Rio Piracicaba

Rio Piracicaba
Rio Piracicaba cheio (crédito da foto Ivana Negri)

Diretoria

Diretoria da Academia Piracicabana de Letras

Presidente– Gustavo Jacques Alvim
Vice-Presidente– Cassio Camilo Almeida de Negri
Primeiro Secretário – Carmen Maria da Silva Fernandes Pilotto
Segundo Secretário – Evaldo Vicente
Primeiro Tesoureiro – Antônio Carlos Fusatto
Segundo Tesoureiro – Waldemar Romano
Bibliotecária – Aracy Duarte Ferrari

Conselho Fiscal

Walter Naime
Cezário de Campos Ferrari

Editor e Jornalista Responsável
João Umberto Nassif

Conselho editorial

Antonio Carlos Neder
Ivana Maria França de Negri
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto
Myria Machado Botelho


Seguidores

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Sobre o livro “Herança de Poeta”, de André Bueno Oliveira

Andre Bueno Oliveira e Armando Alexandre dos Santos trocando seus respectivos livros
texto de Armando Alexandre dos Santos - Cadeira no 10

É com alegria que, embora com algum atraso, cumpro o dever de gratidão e de justiça de registrar, aqui, o magnífico presente que recebi do nosso confrade, o Poeta e Acadêmico André Bueno Oliveira. Brindou-me ele com amabilíssima visita, na qual trouxe um exemplar do seu recente livro “Herança de Poeta”. Já lhe agradeci de viva voz, mas queria fazê-lo também aqui, por este nosso blog comunitário.
Na mesma noite iniciei, com interesse, gosto e proveito, a ler o livro. Melhor dizendo, a saboreá-lo.
De fato, André é um dos cada vez mais raros poetas que ainda versejam em estilo clássico, respeitando não só a rima e a métrica, mas também o ritmo dos versos. A maior parte dos que versejam, hoje em dia, escrevem em versos livres. Poucos têm a pretensão de escrever versos clássicos. Muitos há que acham bastarem as rimas para a poesia ser clássica... Ledo engano!
Outros, preocupam-se também com a métrica, contando as sílabas, e achando que, desde que os versos rimem e o número de sílabas esteja correto, já está feita uma poesia clássica... Outro ledo engano!
Só os bons poetas, os poetas de verdade, conseguem, de ouvido, captar a musicalidade do que escrevem, de maneira a caírem as sílabas tônica dos versos no lugar certo. Só esses não escrevem, como se dizia antigamente, “versos de pé quebrado” – expressão remotamente herdada da literatura latina, quando os versos eram medidos em pés, não de acordo com sua tonicidade (como fazemos nós), mas de acordo com sua quantidade, ou seja, pela sucessão combinada de sílabas longas ou breves. Pegar, de ouvido, a beleza de um verso latino sem rima nem ritmo tônico, mas apenas pela sua quantidade, essa é capacidade muito rara. Acredito que, aqui em Piracicaba, talvez só o latinista Prof. Vitti consiga fazê-lo em nossos dias. Um dos maiores poetas peruanos da atualidade, meu fraternal amigo José Antonio Pancorvo Beingolea, contou-me que somente depois de 7 anos de esforços constantes no estudo do latim clássico chegou a esse patamar...
André Bueno de Oliveira é um raríssimo poeta que escreve versos clássicos sem quebrar os pés... e ainda o faz com graça, com naturalidade, sem usar e abusar das “chevilles” (aquelas palavrinhas monossilábicas desnecessárias ao sentido do poema, colocadas excessivamente pelos maus poetas apenas para não quebrar os pés...). Consegue, sem esforço aparente, traduzir na difícil e seletiva linguagem simbólica pensamentos líricos, bucólicos, por vezes irônicos.
Domina, visivelmente, modalidades muito variadas de composições clássicas, mas mostra clara preferência pelo soneto.
Não vou, aqui nestas notas, transcrever trechos de “Herança de Poeta”. Farei mais e melhor: apenas recomendo, a quem me ler, que vá procurar o próprio livro do André, que foi editado pela Equilíbrio Editora, leia-o, divulgue-o. Garanto que vale a pena.


