Rio Piracicaba

Rio Piracicaba
Rio Piracicaba cheio (foto Ivana Negri)

Patrimônio da cidade, a Sapucaia florida (foto Ivana Negri)

Balão atravessando a ponte estaiada (foto Ivana Negri)

Diretoria

Diretoria da Academia Piracicabana de Letras

Presidente– Gustavo Jacques Alvim
Vice-Presidente– Cassio Camilo Almeida de Negri
Primeiro Secretário – Carmen Maria da Silva Fernandes Pilotto
Segundo Secretário – Evaldo Vicente
Primeiro Tesoureiro – Antônio Carlos Fusatto
Segundo Tesoureiro – Waldemar Romano
Bibliotecária – Aracy Duarte Ferrari

Conselho Fiscal

Walter Naime
Cezário de Campos Ferrari

Editor e Jornalista Responsável
João Umberto Nassif

Conselho editorial

Antonio Carlos Neder
Ivana Maria França de Negri
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto
Myria Machado Botelho


Seguidores

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Natal

Lino Vitti Cadeira n° 37 - Patrono: Sebastião Ferraz                                       


       Parece incrível, mas já estamos chegando a mais um Natal, data em que a Humanidade resolve lembrar o nascimento de Cristo Salvador. Essa rapidez com que o tempo passa, para os cristãos, significa a inconsistência temporal da vida humana, a meditação da eternidade e, principalmente, a necessidade de bitolar a nossa vida na perseguição aos valores, atos e fatos que nos guiem os passos rumo ao fim último do homem, qual seja Deus.
Os bairros de minha infância – Santana e Santa Olímpia – graças a Deus, sempre souberam comemorar com toda a dignidade e espírito cristão essa importante data religiosa e, por quê não?, também civil. Lembro-me que desde pequenino meus avós, meus pais, meus tios e o tias, os irmãos mais velhos, se uniam todos em melhor comemorar a festividade santa do Natal, instalando sempre em cada lar, um presepe alusivo ao tradicional acontecimento. Esses presepes, sempre lindos para nossos olhos infantis, procuravam retratar quanto possível, o cenário de Belém, com a gruta, a manjedoura, os santos José e Maria, o Menino-Deus, o boi e o burrinho, os carneiros, os pastores, e três caminhos que vinham terminar em caminho único ao chegar próximo a manjedoura. E por que três caminhos? Ora, é que por eles viriam os Reis Magos visitar o Menino, a Criança Divina, e oferecer-lhe os presentes ouro, incenso e mirra. Esses Reis Magos, que não passavam de estatuetas, admirados pela nossa curiosidade infantil, percorriam aqueles caminhos representativos de seus reinos, durante 15 dias, mudados um pouquinho à frente, a cada dia, até o Dia de Reis, que era a 6 de Janeiro do ano seguinte. Ah! que inveja tinha eu daquela pessoa responsável pela viagem dos Magos que tinha autoridade para empurrá-los para diante! Como a gente “trabalhava” na cata do musgo quer ia servir de grama no presepe, na busca da areia branquinha para fazer os caminhozinhos, na descoberta de papelão colorido com que se fabricavam as casinhas dos pastores e os palácios dos Reis Magos, colocados em cada canto do tablado, o que para minha fantasia parecia estarem colocados a milhares de quilômetros distantes da gruta divinal, por isso levavam 15 dias (!!!) para chegarem até o Divino Infante.
Não sei se ainda aquelas comunidades montam presepes residenciais. Nota Dez (A, de hoje), para os que mantenham a tradição! Mas o mundo de nossos dias materializou aquilo que nunca pode ser materializado. Transformou o Natal em ocasião de comercialização, fazendo do Menino-Deus, um velho Papai-Noel, fazendo dos Santos Reis, uma legião de vendedores e poluidores da inocência infantil. Parece a mim e aos que me acompanharem nestas considerações, que a humanidade está se desviando para aquilo que certo filósofo do passado afirmou tristemente: “Deus não  existe”.
E  sem Deus o que é que nós iríamos fazer!

