Rio Piracicaba

Rio Piracicaba
Rio Piracicaba cheio (crédito da foto Ivana Negri)

Diretoria

Diretoria da Academia Piracicabana de Letras

Presidente– Gustavo Jacques Alvim
Vice-Presidente– Cassio Camilo Almeida de Negri
Primeiro Secretário – Carmen Maria da Silva Fernandes Pilotto
Segundo Secretário – Evaldo Vicente
Primeiro Tesoureiro – Antônio Carlos Fusatto
Segundo Tesoureiro – Waldemar Romano
Bibliotecária – Aracy Duarte Ferrari

Conselho Fiscal

Walter Naime
Cezário de Campos Ferrari

Editor e Jornalista Responsável
João Umberto Nassif

Conselho editorial

Antonio Carlos Neder
Ivana Maria França de Negri
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto
Myria Machado Botelho


Seguidores

sábado, 26 de março de 2011

Jornal livre e independente

Pedro Caldari - Cadeira no 40
Creio que este artigo não será publicado por não “atender aos interesses da imprensa jornalística”, ou seja, “contraria a opinião do jornal”, e ponto final! Comprova-se, portanto, a triste realidade atual de Piracicaba – a cidade perdeu a sua tradicional identidade jornalística combativa, baluarte do espírito democrático da imprensa piracicabana, sempre vigilante e pronta para sair na defesa dos direitos e anseios do povo, especialmente dos menos favorecidos e dos indefesos.

A cidade é a grande perdedora quando isso ocorre, sem se falar do retrocesso que a democracia registra e projeta no seio da sociedade. Ao examinar-se os editoriais e as matérias na página nobre dos jornais diários desta província, verifica-se essa afirmativa, constatando-se a realidade que nos entristece e nos empobrece tanto, da absoluta falta de combatividade jornalística. Não cito nome algum, para não cometer a falha da omissão, mas são vivos na memória do piracicabano nato e também daquele que adotou a cidadania da Noiva da Colina, as figuras ilustres dos equilibrados articulistas que, sem receio algum, armavam-se de suas penas e iam à luta ao se depararem com um fato de alto interesse público não devidamente cuidado ou então, de flagrante desrespeito à lei e à ordem, com total imparcialidade. E defendiam assim, a liberdade de expressão, sem medo e conscientes do cumprimento de seus deveres de cidadão.

O jornal exerce importante função social ao manter-se fiel aos princípios de independência, de soberania e de imparcialidade, dentre outras linhas de conduta que deve ater-se, como o de propagar a paz e a ordem social. Deve, por conseguinte, fazer-se respeitado pelos detentores dos poderes públicos, eletivos e de carreiras, não como antagônico inimigo, mas sim como órgão de neutra oposição democrática, muito diferente daquele opositor de cunho partidário ou corporativista.

Piracicaba teve, no passado, vários jornais independentes e outros de propriedade de capitalista e de bem sucedidos empresários. Apenas um sobreviveu e circula nos dias de hoje, por sorte. Há, portanto, uma enorme carência no setor, faltando-nos a presença de reais formadores de opinião pública, capazes de ir além da expressão dos acontecimentos testemunhados como principalmente o de pugnar por medidas benéficas à sociedade, tanto econômicas e sociais como também culturais e de ordem política suprapartidária. O Legislativo e o Executivo, sempre, devam sentir-se sob os olhares atentos da comunidade, não de fiscais ou de policiais, mas de cidadãos capazes de exercerem suas cidadanias a todo o momento. O mesmo aplica-se ao Judiciário e às instituições que devem zelar pela manutenção da segurança e dos direitos patrimoniais e humanos da sociedade.

O conflito de interesses é um dos mandamentos da ciência da administração. O galinheiro não pode ficar sob a guarda da raposa, segundo a filosofia cabocla, logo, deduz-se que a condução da coisa pública deve ser compartilhada sabiamente e a execução das atividades deve passar por adequada auditoria independente com capacidade não só de detectar como um especial de coibir possíveis falhas e desvios com a devida antecedência. O administrador e seus prepostos, como seres humanos, podem incorrer em erros ou imprecisões executivas involuntárias.

Há ainda o valor da critica quando ponderada e construtiva, além da própria necessidade de opiniões divergentes para o aprimoramento dos fatos ou temas de interesse coletivo. As contestações operam milagres, como por exemplo, aquela do menino que ousou, inocentemente, de denunciar a nudez do rei! A ótica pode ser iludida ou confundida através de artifício e a tecnologia da mídia opera milagres na formação de opinião pública, graças à massificação da eletrônica. O olho puro e inocente do menino, em meio à multidão, exemplifica o papel do jornalista como guardião da sociedade.

