Rio Piracicaba

Rio Piracicaba
Rio Piracicaba cheio (foto Ivana Negri)

Patrimônio da cidade, a Sapucaia florida (foto Ivana Negri)

Balão atravessando a ponte estaiada (foto Ivana Negri)

Diretoria

Diretoria da Academia Piracicabana de Letras

Presidente– Gustavo Jacques Alvim
Vice-Presidente– Cassio Camilo Almeida de Negri
Primeiro Secretário – Carmen Maria da Silva Fernandes Pilotto
Segundo Secretário – Evaldo Vicente
Primeiro Tesoureiro – Antônio Carlos Fusatto
Segundo Tesoureiro – Waldemar Romano
Bibliotecária – Aracy Duarte Ferrari

Conselho Fiscal

Walter Naime
Cezário de Campos Ferrari

Editor e Jornalista Responsável
João Umberto Nassif

Conselho editorial

Antonio Carlos Neder
Ivana Maria França de Negri
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto
Myria Machado Botelho


Seguidores

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Colaboração do Acadêmico Francisco de Assis Ferraz de Mello - Cadeira no 26 - Patrono Nelson Camponês do Brasil


O rio Piracicaba de ontem

Podeis imaginar que há séculos atrás
Aqui, por onde passa um rio poluído,
– Fantasma do que foi – faminto, prostituído,
Descia um rio forte, atlético, tenaz?


Podeis imaginar que aqui um rio audaz
Corria flamejante, altivo, destemido,
Rompendo a verde mata, violento, aguerrido
– Motivo de epopeias de guerra e de paz?


No salto era feroz, rebentava em cascata.
Então, a índia virgem, a filha da mata,
Chegava até ali para beijar-lhe o pé.


Outras vezes rolava bufando, estridente,
Acordando na taba o paiaguá valente
Que, transido de medo, corria ao pajé.

Ah!... Se pudesse!


Quando eu era criança eu queria
Ser mocinho, usar calças compridas,
Passear, ir a festas, cinema.
Ah!... um mocinho... poder namorar.
Juventude! Passeei, fui ao cine,
Namorei e até me casei.
Realizei o que quis, e ainda mais.
Ansiei por adulto tornar-me,
Trabalhar igualzinho meu pai.

E a idade de adulto chegou.
Trabalhei, trabalhei, trabalhei.
Conquistei experiência de vida
E a cabeça entupi de estudar.
Tudo isso cansou-me demais
Quis ser velho, poder descansar.
E a velhice chegou num repente
Me dizendo matreira: – és um sábio.
Mas agora, o saber me aborrece.
Se voltar ao passado pudesse...
– Ser criança ou mocinho outra vez
E ficar por aí novamente -
Que delícia de sonho, meu Deus!


Os gatos tibetanos (*)

Naquela casa amarela
vivem dois seres humanos
– Um velhinho e a companheira –
Mais dois gatos tibetanos.
Os filhos que ali moravam
– Dois meninos do casal –
Há muito foram-se embora.
Levou-os vento do mal.
Os velhos ficaram sós
Naquela casa amarela.
A velha a chorar de dores
E o velho cuidando dela.
Ninguém mais vai ao local
Há muitos pares de anos.
Fugiram dela os amigos,
Menos os dois tibetanos.
(*) Para Noedy Perecin e Marly T. G. Perecin, meus prezados amigos

Nenhum comentário:

Galeria Acadêmica

Alexandre Sarkis Neder - Cadeira n° 13 - Patrono: Dario Brasil
André Bueno Oliveira - Cadeira n° 14 - Patrono: Branca Motta de Toledo Sachs
Antonio Carlos Fusatto - Cadeira n° 6 - Patrono: Nélio Ferraz de Arruda
Antonio Carlos Neder - Cadeira n° 15 - Patrono: Archimedes Dutra
Aracy Duarte Ferrari - Cadeira n° 16 - Patrono: José Mathias Bragion
Armando Alexandre dos Santos- Cadeira n° 10 - Patrono: Brasílio Machado
Carla Ceres Oliveira Capeleti - Cadeira n° 17 - Patrono: Virgínia Prata Gregolin
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto - Cadeira n° 19 - Patrono: Ubirajara Malagueta Lara
Cássio Camilo Almeida de Negri - Cadeira n° 20 - Patrono: Benedito Evangelista da Costa
Cezário de Campos Ferrari - Cadeira n° 12 - Patrono: Ricardo Ferraz do Amaral
Edson Rontani Júnior - Cadeira n° 18 - Patrono: Madalena Salatti de Almeida
Elda Nympha Cobra Silveira - Cadeira n° 21 - Patrono: José Ferraz de Almeida Junior
Ésio Antonio Pezzato - cadeira no 31 - Patrono Victorio Angelo Cobra
Evaldo Vicente - Cadeira n° 23 - Patrono: Leo Vaz
Felisbino de Almeida Leme - Cadeira n° 8 - Patrono: Fortunato Losso Netto
Geraldo Victorino de França - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior
Gregorio Marchiori Netto - Cadeira n° 28 - Patrono: Delfim Ferreira da Rocha Neto
Gustavo Jacques Dias Alvim - Cadeira n° 29 - Patrono: Laudelina Cotrim de Castro
Ivana Maria França de Negri - Cadeira n° 33 - Patrono: Fernando Ferraz de Arruda
Jamil Nassif Abib (Mons.) - Cadeira n° 1 - Patrono: João Chiarini
João Baptista de Souza Negreiros Athayde - Cadeira n° 34 - Patrono: Adriano Nogueira
João Umberto Nassif - Cadeira n° 35 - Patrono: Prudente José de Moraes Barros
Leda Coletti - Cadeira n° 36 - Patrono: Olívia Bianco
Maria Helena Vieira Aguiar Corazza - Cadeira n° 3 - Patrono: Luiz de Queiroz
Marisa Amábile Fillet Bueloni - cadeira no32 - Patrono Thales castanho de Andrade
Marly Therezinha Germano Perecin - Cadeira n° 2 - Patrona: Jaçanã Althair Pereira Guerrini
Maria de Lourdes Piedade Sodero Martins - Cadeira n° 26 - Patrono: Nelson Camponês do Brasil
Mônica Aguiar Corazza Stefani - Cadeira n° 9 - Patrono: José Maria de Carvalho Ferreira
Myria Machado Botelho - Cadeira n° 24 - Patrono: Maria Cecília Machado Bonachela
Newman Ribeiro Simões - cadeira no 38 - Patrono Elias de Mello Ayres
Olívio Alleoni – Cadeira n° 25 – Patrono: Francisco Lagreca
Paulo Celso Bassetti - Cadeira n° 39 - Patrono: José Luiz Guidotti
Rosaly Aparecida Curiacos de Almeida Leme - Cadeira n° 7 - Patrono: Helly de Campos Melges
Sílvia Regina de OLiveira - Cadeira no 22 - Patrono Erotides de Campos
Valdiza Maria Caprânico - Cadeira no 4 - Patrono Haldumont Nobre Ferraz
Vitor Pires Vencovsky - Cadeira no 30 - Patrono Jorge Anéfalos
Waldemar Romano - Cadeira n° 11 - Patrono: Benedito de Andrade
Walter Naime - Cadeira no 37 - Patrono Sebastião Ferraz