Nenhum comentário:

Galeria Acadêmica

Alexandre Sarkis Neder - Cadeira n° 13 - Patrono: Dario Brasil
André Bueno Oliveira - Cadeira n° 14 - Patrono: Branca Motta de Toledo Sachs
Antonio Carlos Fusatto - Cadeira n° 6 - Patrono: Nélio Ferraz de Arruda
Antonio Carlos Neder - Cadeira n° 15 - Patrono: Archimedes Dutra
Aracy Duarte Ferrari - Cadeira n° 16 - Patrono: José Mathias Bragion
Armando Alexandre dos Santos- Cadeira n° 10 - Patrono: Brasílio Machado
Barjas Negri - Cadeira no 5 - Patrono: Leandro Guerrini
Carla Ceres Oliveira Capeleti - Cadeira n° 17 - Patrono: Virgínia Prata Gregolin
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto - Cadeira n° 19 - Patrono: Ubirajara Malagueta Lara
Cássio Camilo Almeida de Negri - Cadeira n° 20 - Patrono: Benedito Evangelista da Costa
Cezário de Campos Ferrari - Cadeira n° 12 - Patrono: Ricardo Ferraz do Amaral
Edson Rontani Júnior - Cadeira n° 18 - Patrono: Madalena Salatti de Almeida
Elda Nympha Cobra Silveira - Cadeira n° 21 - Patrono: José Ferraz de Almeida Junior
Ésio Antonio Pezzato - cadeira no 31 - Patrono Victorio Angelo Cobra
Evaldo Vicente - Cadeira n° 23 - Patrono: Leo Vaz
Felisbino de Almeida Leme - Cadeira n° 8 - Patrono: Fortunato Losso Netto
Geraldo Victorino de França - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior
Gregorio Marchiori Netto - Cadeira n° 28 - Patrono: Delfim Ferreira da Rocha Neto
Gustavo Jacques Dias Alvim - Cadeira n° 29 - Patrono: Laudelina Cotrim de Castro
Ivana Maria França de Negri - Cadeira n° 33 - Patrono: Fernando Ferraz de Arruda
Jamil Nassif Abib (Mons.) - Cadeira n° 1 - Patrono: João Chiarini
João Baptista de Souza Negreiros Athayde - Cadeira n° 34 - Patrono: Adriano Nogueira
João Umberto Nassif - Cadeira n° 35 - Patrono: Prudente José de Moraes Barros
Leda Coletti - Cadeira n° 36 - Patrono: Olívia Bianco
Maria Helena Vieira Aguiar Corazza - Cadeira n° 3 - Patrono: Luiz de Queiroz
Marisa Amábile Fillet Bueloni - cadeira no32 - Patrono Thales castanho de Andrade
Marly Therezinha Germano Perecin - Cadeira n° 2 - Patrona: Jaçanã Althair Pereira Guerrini
Maria de Lourdes Piedade Sodero Martins - Cadeira n° 26 - Patrono: Nelson Camponês do Brasil
Mônica Aguiar Corazza Stefani - Cadeira n° 9 - Patrono: José Maria de Carvalho Ferreira
Myria Machado Botelho - Cadeira n° 24 - Patrono: Maria Cecília Machado Bonachela
Newman Ribeiro Simões - cadeira no 38 - Patrono Elias de Mello Ayres
Olívio Alleoni – Cadeira n° 25 – Patrono: Francisco Lagreca
Paulo Celso Bassetti - Cadeira n° 39 - Patrono: José Luiz Guidotti
Raquel Delvaje - Cadeira no 40 - Patrono Barão de Rezende
Rosaly Aparecida Curiacos de Almeida Leme - Cadeira n° 7 - Patrono: Helly de Campos Melges
Sílvia Regina de OLiveira - Cadeira no 22 - Patrono Erotides de Campos
Valdiza Maria Caprânico - Cadeira no 4 - Patrono Haldumont Nobre Ferraz
Vitor Pires Vencovsky - Cadeira no 30 - Patrono Jorge Anéfalos
Waldemar Romano - Cadeira n° 11 - Patrono: Benedito de Andrade
Walter Naime - Cadeira no 37 - Patrono Sebastião Ferraz