Rio Piracicaba

Rio Piracicaba
Rio Piracicaba cheio (crédito da foto Ivana Negri)

Diretoria

Diretoria da Academia Piracicabana de Letras

Presidente– Gustavo Jacques Alvim
Vice-Presidente– Cassio Camilo Almeida de Negri
Primeiro Secretário – Carmen Maria da Silva Fernandes Pilotto
Segundo Secretário – Evaldo Vicente
Primeiro Tesoureiro – Antônio Carlos Fusatto
Segundo Tesoureiro – Waldemar Romano
Bibliotecária – Aracy Duarte Ferrari

Conselho Fiscal

Walter Naime
Cezário de Campos Ferrari

Editor e Jornalista Responsável
João Umberto Nassif

Conselho editorial

Antonio Carlos Neder
Ivana Maria França de Negri
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto
Myria Machado Botelho


Seguidores

domingo, 22 de setembro de 2013

O sonho não acabou

 Marisa F. Bueloni
Cadeira no 32 - Patrono: Thales Castanho de Andrade

       Alguns amigos queridos, quase que sem o saber, estão sempre me inspirando. Sou fã deles e delas, leio seus textos e poemas, pego carona no sonho de cada um, no rastro de estrelas e pedaços de luar que vão deixando atrás de si. Pego na rabeira, me segurando para não cair na brecada da vida.
     O que seria de nós sem a influência bendita do que lemos, do que vemos e ouvimos? Uma frase solta, entreouvida no supermercado, ou de alguém no carro ao lado, em plena espera do farol, é matéria-prima para uma crônica do cotidiano. Abençoado momento de inspiração.
Alguém disse “no meu tempo”, e a expressão me reportou ao passado, embora ele esteja ali, bem pertinho, naquele lindo quarteirão onde ainda existe a nossa casa ancestral.
Quem não se lembra da casa onde morou quando criança? Eu lembro. O portãozinho gracioso rente à rua, a mureta encantadora para brincar de casinha, um jardim e a trepadeira agarrada às paredes do terraço sombreado.
     Que felicidade o quarto com uma janela dando para a magnífica visão do Paraíso: o quintal do vizinho, que deixava entrever a copa das árvores, os pés de frutas. Segundo o poeta, era o lugar mágico onde toda maçã nascia, todo balão caía.
     Não se pode falar de sonho e saudade sem falar das serenatas. Cadê a turma de violão em punho, pelas madrugadas, o sereno da noite e a voz que saía maviosa do peito apaixonado? A namorada lá dentro da casa tinha por obrigação acender uma luz externa, para indicar que estava acordada e ouvindo.
      Uma vez, meu pai, muito bravo com uma de minhas irmãs, não a deixava acender a luz. “Mas, pai, é falta de educação ficar de luz apagada com a serenata lá fora...”. Ela acendia, meu pai apagava. Eu era pequena, ainda não estava na idade de ganhar serenatas (depois ganhei muitas) e achava graça naquela briga deliciosa. Minha mãe andando de camisola pela casa, sonolenta, sem saber se ia contra ou a favor. O olhar de sofrimento da minha irmã! E a música romântica lá fora, tocando nossa alma. Que madrugada mais linda.
     Quem conseguia pegar no sono novamente, depois de uma cena daquelas? Puro sonho. Estas coisas maravilhosas somem da nossa frente como um sopro de fumaça. Ficamos perdidos, tateando aqui e ali, buscando o intangível.
     Lembro de uma valsa maravilhosa, “Rapaziada do Brás”, na voz inconfundível de Carlos Galhardo. Sim, os ternos madrigais, as noites de seresta, imagens de um passado que não volta mais. A letra diz assim: “Hoje os anos correm muito mais/ e as noites já não têm calor/ E uma saudade imensa / é tudo quanto resta ao velho trovador”.
     Felicidades, ó vida. Não deixes morrer o sonho que nos habita. Tu mereces uma felicitação pelo que fazes conosco, candidatos ao pó. Pois é nisto que nos tornaremos um dia. Meras cinzas, sinal de que uma fogueira poderosa nos consumia o tempo todo.
Que essa poeira de estrelas a que somos destinados nos reúna a todos num banquete, o mais belo e o mais eterno, onde a luz jamais se apaga. E lá, certamente, o sonho não terá fim...
                       

