 - Patrono: Benedito Evangelista da Costa
Cezário de Campos Ferrari - Cadeira n° 12 - Patrono: Ricardo Ferraz do Amaral
Edson Rontani Júnior - Cadeira n° 18 - Patrono: Madalena Salatti de Almeida
Elda Nympha Cobra Silveira - Cadeira n° 21 - Patrono: José Ferraz de Almeida Junior
Ésio Antonio Pezzato - cadeira no 31 - Patrono Victorio Angelo Cobra
Evaldo Vicente - Cadeira n° 23 - Patrono: Leo Vaz
Felisbino de Almeida Leme - Cadeira n° 8 - Patrono: Fortunato Losso Netto
Geraldo Victorino de França - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior
Gregorio Marchiori Netto - Cadeira n° 28 - Patrono: Delfim Ferreira da Rocha Neto
Gustavo Jacques Dias Alvim - Cadeira n° 29 - Patrono: Laudelina Cotrim de Castro
Ivana Maria França de Negri - Cadeira n° 33 - Patrono: Fernando Ferraz de Arruda
Jamil Nassif Abib (Mons.) - Cadeira n° 1 - Patrono: João Chiarini
João Baptista de Souza Negreiros Athayde - Cadeira n° 34 - Patrono: Adriano Nogueira
João Umberto Nassif - Cadeira n° 35 - Patrono: Prudente José de Moraes Barros
Leda Coletti - Cadeira n° 36 - Patrono: Olívia Bianco
Maria Helena Vieira Aguiar Corazza - Cadeira n° 3 - Patrono: Luiz de Queiroz
Marisa Amábile Fillet Bueloni - cadeira no32 - Patrono Thales castanho de Andrade
Marly Therezinha Germano Perecin - Cadeira n° 2 - Patrona: Jaçanã Althair Pereira Guerrini
Maria de Lourdes Piedade Sodero Martins - Cadeira n° 26 - Patrono: Nelson Camponês do Brasil
Mônica Aguiar Corazza Stefani - Cadeira n° 9 - Patrono: José Maria de Carvalho Ferreira
Myria Machado Botelho - Cadeira n° 24 - Patrono: Maria Cecília Machado Bonachela
Newman Ribeiro Simões - cadeira no 38 - Patrono Elias de Mello Ayres
Olívio Alleoni – Cadeira n° 25 – Patrono: Francisco Lagreca
Paulo Celso Bassetti - Cadeira n° 39 - Patrono: José Luiz Guidotti
Rosaly Aparecida Curiacos de Almeida Leme - Cadeira n° 7 - Patrono: Helly de Campos Melges
Sílvia Regina de OLiveira - Cadeira no 22 - Patrono Erotides de Campos
Valdiza Maria Caprânico - Cadeira no 4 - Patrono Haldumont Nobre Ferraz
Vitor Pires Vencovsky - Cadeira no 30 - Patrono Jorge Anéfalos
Waldemar Romano - Cadeira n° 11 - Patrono: Benedito de Andrade
Walter Naime - Cadeira no 37 - Patrono Sebastião Ferraz