para obter o livro, contato c/André: e.mail olivandre@bol.com.br e/ou Caixa Postal 76 - CEP 13400-970 - Piracicaba

Nenhum comentário:

Galeria Acadêmica

Alexandre Sarkis Neder - Cadeira n° 13 - Patrono: Dario Brasil
André Bueno Oliveira - Cadeira n° 14 - Patrono: Branca Motta de Toledo Sachs
Antonio Carlos Fusatto - Cadeira n° 6 - Patrono: Nélio Ferraz de Arruda
Antonio Carlos Neder - Cadeira n° 15 - Patrono: Archimedes Dutra
Aracy Duarte Ferrari - Cadeira n° 16 - Patrono: José Mathias Bragion
Armando Alexandre dos Santos- Cadeira n° 10 - Patrono: Brasílio Machado
Carla Ceres Oliveira Capeleti - Cadeira n° 17 - Patrono: Virgínia Prata Gregolin
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto - Cadeira n° 19 - Patrono: Ubirajara Malagueta Lara
Cássio Camilo Almeida de Negri - Cadeira n° 20 - Patrono: Benedito Evangelista da Costa
Cezário de Campos Ferrari - Cadeira n° 12 - Patrono: Ricardo Ferraz do Amaral
Edson Rontani Júnior - Cadeira n° 18 - Patrono: Madalena Salatti de Almeida
Elda Nympha Cobra Silveira - Cadeira n° 21 - Patrono: José Ferraz de Almeida Junior
Ésio Antonio Pezzato - cadeira no 31 - Patrono Victorio Angelo Cobra
Evaldo Vicente - Cadeira n° 23 - Patrono: Leo Vaz
Felisbino de Almeida Leme - Cadeira n° 8 - Patrono: Fortunato Losso Netto
Geraldo Victorino de França - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior
Gregorio Marchiori Netto - Cadeira n° 28 - Patrono: Delfim Ferreira da Rocha Neto
Gustavo Jacques Dias Alvim - Cadeira n° 29 - Patrono: Laudelina Cotrim de Castro
Ivana Maria França de Negri - Cadeira n° 33 - Patrono: Fernando Ferraz de Arruda
Jamil Nassif Abib (Mons.) - Cadeira n° 1 - Patrono: João Chiarini
João Baptista de Souza Negreiros Athayde - Cadeira n° 34 - Patrono: Adriano Nogueira
João Umberto Nassif - Cadeira n° 35 - Patrono: Prudente José de Moraes Barros
Leda Coletti - Cadeira n° 36 - Patrono: Olívia Bianco
Maria Helena Vieira Aguiar Corazza - Cadeira n° 3 - Patrono: Luiz de Queiroz
Marisa Amábile Fillet Bueloni - cadeira no32 - Patrono Thales castanho de Andrade
Marly Therezinha Germano Perecin - Cadeira n° 2 - Patrona: Jaçanã Althair Pereira Guerrini
Maria de Lourdes Piedade Sodero Martins - Cadeira n° 26 - Patrono: Nelson Camponês do Brasil
Mônica Aguiar Corazza Stefani - Cadeira n° 9 - Patrono: José Maria de Carvalho Ferreira
Myria Machado Botelho - Cadeira n° 24 - Patrono: Maria Cecília Machado Bonachela
Newman Ribeiro Simões - cadeira no 38 - Patrono Elias de Mello Ayres
Olívio Alleoni – Cadeira n° 25 – Patrono: Francisco Lagreca
Paulo Celso Bassetti - Cadeira n° 39 - Patrono: José Luiz Guidotti
Rosaly Aparecida Curiacos de Almeida Leme - Cadeira n° 7 - Patrono: Helly de Campos Melges
Sílvia Regina de OLiveira - Cadeira no 22 - Patrono Erotides de Campos
Valdiza Maria Caprânico - Cadeira no 4 - Patrono Haldumont Nobre Ferraz
Vitor Pires Vencovsky - Cadeira no 30 - Patrono Jorge Anéfalos
Waldemar Romano - Cadeira n° 11 - Patrono: Benedito de Andrade
Walter Naime - Cadeira no 37 - Patrono Sebastião Ferraz