Nenhum comentário:

Galeria Acadêmica

Alexandre Sarkis Neder - Cadeira n° 13 - Patrono: Dario Brasil
André Bueno Oliveira - Cadeira n° 14 - Patrono: Branca Motta de Toledo Sachs
Antonio Carlos Fusatto - Cadeira n° 6 - Patrono: Nélio Ferraz de Arruda
Antonio Carlos Neder - Cadeira n° 15 - Patrono: Archimedes Dutra
Aracy Duarte Ferrari - Cadeira n° 16 - Patrono: José Mathias Bragion
Armando Alexandre dos Santos- Cadeira n° 10 - Patrono: Brasílio Machado
Carla Ceres Oliveira Capeleti - Cadeira n° 17 - Patrono: Virgínia Prata Gregolin
Edson Rontani Júnior - Cadeira n° 18 - Patrono: Madalena Salatti de Almeida
Ésio Antonio Pezzato - cadeira no 31 - Patrono Victorio Angelo Cobra
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto - Cadeira n° 19 - Patrono: Ubirajara Malagueta Lara
Cássio Camilo Almeida de Negri - Cadeira n° 20 - Patrono: Benedito Evangelista da Costa
Cezário de Campos Ferrari - Cadeira n° 12 - Patrono: Ricardo Ferraz do Amaral
Elda Nympha Cobra Silveira - Cadeira n° 21 - Patrono: José Ferraz de Almeida Junior
Evaldo Vicente - Cadeira n° 23 - Patrono: Leo Vaz
Felisbino de Almeida Leme - Cadeira n° 8 - Patrono: Fortunato Losso Netto
Geraldo Victorino de França - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior
Gregorio Marchiori Netto - Cadeira n° 28 - Patrono: Delfim Ferreira da Rocha Neto
Gustavo Jacques Dias Alvim - Cadeira n° 29 - Patrono: Laudelina Cotrim de Castro
Ivana Maria França de Negri - Cadeira n° 33 - Patrono: Fernando Ferraz de Arruda
Jamil Nassif Abib (Mons.) - Cadeira n° 1 - Patrono: João Chiarini
João Baptista de Souza Negreiros Athayde - Cadeira n° 34 - Patrono: Adriano Nogueira
João Umberto Nassif - Cadeira n° 35 - Patrono: Prudente José de Moraes Barros
Leda Coletti - Cadeira n° 36 - Patrono: Olívia Bianco
Maria Helena Vieira Aguiar Corazza - Cadeira n° 3 - Patrono: Luiz de Queiroz
Marisa Amábile Fillet Bueloni - cadeira no32 - Patrono Thales castanho de Andrade
Marly Therezinha Germano Perecin - Cadeira n° 2 - Patrona: Jaçanã Althair Pereira Guerrini
Maria de Lourdes Piedade Sodero Martins - Cadeira n° 26 - Patrono: Nelson Camponês do Brasil
Mônica Aguiar Corazza Stefani - Cadeira n° 9 - Patrono: José Maria de Carvalho Ferreira
Myria Machado Botelho - Cadeira n° 24 - Patrono: Maria Cecília Machado Bonachela
Newman Ribeiro Simões - cadeira no 38 - Patrono Elias de Mello Ayres
Olívio Alleoni – Cadeira n° 25 – Patrono: Francisco Lagreca
Paulo Celso Bassetti - Cadeira n° 39 - Patrono: José Luiz Guidotti
Rosaly Aparecida Curiacos de Almeida Leme - Cadeira n° 7 - Patrono: Helly de Campos Melges
Sílvia Regina de OLiveira - Cadeira no 22 - Patrono Erotides de Campos
Valdiza Maria Caprânico - Cadeira no 4 - Patrono Haldumont Nobre Ferraz
Vitor Pires Vencovsky - Cadeira no 30 - Patrono Jorge Anéfalos
Waldemar Romano - Cadeira n° 11 - Patrono: Benedito de Andrade
Walter Naime - Cadeira no 37 - Patrono Sebastião Ferraz