Rio Piracicaba

Rio Piracicaba
Rio Piracicaba cheio (crédito da foto Ivana Negri)

Diretoria

Diretoria da Academia Piracicabana de Letras

Presidente– Gustavo Jacques Alvim
Vice-Presidente– Cassio Camilo Almeida de Negri
Primeiro Secretário – Carmen Maria da Silva Fernandes Pilotto
Segundo Secretário – Evaldo Vicente
Primeiro Tesoureiro – Antônio Carlos Fusatto
Segundo Tesoureiro – Waldemar Romano
Bibliotecária – Aracy Duarte Ferrari

Conselho Fiscal

Walter Naime
Cezário de Campos Ferrari

Editor e Jornalista Responsável
João Umberto Nassif

Conselho editorial

Antonio Carlos Neder
Ivana Maria França de Negri
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto
Myria Machado Botelho


Seguidores

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Contemplando...

 Marisa F. Bueloni
Cadeira no 32 - Patrono: Thales Castanho de Andrade


     Se existem claros sinais dos tempos, eles nos levam à contemplação. A alma percorre os caminhos insondáveis,  buscando por profundezas, profecias, segredos e mistérios.
     O dia é feito de luz, de uma textura homogênea, desde a manhã até o último raio de sol no horizonte. A alma se extasia nesta luz, por isso se casa tão bem com o dia e anima-se ao primeiro anúncio do alvorecer.
Alma e dia: ambos se entendem intimamente e ao menor ruído se recolhem. Desejam a paz suspirante das brisas, a quietude para se ouvir sons celestiais, vozes de anjos sussurando pressurosas. O céu se abre no pensamento e revela seus esplendores, a corte celeste, as moradas dos justos,  as almas dos santos, seu amor e sua paixão para com Aquele que é o verdadeiro Amor. Escolha dos que abraçaram a cruz e o sofrimento como graça, no caminho espinhoso e íngreme, sofrendo a “noite escura do espírito”.
     Oh, a longa noite da subida! A noite se contrapõe ao dia e se basta em si mesma, certa de que a humanidade a aproveita no sono reparador. Mas há o contigente que vive suas ilusões, excitado pelas luzes do noctívago transe. De dia, as duas partes se encontram, ambas exaustas dos sonhos e lutas.
     Todos lutamos, mal rompe a manhã. O dia traz o rumor das expectativas; a noite se fecha em sua própria vastidão. A noite nem sempre apaga a luz. Acendem-se, então, as estrelas no céu de cada coração. Supomos que muitos corações vivam o céu dentro de si, porque semearam amor e caridade, podendo colher os frutos da paz.
     O dia revela realidades visíveis, delícia dos olhos e dos sentidos; a noite nos aproxima de nós mesmos, num relacionamento natural. Para a “noite escura do espírito”, apresenta-se o “dia claro da alma”, força para o bom combate, ímpeto para pés que reiniciam a marcha primitiva e sobem, em silêncio, a santa montanha. Há uma multidão a caminho.
     Nos gestos das pessoas, nas vozes e nos olhares, há um frêmito constante, nervoso, necessário. No passo de quem vai cantando uma canção, de quem assobia, de quem anda como que indo ao encontro de algo especial. No entanto, por mais ansiosos, inquietos  ou sonhadores pareçam os que caminham, cada um sabe para onde deve ir, o que fazer, como se comportar diante dos problemas. Cada um sabe o que é melhor para si, numa sabedoria congênita. É o que mostra, quase sempre, a humana face.
     O dia é feito de luz, repito. E a noite a guarda para a manhã seguinte. Neste entreato contínuo, recomendo minhas intenções. Entre elas, digo assim: descansa, corpo meu, e recupera-te. Descansa, corpo, porque não sabes nada acerca do próximo ato. Mas combate de dia, como filho da luz.
     Descansa, corpo, que a alma está mergulhada no asssombro da espera e do desconhecido aviso. Uma multidão espera e tu estás ali, no meio, qual cabeça perdida na aglomeração dos pescoços levantados, olhando para o céu. Olha também nesta direção, como fazem tantos. Ergue tua cabeça, acalma teu coração e olha em direção do Altíssimo, que habita as santas alturas.


