Rio Piracicaba

Rio Piracicaba
Rio Piracicaba cheio (foto Ivana Negri)

Patrimônio da cidade, a Sapucaia florida (foto Ivana Negri)

Balão atravessando a ponte estaiada (foto Ivana Negri)

Diretoria

Diretoria da Academia Piracicabana de Letras 2018/2021

Presidente– Vitor Pires Vencovsky
Vice-Presidente– Cassio Camilo Almeida de Negri
Primeira Secretária – Ivana Maria França de Negri
Segunda Secretária – Carmen Maria da Silva Fernandes Pilotto
Primeiro Tesoureiro – Edson Rontani Junior
Segundo Tesoureiro – Waldemar Romano
Bibliotecária – Aracy Duarte Ferrari

Conselho Fiscal
Gustavo Jacques Dias Alvim
Alexandre Neder
Walter Naime

Editor e Jornalista Responsável
João Umberto Nassif

Conselho editorial

Evaldo Vicente
Antonio Carlos Fusatto
Ivana Maria França de Negri
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto



Seguidores

quinta-feira, 28 de junho de 2012

“ÁGAPE”- AMOR INCONDICIONAL

Maria Helena Vieira Aguiar Corazza
Cadeira n° 3 - Patrono: Luiz de Queiroz      

            Já faz algum tempo que sou admiradora do livro “Ágape” do Padre Marcelo Rossi que, com certeza tem o intuito de engrandecer e aprimorar o interior do homem, geralmente tão distraído ou indiferente às coisas da fé, incrivelmente benéficas e necessárias, sobretudo nesses tempos da vida onde parece, injeções de reflexões e alertas são os grandes antídotos que funcionam para que, as “vendas nos olhos” sejam retiradas e a verdade possa surgir proporcionando algum resultado acolhedor para a alma e para o espírito. Sem duvida, a preocupação do Padre em seus milhões de exemplares já vendidos foi levar ao conhecimento dos leitores de uma forma fácil e simples, capítulos do Evangelho de São João, fazendo conhecer, explicando e colocando em cada um deles abordados, orações no seu final, todos de uma simplicidade e profundidade ao mesmo tempo pura, singela e comovente. Palavras do feitio desse sacerdote iluminado, que elevam e fortalecem, sobretudo pelo seu modo generoso de ser, cuja maior intenção, sempre foi também ensinar aplicar e multiplicar o bem e o amor entre seus fiéis e crentes em geral. Indicando a leitura para quem não o fez ainda, fica nesta “janela” de hoje, como um dos “exemplos” do livro, uma história muito comum, e de grande valor num dos processos mais corriqueiros que surgem nas dificuldades em ver e aceitar os erros, achando que, “o problema é sempre do outro.” Conta de duas famílias que moravam uma em frente à outra e todos os dias, o marido de uma das casas ao voltar do trabalho encontrava a esposa reparando nas roupas sujas penduradas na área da casa vizinha e ficava indignada, não entendendo porque ela não as lavava adequadamente antes de pendurá-las no varal dizendo com impaciência e certeza que a vizinha era suja e descuidada. “Depois de algum tempo, e cansado das reclamações da mulher, o marido sugeriu que ela parasse de falar e limpasse antes, a vidraça da casa deles que estava imunda, para depois olhar e ver, que a sujeira não era da outra, mas pertencia à sua própria casa”. A moral da história é que a tendência do ser humano é sempre jogar a culpa no outro, pois é muito mais fácil não admitir as falhas, desmoralizar e não compreender o “por que” e o comportamento do próximo, sempre julgando, conjeturando e maltratando, num egoísmo e orgulho que não “arreda pé.” Verificar com toda dignidade então que, uma bela e eficiente leitura pode ajudar no encaminhamento e crescimento espiritual abrindo o entendimento para a felicidade do conhecimento dos que querem acertar cada vez mais, na convivência, amizade e bom trato com o seu próximo.
            Como oração também de sua autoria, fica aqui a da contracapa do livro que diz: “Senhor, Tu és o Bom Pastor. Eu sou Tua ovelha. Em alguns dias estou sujo, em outros estou doente. Em alguns dias me escondo, em outros me revelo. Sou uma ovelha ora mansa, ora agitada, uma ovelha perdida, ora reconhecida. Eu sou Tua ovelha, Senhor. Eu conheço a Tua voz. É que às vezes, a surdez toma conta de mim. Eu sou Tua ovelha, Senhor. Não permita que eu me perca e que eu me desvie do Teu rebanho, mas, se eu me perder, eu Te peço Senhor, vem me encontrar. Amém.”.
            Não é segredo para ninguém, que Padre Marcelo Rossi é um dos “ícones semeadores” atuais da nossa fé, que “prega e cumpre a Ágape-amor”, sendo por isso, um dos grandes baluartes, que temos a graça de conhecer, conviver, usufruir e cultivar.

