Rio Piracicaba

Rio Piracicaba
Rio Piracicaba cheio (crédito da foto Ivana Negri)

Diretoria

Diretoria da Academia Piracicabana de Letras

Presidente– Gustavo Jacques Alvim
Vice-Presidente– Cassio Camilo Almeida de Negri
Primeiro Secretário – Carmen Maria da Silva Fernandes Pilotto
Segundo Secretário – Evaldo Vicente
Primeiro Tesoureiro – Antônio Carlos Fusatto
Segundo Tesoureiro – Waldemar Romano
Bibliotecária – Aracy Duarte Ferrari

Conselho Fiscal

Walter Naime
Cezário de Campos Ferrari

Editor e Jornalista Responsável
João Umberto Nassif

Conselho editorial

Antonio Carlos Neder
Ivana Maria França de Negri
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto
Myria Machado Botelho


Seguidores

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

O MUNDO FICOU MAIS POBRE...

             

Maria Helena Vieira Aguiar Corazza - Cadeira no3 - Patrono: Luiz de Queiroz

        
            Um pouco antes de a primavera chegar, mais precisamente dia 12 de setembro passado, o mundo ficou mais pobre. A alegria se escondeu perplexa, medrosa, e devagarzinho os sorrisos esmaecidos se contiveram nas lágrimas que rolaram amargas e silenciosamente, sem acreditar repetindo muitas vezes: “Que pena”! E, a sensação de que a vida tinha ficado menor e mais triste, se instalou. É sabido que a morte acontece para qualquer um sem restrições, mas Isa, que tão cedo perdeu seu amado companheiro e continuou com total dignidade sua jornada com a família, a grande mãe, a grande avó, a grande amiga, acolhedora, boa, decente e corajosa, um grande ser humano a amparar (geralmente anonimamente), muitas vidas em nossa terra que ela tanto amou e respeitou... Tudo é pouco para se falar dessa mulher forte! Nada a derrubava, ela aceitava a vida como era. Era firme e “pé no chão”, e, gostava de viver!
Existem pessoas e pessoas na vida, gente boa a se estender por esta cidade e por este mundo a todo instante com suas lutas justas, seus desejos de serem uteis e ajudar com sua dedicação e trabalhos sem aparecer, e, muitas vezes para não receber elogios ou agradecimentos dos atos tão humanos que sabem fazer. Isa foi uma delas! Era especial! Despojada e benemérita por vocação, ela fazia por fazer, como respirar, porque gostava de ser atenciosa a muitos. O amor ao próximo era inerente à sua vida, atendia a todos, sem hora, simples e normalmente. Uma figura bonita e alegre, muito prática e elegante, emotiva quando recebia seus amigos proporcionando a todos, momentos e encontros todos iluminados, floridos e musicados, acrescidos de gentilezas e amizade sinceras, daí, todos aguardassem chegar logo, para estarem com ela.  Respeitosa e agradável nos seus gestos e ações positivas (às vezes até engraçada nos seus conselhos e comentários...), era muito capacitada sempre que requisitada, verbal e materialmente falando. Nunca dizia “não”, contudo sabia conduzir com firmeza filhos, família e amigos que a ouviam atenciosamente quando se fazia necessário. Era muito justa! Tinha atenção, delicadeza, carinho e compaixão pelas pessoas! Dicas e conselhos encontravam nela alívios e ensinamentos honestos e sóbrios, nada que fosse espalhafatoso e, tudo o que fosse coerência ou sensatez, acima de tudo. Piracicaba muito deve à Isaltina Ometto Silveira Melo pela sua participação sempre presente e generosa. Daí essa homenagem saudosa que nossa cidade lhe presta agora com muito carinho, mas, muita tristeza por sua partida deste mundo. Ela deixará muitas saudades!
 Sensível, tinha muita admiração por esse poema de Amado Nervo escritor mexicano (nascido em 1870 e morto em Montevidéu em 1919), sob o título “Em Paz”, e, que por uma incrível coincidência, retrata sua atuação na Terra, e que diz:
“No ocaso dos meus anos, eu te bendigo, Vida, porque nunca me deste nenhuma esperança falida, nem trabalhos injustos, ou luta imerecida. Vejo ao final deste duro caminho, que eu fui o arquiteto do meu próprio destino. Se das coisas extraí o mel ou o fel, foi por ter posto nelas, o fel ou as doçuras do mel. Quando cultivei os rosais, sempre colhi as rosas! É certo, à minha plenitude há de se seguir o inverno. Conheci sim, as longas noites das minhas penas, mas, tu não me prometeste somente noites serenas. Amei, fui amado, o sol acariciou minha face. Vida: nada me deves. Vida: estamos em Paz.”