Nenhum comentário:

Galeria Acadêmica

Alexandre Sarkis Neder - Cadeira n° 13 - Patrono: Dario Brasil
André Bueno Oliveira - Cadeira n° 14 - Patrono: Branca Motta de Toledo Sachs
Antonio Carlos Fusatto - Cadeira n° 6 - Patrono: Nélio Ferraz de Arruda
Antonio Carlos Neder - Cadeira n° 15 - Patrono: Archimedes Dutra
Aracy Duarte Ferrari - Cadeira n° 16 - Patrono: José Mathias Bragion
Armando Alexandre dos Santos- Cadeira n° 10 - Patrono: Brasílio Machado
Carla Ceres Oliveira Capeleti - Cadeira n° 17 - Patrono: Virgínia Prata Gregolin
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto - Cadeira n° 19 - Patrono: Ubirajara Malagueta Lara
Cássio Camilo Almeida de Negri - Cadeira n° 20 - Patrono: Benedito Evangelista da Costa
Cezário de Campos Ferrari - Cadeira n° 12 - Patrono: Ricardo Ferraz do Amaral
Edson Rontani Júnior - Cadeira n° 18 - Patrono: Madalena Salatti de Almeida
Elda Nympha Cobra Silveira - Cadeira n° 21 - Patrono: José Ferraz de Almeida Junior
Ésio Antonio Pezzato - cadeira no 31 - Patrono Victorio Angelo Cobra
Evaldo Vicente - Cadeira n° 23 - Patrono: Leo Vaz
Felisbino de Almeida Leme - Cadeira n° 8 - Patrono: Fortunato Losso Netto
Geraldo Victorino de França - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior
Gregorio Marchiori Netto - Cadeira n° 28 - Patrono: Delfim Ferreira da Rocha Neto
Gustavo Jacques Dias Alvim - Cadeira n° 29 - Patrono: Laudelina Cotrim de Castro
Ivana Maria França de Negri - Cadeira n° 33 - Patrono: Fernando Ferraz de Arruda
Jamil Nassif Abib (Mons.) - Cadeira n° 1 - Patrono: João Chiarini
João Baptista de Souza Negreiros Athayde - Cadeira n° 34 - Patrono: Adriano Nogueira
João Umberto Nassif - Cadeira n° 35 - Patrono: Prudente José de Moraes Barros
Leda Coletti - Cadeira n° 36 - Patrono: Olívia Bianco
Maria Helena Vieira Aguiar Corazza - Cadeira n° 3 - Patrono: Luiz de Queiroz
Marisa Amábile Fillet Bueloni - cadeira no32 - Patrono Thales castanho de Andrade
Marly Therezinha Germano Perecin - Cadeira n° 2 - Patrona: Jaçanã Althair Pereira Guerrini
Maria de Lourdes Piedade Sodero Martins - Cadeira n° 26 - Patrono: Nelson Camponês do Brasil
Mônica Aguiar Corazza Stefani - Cadeira n° 9 - Patrono: José Maria de Carvalho Ferreira
Myria Machado Botelho - Cadeira n° 24 - Patrono: Maria Cecília Machado Bonachela
Newman Ribeiro Simões - cadeira no 38 - Patrono Elias de Mello Ayres
Olívio Alleoni – Cadeira n° 25 – Patrono: Francisco Lagreca
Paulo Celso Bassetti - Cadeira n° 39 - Patrono: José Luiz Guidotti
Rosaly Aparecida Curiacos de Almeida Leme - Cadeira n° 7 - Patrono: Helly de Campos Melges
Sílvia Regina de OLiveira - Cadeira no 22 - Patrono Erotides de Campos
Valdiza Maria Caprânico - Cadeira no 4 - Patrono Haldumont Nobre Ferraz
Vitor Pires Vencovsky - Cadeira no 30 - Patrono Jorge Anéfalos
Waldemar Romano - Cadeira n° 11 - Patrono: Benedito de Andrade
Walter Naime - Cadeira no 37 - Patrono Sebastião Ferraz