Piracicaba, recentemente, deu um grande salto no plano urbanístico e tudo indica que irá progredir muito como cidade industrial sem prejuízo da tradicional agricultura. Todavia, falta-lhe a competitividade nos meios de comunicação, fator indispensável à garantia da independência da expressão do pensamento, no caso, de opinar sobre assuntos de relevância pública, política e socialmente.

Nem tudo que reluz é ouro e nem tudo que soa agradável é a verdade. É preciso, sempre discernir entre o útil e o supérfluo, bem como entre as prioridades quais são realmente demandadas pela comunidade .
Texto publicado no jornal "A TRIBUNA PIRACICABANA" em 26/03/2011

Nenhum comentário:

Galeria Acadêmica

Alexandre Sarkis Neder - Cadeira n° 13 - Patrono: Dario Brasil
André Bueno Oliveira - Cadeira n° 14 - Patrono: Branca Motta de Toledo Sachs
Antonio Carlos Fusatto - Cadeira n° 6 - Patrono: Nélio Ferraz de Arruda
Antonio Carlos Neder - Cadeira n° 15 - Patrono: Archimedes Dutra
Aracy Duarte Ferrari - Cadeira n° 16 - Patrono: José Mathias Bragion
Armando Alexandre dos Santos- Cadeira n° 10 - Patrono: Brasílio Machado
Carla Ceres Oliveira Capeleti - Cadeira n° 17 - Patrono: Virgínia Prata Gregolin
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto - Cadeira n° 19 - Patrono: Ubirajara Malagueta Lara
Cássio Camilo Almeida de Negri - Cadeira n° 20 - Patrono: Benedito Evangelista da Costa
Cezário de Campos Ferrari - Cadeira n° 12 - Patrono: Ricardo Ferraz do Amaral
Edson Rontani Júnior - Cadeira n° 18 - Patrono: Madalena Salatti de Almeida
Elda Nympha Cobra Silveira - Cadeira n° 21 - Patrono: José Ferraz de Almeida Junior
Ésio Antonio Pezzato - cadeira no 31 - Patrono Victorio Angelo Cobra
Evaldo Vicente - Cadeira n° 23 - Patrono: Leo Vaz
Felisbino de Almeida Leme - Cadeira n° 8 - Patrono: Fortunato Losso Netto
Geraldo Victorino de França - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior
Gregorio Marchiori Netto - Cadeira n° 28 - Patrono: Delfim Ferreira da Rocha Neto
Gustavo Jacques Dias Alvim - Cadeira n° 29 - Patrono: Laudelina Cotrim de Castro
Ivana Maria França de Negri - Cadeira n° 33 - Patrono: Fernando Ferraz de Arruda
Jamil Nassif Abib (Mons.) - Cadeira n° 1 - Patrono: João Chiarini
João Baptista de Souza Negreiros Athayde - Cadeira n° 34 - Patrono: Adriano Nogueira
João Umberto Nassif - Cadeira n° 35 - Patrono: Prudente José de Moraes Barros
Leda Coletti - Cadeira n° 36 - Patrono: Olívia Bianco
Maria Helena Vieira Aguiar Corazza - Cadeira n° 3 - Patrono: Luiz de Queiroz
Marisa Amábile Fillet Bueloni - cadeira no32 - Patrono Thales castanho de Andrade
Marly Therezinha Germano Perecin - Cadeira n° 2 - Patrona: Jaçanã Althair Pereira Guerrini
Maria de Lourdes Piedade Sodero Martins - Cadeira n° 26 - Patrono: Nelson Camponês do Brasil
Mônica Aguiar Corazza Stefani - Cadeira n° 9 - Patrono: José Maria de Carvalho Ferreira
Myria Machado Botelho - Cadeira n° 24 - Patrono: Maria Cecília Machado Bonachela
Newman Ribeiro Simões - cadeira no 38 - Patrono Elias de Mello Ayres
Olívio Alleoni – Cadeira n° 25 – Patrono: Francisco Lagreca
Paulo Celso Bassetti - Cadeira n° 39 - Patrono: José Luiz Guidotti
Rosaly Aparecida Curiacos de Almeida Leme - Cadeira n° 7 - Patrono: Helly de Campos Melges
Sílvia Regina de OLiveira - Cadeira no 22 - Patrono Erotides de Campos
Valdiza Maria Caprânico - Cadeira no 4 - Patrono Haldumont Nobre Ferraz
Vitor Pires Vencovsky - Cadeira no 30 - Patrono Jorge Anéfalos
Waldemar Romano - Cadeira n° 11 - Patrono: Benedito de Andrade
Walter Naime - Cadeira no 37 - Patrono Sebastião Ferraz