Sem duvida alguma, o mundo ficou mais vazio e mais pobre de belezas, sem Isa aqui!

Nenhum comentário:

Galeria Acadêmica

Alexandre Sarkis Neder - Cadeira n° 13 - Patrono: Dario Brasil
André Bueno Oliveira - Cadeira n° 14 - Patrono: Branca Motta de Toledo Sachs
Antonio Carlos Fusatto - Cadeira n° 6 - Patrono: Nélio Ferraz de Arruda
Antonio Carlos Neder - Cadeira n° 15 - Patrono: Archimedes Dutra
Aracy Duarte Ferrari - Cadeira n° 16 - Patrono: José Mathias Bragion
Armando Alexandre dos Santos- Cadeira n° 10 - Patrono: Brasílio Machado
Carla Ceres Oliveira Capeleti - Cadeira n° 17 - Patrono: Virgínia Prata Gregolin
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto - Cadeira n° 19 - Patrono: Ubirajara Malagueta Lara
Cássio Camilo Almeida de Negri - Cadeira n° 20 - Patrono: Benedito Evangelista da Costa
Cezário de Campos Ferrari - Cadeira n° 12 - Patrono: Ricardo Ferraz do Amaral
Edson Rontani Júnior - Cadeira n° 18 - Patrono: Madalena Salatti de Almeida
Elda Nympha Cobra Silveira - Cadeira n° 21 - Patrono: José Ferraz de Almeida Junior
Ésio Antonio Pezzato - cadeira no 31 - Patrono Victorio Angelo Cobra
Evaldo Vicente - Cadeira n° 23 - Patrono: Leo Vaz
Felisbino de Almeida Leme - Cadeira n° 8 - Patrono: Fortunato Losso Netto
Geraldo Victorino de França - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior
Gregorio Marchiori Netto - Cadeira n° 28 - Patrono: Delfim Ferreira da Rocha Neto
Gustavo Jacques Dias Alvim - Cadeira n° 29 - Patrono: Laudelina Cotrim de Castro
Ivana Maria França de Negri - Cadeira n° 33 - Patrono: Fernando Ferraz de Arruda
Jamil Nassif Abib (Mons.) - Cadeira n° 1 - Patrono: João Chiarini
João Baptista de Souza Negreiros Athayde - Cadeira n° 34 - Patrono: Adriano Nogueira
João Umberto Nassif - Cadeira n° 35 - Patrono: Prudente José de Moraes Barros
Leda Coletti - Cadeira n° 36 - Patrono: Olívia Bianco
Maria Helena Vieira Aguiar Corazza - Cadeira n° 3 - Patrono: Luiz de Queiroz
Marisa Amábile Fillet Bueloni - cadeira no32 - Patrono Thales castanho de Andrade
Marly Therezinha Germano Perecin - Cadeira n° 2 - Patrona: Jaçanã Althair Pereira Guerrini
Maria de Lourdes Piedade Sodero Martins - Cadeira n° 26 - Patrono: Nelson Camponês do Brasil
Mônica Aguiar Corazza Stefani - Cadeira n° 9 - Patrono: José Maria de Carvalho Ferreira
Myria Machado Botelho - Cadeira n° 24 - Patrono: Maria Cecília Machado Bonachela
Newman Ribeiro Simões - cadeira no 38 - Patrono Elias de Mello Ayres
Olívio Alleoni – Cadeira n° 25 – Patrono: Francisco Lagreca
Paulo Celso Bassetti - Cadeira n° 39 - Patrono: José Luiz Guidotti
Rosaly Aparecida Curiacos de Almeida Leme - Cadeira n° 7 - Patrono: Helly de Campos Melges
Sílvia Regina de OLiveira - Cadeira no 22 - Patrono Erotides de Campos
Valdiza Maria Caprânico - Cadeira no 4 - Patrono Haldumont Nobre Ferraz
Vitor Pires Vencovsky - Cadeira no 30 - Patrono Jorge Anéfalos
Waldemar Romano - Cadeira n° 11 - Patrono: Benedito de Andrade
Walter Naime - Cadeira no 37 - Patrono Sebastião Ferraz