Rio Piracicaba

Rio Piracicaba
Rio Piracicaba cheio (foto Ivana Negri)

Patrimônio da cidade, a Sapucaia florida (foto Ivana Negri)

Balão atravessando a ponte estaiada (foto Ivana Negri)

Diretoria

Diretoria da Academia Piracicabana de Letras

Presidente– Gustavo Jacques Alvim
Vice-Presidente– Cassio Camilo Almeida de Negri
Primeiro Secretário – Carmen Maria da Silva Fernandes Pilotto
Segundo Secretário – Evaldo Vicente
Primeiro Tesoureiro – Antônio Carlos Fusatto
Segundo Tesoureiro – Waldemar Romano
Bibliotecária – Aracy Duarte Ferrari

Conselho Fiscal

Walter Naime
Cezário de Campos Ferrari

Editor e Jornalista Responsável
João Umberto Nassif

Conselho editorial

Antonio Carlos Neder
Ivana Maria França de Negri
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto
Myria Machado Botelho


Seguidores

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Eu erro, tu erras, ele erra...

Ivana Maria França de Negri - Cadeira n° 33
Patrono: Fernando Ferraz de Arruda
      Erros, erratas, revisores, um assunto que sempre vem à baila nas reuniões literárias. Para um escritor, constatar um erro numa publicação, quer seja de digitação, descuido ou falta de revisão, é motivo de muita angústia, já que um deslize publicado é praticamente impossível de consertar. Mesmo que erratas sejam providenciadas posteriormente, nem todos as leem, e o erro perpetua-se quando impresso em livros com centenas ou milhares de tiragens.
            Há anos coleciono recortes de jornais, revistas e outras publicações com erros de todo tipo, até em textos de autores consagrados e famosos, e dos mais conceituados jornais como o Estadão e a Folha.
Antigamente o serviço de um revisor era de primordial importância e os deslizes, imperdoáveis. Já hoje, com o corretor de texto do Word - nem sempre confiável - e com a ajuda de programas instalados para esse fim, tornou-se dispensável o trabalho do revisor.
            Nas redes sociais a rapidez da digitação faz com que as pessoas abreviem ao máximo as palavras, e surge uma nova linguagem, totalmente deturpada e indigerível para quem gosta de um texto bem elaborado.
            Para os poetas, erros em poemas são um martírio, pois podem mudar  completamente o sentido de um verso.
            Lembro-me de um poema meu que foi publicado com um erro de quem o digitou. Uma simples inversão de letras, e saiu “olhos da lama”, quando o correto seria “olhos da alma”. Foi um desastre porque mudou totalmente o sentido da poesia. Fiquei mortificada.
            Desastre maior aconteceu quando faleceu a grande poetisa piracicabana, Maria Cecília Bonachella, e a página que ela coordenava teve edição especial em sua homenagem com poemas dos inúmeros amigos poetas. Por uma falha, até hoje não sei por qual razão, todas as palavras acentuadas desapareceram. O resultado foi catastrófico. Ninguém se conformava. Um amigo poeta, que compôs um poema especialmente para a data, me ligou logo pela manhã, assim que leu o jornal, dizendo: “não sei se rio ou se choro!”. O poema dele tinha o título “Poetando no céu”. Retirem a letra acentuada para terem a real dimensão da tragédia...
Outros poemas tinham títulos como “O vôo da poetisa” e saiu publicado “O vo da poetisa”. No dia seguinte republicaram a coluna, desculpando-se com uma pequena errata, mas a tragédia já tinha se consumado e ninguém nunca se esqueceu do episódio.
Erratas à parte, sei que eu erro, tu erras, ele erra, nós erramos, vós errais e eles também erram. É claro que todo mundo tem o direito de cometer um vacilo, pois somos humanos e falíveis. Mas depois deste artigo, tenho a alma (e não a lama!) lavada.
E que atire a primeira pedra quem nunca cometeu um só deslize no manejo da nossa “última flor do Lácio inculta e bela”. E viva Bilac!









