Rio Piracicaba

Rio Piracicaba
Rio Piracicaba cheio (foto Ivana Negri)

Patrimônio da cidade, a Sapucaia florida (foto Ivana Negri)

Balão atravessando a ponte estaiada (foto Ivana Negri)

Diretoria

Diretoria da Academia Piracicabana de Letras

Presidente– Gustavo Jacques Alvim
Vice-Presidente– Cassio Camilo Almeida de Negri
Primeiro Secretário – Carmen Maria da Silva Fernandes Pilotto
Segundo Secretário – Evaldo Vicente
Primeiro Tesoureiro – Antônio Carlos Fusatto
Segundo Tesoureiro – Waldemar Romano
Bibliotecária – Aracy Duarte Ferrari

Conselho Fiscal

Walter Naime
Cezário de Campos Ferrari

Editor e Jornalista Responsável
João Umberto Nassif

Conselho editorial

Antonio Carlos Neder
Ivana Maria França de Negri
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto
Myria Machado Botelho


Seguidores

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Bem-vindo, Guilherme!

 Marisa F. Bueloni
Cadeira no 32 - Patrono: Thales Castanho de Andrade

   Caro leitor, a vida é sonho. A vida é bela. Uns dirão: “Sim, até a página 12...”. Digo que pode ser um sonho a partir da página 13 também e pode chegar bela até o final deste livro que cada um escreve. Um novo capítulo a cada dia.
     Além do livro particular de cada alma na face da Terra, a vida cumpre um ciclo. Matéria divina, evento anunciado por anjos.
     Quando uma criança vem ao mudo e enche o quarto de uma casa com seu chorinho, a cômoda e as gavetas com suas roupinhas delicadas, o berço, as mantinhas, o cheirinho de perfume de bebê e sua feliz revoluçãozinha, a vida é bela.
     Basta escrever sobre esse serzinho cheio de graça, que começamos a usar o diminutivo nas palavras. É que o coração está neste transbordamento de carinho, ternura, enlevo.
     Estou vivendo mais um maravilhoso encantamento proporcionado pela vida em seu ciclo amoroso. Na terça-feira passada, quando saudei os leitores com um texto aludindo à diversidade da vida, já estava também, de certa forma, saudando Guilherme que ia chegar.
     Meu segundo neto veio ao mundo. Guilherme nasceu e seus olhinhos curiosos abrem-se, agora com uma semana de vida, para este mundo vasto mundo.
     Do meu imenso amor, peço a Deus que Guilherme cresça em estatura, sabedoria e graça. E que esta graça vinda dos céus seja lâmpada para seus pés, ao longo do caminho. Não falte a ele, jamais, a força divinal que revigora, educa e eleva.
     Hoje, Guilherme está completando uma semana de vida. E a vida que se espalha ao redor dele nos rejuvenesce a todos, porque nos torna joviais na beleza de acolhê-lo. Queremos estar na nossa melhor forma, para dar conta do que o pequenino precisar.
     Por uns dias, a vida dá uma parada. O mundo sumiu, de repente. Não se ligava a tevê no hospital e não se liga muito para as outras coisas. Perdem-se os telejornais, os campeonatos de futebol, as novelas e os filmes, porque o pequenino é agora o espetáculo maior, a cena mais bela e mais tocante.
     Penso que toda criança, ao nascer, consegue essa proeza de nos fazer esquecer tudo para estar com ela. Este clima de chegada perdura por um bom tempo em nosso meio e o novo ser torna-se o centro do universo.
     Olhamos com extremado afeto para um pequenino que nos faz sentir pessoas grandes e fortes, em prontidão, porque nossos braços cuidam de carregá-lo com a grandeza da solicitude e do amor. Ó que gigantes somos, quando o temos em nosso colo!
     Dedico esta crônica aos pequerruchos que estão chegando, aos papais de primeira viagem e aos já experientes. Aos avós orgulhosos, aos lares e famílias onde reina este reizinho todo poderoso, pronto a mudar a rotina da casa, os horários, os costumes, causando a mais bela revolução doméstica.
     Bendito seja todo parto. O parto de cada coisa criada e que brota de mãos laboriosas. O fruto de quem trabalha e produz. O parto das ideias, das realizações, da solidez e da concretude, primícias da mãe dando à luz o nascituro.
     Belo é o mistério da vida! Tão grandioso em sua essência! Fonte da nossa esperança, causa de nosso eterno assombro, razão da nossa fé!