Nenhum comentário:

Galeria Acadêmica

1-Alexandre Sarkis Neder - Cadeira n° 13 - Patrono: Dario Brasil
2-André Bueno Oliveira - Cadeira n° 14 - Patrono: Branca Motta de Toledo Sachs
3-Antonio Carlos Fusatto - Cadeira n° 6 - Patrono: Nélio Ferraz de Arruda
4-Antonio Carlos Neder - Cadeira n° 15 - Patrono: Archimedes Dutra
5-Aracy Duarte Ferrari - Cadeira n° 16 - Patrono: José Mathias Bragion
6-Armando Alexandre dos Santos- Cadeira n° 10 - Patrono: Brasílio Machado
7-Barjas Negri - Cadeira no 5 - Patrono: Leandro Guerrini
8-Carla Ceres Oliveira Capeleti - Cadeira n° 17 - Patrono: Virgínia Prata Gregolin
9-Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto - Cadeira n° 19 - Patrono: Ubirajara Malagueta Lara
10-Cássio Camilo Almeida de Negri - Cadeira n° 20 - Patrono: Benedito Evangelista da Costa
11-Cezário de Campos Ferrari - Cadeira n° 12 - Patrono: Ricardo Ferraz do Amaral
12-Edson Rontani Júnior - Cadeira n° 18 - Patrono: Madalena Salatti de Almeida
13-Elda Nympha Cobra Silveira - Cadeira n° 21 - Patrono: José Ferraz de Almeida Junior
14-Ésio Antonio Pezzato - cadeira no 31 - Patrono Victorio Angelo Cobra
15-Evaldo Vicente - Cadeira n° 23 - Patrono: Leo Vaz
16-Felisbino de Almeida Leme - Cadeira n° 8 - Patrono: Fortunato Losso Netto
17-Geraldo Victorino de França - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior
18-Gregorio Marchiori Netto - Cadeira n° 28 - Patrono: Delfim Ferreira da Rocha Neto
19-Gustavo Jacques Dias Alvim - Cadeira n° 29 - Patrono: Laudelina Cotrim de Castro
20-Ivana Maria França de Negri - Cadeira n° 33 - Patrono: Fernando Ferraz de Arruda
21-Jamil Nassif Abib (Mons.) - Cadeira n° 1 - Patrono: João Chiarini
22-João Baptista de Souza Negreiros Athayde - Cadeira n° 34 - Patrono: Adriano Nogueira
23-João Umberto Nassif - Cadeira n° 35 - Patrono: Prudente José de Moraes Barros
24-Leda Coletti - Cadeira n° 36 - Patrono: Olívia Bianco
25-Maria de Lourdes Piedade Sodero Martins - cadeira no 26 Patrono Nelson Camponês do Brasil
26-Maria Helena Vieira Aguiar Corazza - Cadeira n° 3 - Patrono: Luiz de Queiroz
27-Marisa Amábile Fillet Bueloni - cadeira no32 - Patrono Thales castanho de Andrade
28-Marly Therezinha Germano Perecin - Cadeira n° 2 - Patrona: Jaçanã Althair Pereira Guerrini
29-Mônica Aguiar Corazza Stefani - Cadeira n° 9 - Patrono: José Maria de Carvalho Ferreira
30-Myria Machado Botelho - Cadeira n° 24 - Patrono: Maria Cecília Machado Bonachela
31-Newman Ribeiro Simões - cadeira no 38 - Patrono Elias de Mello Ayres
32-Olívio Alleoni – Cadeira n° 25 – Patrono: Francisco Lagreca
33-Paulo Celso Bassetti - Cadeira n° 39 - Patrono: José Luiz Guidotti
34-Raquel Delvaje - Cadeira no 40 - Patrono Barão de Rezende
35-Rosaly Aparecida Curiacos de Almeida Leme - Cadeira n° 7 - Patrono: Helly de Campos Melges
36-Sílvia Regina de OLiveira - Cadeira no 22 - Patrono Erotides de Campos
37-Valdiza Maria Caprânico - Cadeira no 4 - Patrono Haldumont Nobre Ferraz
38-Vitor Pires Vencovsky - Cadeira no 30 - Patrono Jorge Anéfalos
39-Waldemar Romano - Cadeira n° 11 - Patrono: Benedito de Andrade
40-Walter Naime - Cadeira no 37 - Patrono Sebastião Ferraz
Lino Vitti - Acadêmico Honorário (in memoriam)