Nenhum comentário:

Galeria Acadêmica

Alexandre Sarkis Neder - Cadeira n° 13 - Patrono: Dario Brasil
André Bueno Oliveira - Cadeira n° 14 - Patrono: Branca Motta de Toledo Sachs
Antonio Carlos Fusatto - Cadeira n° 6 - Patrono: Nélio Ferraz de Arruda
Antonio Carlos Neder - Cadeira n° 15 - Patrono: Archimedes Dutra
Aracy Duarte Ferrari - Cadeira n° 16 - Patrono: José Mathias Bragion
Armando Alexandre dos Santos- Cadeira n° 10 - Patrono: Brasílio Machado
Barjas Negri - Cadeira no 5 - Patrono: Leandro Guerrini
Carla Ceres Oliveira Capeleti - Cadeira n° 17 - Patrono: Virgínia Prata Gregolin
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto - Cadeira n° 19 - Patrono: Ubirajara Malagueta Lara
Cássio Camilo Almeida de Negri - Cadeira n° 20 - Patrono: Benedito Evangelista da Costa
Cezário de Campos Ferrari - Cadeira n° 12 - Patrono: Ricardo Ferraz do Amaral
Edson Rontani Júnior - Cadeira n° 18 - Patrono: Madalena Salatti de Almeida
Elda Nympha Cobra Silveira - Cadeira n° 21 - Patrono: José Ferraz de Almeida Junior
Ésio Antonio Pezzato - cadeira no 31 - Patrono Victorio Angelo Cobra
Evaldo Vicente - Cadeira n° 23 - Patrono: Leo Vaz
Felisbino de Almeida Leme - Cadeira n° 8 - Patrono: Fortunato Losso Netto
Geraldo Victorino de França - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior
Gregorio Marchiori Netto - Cadeira n° 28 - Patrono: Delfim Ferreira da Rocha Neto
Gustavo Jacques Dias Alvim - Cadeira n° 29 - Patrono: Laudelina Cotrim de Castro
Ivana Maria França de Negri - Cadeira n° 33 - Patrono: Fernando Ferraz de Arruda
Jamil Nassif Abib (Mons.) - Cadeira n° 1 - Patrono: João Chiarini
João Baptista de Souza Negreiros Athayde - Cadeira n° 34 - Patrono: Adriano Nogueira
João Umberto Nassif - Cadeira n° 35 - Patrono: Prudente José de Moraes Barros
Leda Coletti - Cadeira n° 36 - Patrono: Olívia Bianco
Maria Helena Vieira Aguiar Corazza - Cadeira n° 3 - Patrono: Luiz de Queiroz
Marisa Amábile Fillet Bueloni - cadeira no32 - Patrono Thales castanho de Andrade
Marly Therezinha Germano Perecin - Cadeira n° 2 - Patrona: Jaçanã Althair Pereira Guerrini
Maria de Lourdes Piedade Sodero Martins - Cadeira n° 26 - Patrono: Nelson Camponês do Brasil
Mônica Aguiar Corazza Stefani - Cadeira n° 9 - Patrono: José Maria de Carvalho Ferreira
Myria Machado Botelho - Cadeira n° 24 - Patrono: Maria Cecília Machado Bonachela
Newman Ribeiro Simões - cadeira no 38 - Patrono Elias de Mello Ayres
Olívio Alleoni – Cadeira n° 25 – Patrono: Francisco Lagreca
Paulo Celso Bassetti - Cadeira n° 39 - Patrono: José Luiz Guidotti
Raquel Delvaje - Cadeira no 40 - Patrono Barão de Rezende
Rosaly Aparecida Curiacos de Almeida Leme - Cadeira n° 7 - Patrono: Helly de Campos Melges
Sílvia Regina de OLiveira - Cadeira no 22 - Patrono Erotides de Campos
Valdiza Maria Caprânico - Cadeira no 4 - Patrono Haldumont Nobre Ferraz
Vitor Pires Vencovsky - Cadeira no 30 - Patrono Jorge Anéfalos
Waldemar Romano - Cadeira n° 11 - Patrono: Benedito de Andrade
Walter Naime - Cadeira no 37 - Patrono Sebastião Ferraz