Nenhum comentário:

Galeria Acadêmica

Alexandre Sarkis Neder - Cadeira n° 13 - Patrono: Dario Brasil
André Bueno Oliveira - Cadeira n° 14 - Patrono: Branca Motta de Toledo Sachs
Antonio Carlos Fusatto - Cadeira n° 6 - Patrono: Nélio Ferraz de Arruda
Antonio Carlos Neder - Cadeira n° 15 - Patrono: Archimedes Dutra
Aracy Duarte Ferrari - Cadeira n° 16 - Patrono: José Mathias Bragion
Armando Alexandre dos Santos- Cadeira n° 10 - Patrono: Brasílio Machado
Barjas Negri - Cadeira no 5 - Patrono: Leandro Guerrini
Carla Ceres Oliveira Capeleti - Cadeira n° 17 - Patrono: Virgínia Prata Gregolin
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto - Cadeira n° 19 - Patrono: Ubirajara Malagueta Lara
Cássio Camilo Almeida de Negri - Cadeira n° 20 - Patrono: Benedito Evangelista da Costa
Cezário de Campos Ferrari - Cadeira n° 12 - Patrono: Ricardo Ferraz do Amaral
Edson Rontani Júnior - Cadeira n° 18 - Patrono: Madalena Salatti de Almeida
Elda Nympha Cobra Silveira - Cadeira n° 21 - Patrono: José Ferraz de Almeida Junior
Ésio Antonio Pezzato - cadeira no 31 - Patrono Victorio Angelo Cobra
Evaldo Vicente - Cadeira n° 23 - Patrono: Leo Vaz
Felisbino de Almeida Leme - Cadeira n° 8 - Patrono: Fortunato Losso Netto
Geraldo Victorino de França - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior
Gregorio Marchiori Netto - Cadeira n° 28 - Patrono: Delfim Ferreira da Rocha Neto
Gustavo Jacques Dias Alvim - Cadeira n° 29 - Patrono: Laudelina Cotrim de Castro
Ivana Maria França de Negri - Cadeira n° 33 - Patrono: Fernando Ferraz de Arruda
Jamil Nassif Abib (Mons.) - Cadeira n° 1 - Patrono: João Chiarini
João Baptista de Souza Negreiros Athayde - Cadeira n° 34 - Patrono: Adriano Nogueira
João Umberto Nassif - Cadeira n° 35 - Patrono: Prudente José de Moraes Barros
Leda Coletti - Cadeira n° 36 - Patrono: Olívia Bianco
Maria Helena Vieira Aguiar Corazza - Cadeira n° 3 - Patrono: Luiz de Queiroz
Marisa Amábile Fillet Bueloni - cadeira no32 - Patrono Thales castanho de Andrade
Marly Therezinha Germano Perecin - Cadeira n° 2 - Patrona: Jaçanã Althair Pereira Guerrini
Maria de Lourdes Piedade Sodero Martins - Cadeira n° 26 - Patrono: Nelson Camponês do Brasil
Mônica Aguiar Corazza Stefani - Cadeira n° 9 - Patrono: José Maria de Carvalho Ferreira
Myria Machado Botelho - Cadeira n° 24 - Patrono: Maria Cecília Machado Bonachela
Newman Ribeiro Simões - cadeira no 38 - Patrono Elias de Mello Ayres
Olívio Alleoni – Cadeira n° 25 – Patrono: Francisco Lagreca
Paulo Celso Bassetti - Cadeira n° 39 - Patrono: José Luiz Guidotti
Raquel Delvaje - Cadeira no 40 - Patrono Barão de Rezende
Rosaly Aparecida Curiacos de Almeida Leme - Cadeira n° 7 - Patrono: Helly de Campos Melges
Sílvia Regina de OLiveira - Cadeira no 22 - Patrono Erotides de Campos
Valdiza Maria Caprânico - Cadeira no 4 - Patrono Haldumont Nobre Ferraz
Vitor Pires Vencovsky - Cadeira no 30 - Patrono Jorge Anéfalos
Waldemar Romano - Cadeira n° 11 - Patrono: Benedito de Andrade
Walter Naime - Cadeira no 37 - Patrono Sebastião Ferraz