Rio Piracicaba

Rio Piracicaba
Rio Piracicaba cheio (crédito da foto Ivana Negri)

Diretoria

Diretoria da Academia Piracicabana de Letras

Presidente– Gustavo Jacques Alvim
Vice-Presidente– Cassio Camilo Almeida de Negri
Primeiro Secretário – Carmen Maria da Silva Fernandes Pilotto
Segundo Secretário – Evaldo Vicente
Primeiro Tesoureiro – Antônio Carlos Fusatto
Segundo Tesoureiro – Waldemar Romano
Bibliotecária – Aracy Duarte Ferrari

Conselho Fiscal

Walter Naime
Cezário de Campos Ferrari

Editor e Jornalista Responsável
João Umberto Nassif

Conselho editorial

Antonio Carlos Neder
Ivana Maria França de Negri
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto
Myria Machado Botelho


Seguidores

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Poema pobre

 Marisa F. Bueloni
Cadeira no 32 - Patrono: Thales Castanho de Andrade





Minha pobre poesia
é sem não-me-toques:
diz o que sente
sem retoques


Pois eu digo sem rodeios
poesia é coisa de muitos meios


A minha é pé no chão
taipa de fogão à lenha
leite tirado da vaca
sonho que se ordenha


É cheiro de grama orvalhada
som de trovoada
pulo do sapo na relva
vida renovada


Roupa de algodão
chinelinho rasteiro
dor no coração
pombos no viveiro


Pois saibam os senhores
versos sentem dores
e estou aqui
na voragem da vida
rimando sofrida


Minha poesia paulista
tem som de viola caipira
repica numa ciranda
roda de dança catira


Minha poesia é pobreza
é sandália franciscana
tem cheiro de café
arroubo de fé
e gosto de cana


Meu poema pobrezinho
não tem um vintém
não conhece ninguém
é sozinho


Vive de migalhas
de palavras contidas
veste-se de tralhas
das horas batidas


Meu pobre poema
não possui esquema
nem estratagema
nem do ovo a gema


Canta pequenino
as tristes cantigas
varre o chão de pedras
deita-se em urtigas


Meu poema pobre
sem linhagem nobre
não faz feio:
vai levando a vida
como ao mundo veio


Se me envergonho?
Nada! Até componho
qualquer um versinho:
vou pelo caminho
brada o meu poema
geme o meu pinho


Meu poema chora
pela vida afora


Mas percorre altivo
as frases solares
e rima festivo
solto pelos ares...




3 comentários:

Sotnas disse...

Olá Marisa, que tudo permaneça bem contigo!


Simples talvez, mas pobre jamais será teu poema,
Digo até que é deveras encantador,
Por expressar a simplicidade do viver como tema,
Ainda que traga palavras de dor, por favor,
Postou cá e compartilhou um belíssimo poema!

Desculpe, por me exceder neste simples comentário, e que, continuei embalado pela leitura deste teu belo pensamento escrito!

Assim grato e encantado me vou deixando meu desejo que você tenha um viver de intensa felicidade, abraços e até mais!

Anônimo disse...

Ivana: sem palavras para agradecer tanta honra! Muito obrigada!
MARISA BUELONI

ANDRÉ disse...

Oi MARISA.
Repetindo o que disse por e-mail, segue minha opinião, em TROVA:

NOBREZA

Jamais um poema é pobre,
mesmo com sangue caipira.
Poesia é Virtude Nobre,
que a poucos a Musa inspira.

abraço
André

Galeria Acadêmica

Alexandre Sarkis Neder - Cadeira n° 13 - Patrono: Dario Brasil
André Bueno Oliveira - Cadeira n° 14 - Patrono: Branca Motta de Toledo Sachs
Antonio Carlos Fusatto - Cadeira n° 6 - Patrono: Nélio Ferraz de Arruda
Antonio Carlos Neder - Cadeira n° 15 - Patrono: Archimedes Dutra
Aracy Duarte Ferrari - Cadeira n° 16 - Patrono: José Mathias Bragion
Armando Alexandre dos Santos- Cadeira n° 10 - Patrono: Brasílio Machado
Carla Ceres Oliveira Capeleti - Cadeira n° 17 - Patrono: Virgínia Prata Gregolin
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto - Cadeira n° 19 - Patrono: Ubirajara Malagueta Lara
Cássio Camilo Almeida de Negri - Cadeira n° 20 - Patrono: Benedito Evangelista da Costa
Cezário de Campos Ferrari - Cadeira n° 12 - Patrono: Ricardo Ferraz do Amaral
Edson Rontani Júnior - Cadeira n° 18 - Patrono: Madalena Salatti de Almeida
Elda Nympha Cobra Silveira - Cadeira n° 21 - Patrono: José Ferraz de Almeida Junior
Ésio Antonio Pezzato - cadeira no 31 - Patrono Victorio Angelo Cobra
Evaldo Vicente - Cadeira n° 23 - Patrono: Leo Vaz
Felisbino de Almeida Leme - Cadeira n° 8 - Patrono: Fortunato Losso Netto
Geraldo Victorino de França - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior
Gregorio Marchiori Netto - Cadeira n° 28 - Patrono: Delfim Ferreira da Rocha Neto
Gustavo Jacques Dias Alvim - Cadeira n° 29 - Patrono: Laudelina Cotrim de Castro
Ivana Maria França de Negri - Cadeira n° 33 - Patrono: Fernando Ferraz de Arruda
Jamil Nassif Abib (Mons.) - Cadeira n° 1 - Patrono: João Chiarini
João Baptista de Souza Negreiros Athayde - Cadeira n° 34 - Patrono: Adriano Nogueira
João Umberto Nassif - Cadeira n° 35 - Patrono: Prudente José de Moraes Barros
Leda Coletti - Cadeira n° 36 - Patrono: Olívia Bianco
Maria Helena Vieira Aguiar Corazza - Cadeira n° 3 - Patrono: Luiz de Queiroz
Marisa Amábile Fillet Bueloni - cadeira no32 - Patrono Thales castanho de Andrade
Marly Therezinha Germano Perecin - Cadeira n° 2 - Patrona: Jaçanã Althair Pereira Guerrini
Maria de Lourdes Piedade Sodero Martins - Cadeira n° 26 - Patrono: Nelson Camponês do Brasil
Mônica Aguiar Corazza Stefani - Cadeira n° 9 - Patrono: José Maria de Carvalho Ferreira
Myria Machado Botelho - Cadeira n° 24 - Patrono: Maria Cecília Machado Bonachela
Newman Ribeiro Simões - cadeira no 38 - Patrono Elias de Mello Ayres
Olívio Alleoni – Cadeira n° 25 – Patrono: Francisco Lagreca
Paulo Celso Bassetti - Cadeira n° 39 - Patrono: José Luiz Guidotti
Rosaly Aparecida Curiacos de Almeida Leme - Cadeira n° 7 - Patrono: Helly de Campos Melges
Sílvia Regina de OLiveira - Cadeira no 22 - Patrono Erotides de Campos
Valdiza Maria Caprânico - Cadeira no 4 - Patrono Haldumont Nobre Ferraz
Vitor Pires Vencovsky - Cadeira no 30 - Patrono Jorge Anéfalos
Waldemar Romano - Cadeira n° 11 - Patrono: Benedito de Andrade
Walter Naime - Cadeira no 37 - Patrono Sebastião Ferraz