Rio Piracicaba

Rio Piracicaba
Rio Piracicaba cheio (crédito da foto Ivana Negri)

Diretoria

Diretoria da Academia Piracicabana de Letras

Presidente– Gustavo Jacques Alvim
Vice-Presidente– Cassio Camilo Almeida de Negri
Primeiro Secretário – Carmen Maria da Silva Fernandes Pilotto
Segundo Secretário – Evaldo Vicente
Primeiro Tesoureiro – Antônio Carlos Fusatto
Segundo Tesoureiro – Waldemar Romano
Bibliotecária – Aracy Duarte Ferrari

Conselho Fiscal

Walter Naime
Cezário de Campos Ferrari

Editor e Jornalista Responsável
João Umberto Nassif

Conselho editorial

Antonio Carlos Neder
Ivana Maria França de Negri
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto
Myria Machado Botelho


Seguidores

terça-feira, 18 de março de 2014

O BOM COMBATE

 Marisa F. Bueloni
Cadeira no 32 - Patrono: Thales Castanho de Andrade

     A vida é um poema. E não fui eu que inventei isso. Vejo em toda parte uma poesia que se exibe e se expõe. O mapa da noite é um só e desenha mais que continentes e litorais. A luz do dia maravilhoso me permite ver ainda melhor. Vejo poesia nos objetos que toco pela casa, no guardanapo que enxuga a louça, nas roupas que visto, no teclado do meu computador.
            Trata-se de uma poesia que permeia cada passo e cada momento, deixando gravada suas digitais no zelo com que se reconstitui a vida, em sua exata definição.
     Não sei definir a vida, claro, e tampouco ousaria. Contudo, a cada instante, um novo sopro vital infla-me o peito e sinto um inenarrável amor pelo que me cerca, um vivo interesse por todas as coisas criadas, cada qual cumprindo sua função no universo.
     Ah, o arqueológico trabalho de escavar lembranças, buscando suas origens e razões. Nossa alma, entre gratificada e atônita, recorre ao expediente da saudade, num súbito instinto de autopreservação. Nada escapa ao trágico e belo olho da memória.
     Eis que este senso primoroso faz de nós especialistas em nós mesmos. Está tudo na palma da mão, tudo aquilo que é espelho da nossa própria imagem. Narciso atualmente construído por meio de “selfies” e demais recursos que incensam e endeusam as faces em movimento.
     Há força e fragilidade em todos nós. Eis o poema em toda a sua glória e plenitude. Literário ou não, ele repousa entre a luta pelo pão de cada dia e a riqueza dos que constroem Dubai, sobrevivendo à crise, no luxo do Burj Al Arab.
     Na contramão do previsível, há um poema pequenino, que mais se esconde do que se mostra, porque prefere o apagamento, o anonimato e a solidão. Na nudez de toda intimidade, há o reconhecimento de nossa ambivalência e de uma latente inclinação para extremos. Então, todo cuidado é pouco.
     Sidarta descobriu o chamado “Caminho do Meio”. Mais ou menos assim: “Se esticar demais, a corda arrebenta; se ficar frouxa, não produz som”. Desta premissa, nasceu a sabedoria do necessário equilíbrio, a mesma harmonia cósmica que rege todas as coisas, todos os planetas em suas respectivas órbitas, denso mistério para as criaturas humanas.
     São tantos os prodígios de hoje. Os dedos digitam números e por eles uma voz é ouvida. Sonoro poema, lírico fonema. Quilômetros são vencidos em paz, ao toque de um teclado silencioso. Quero enumerar algumas doçuras essenciais: a textura do lençol que se acabou de trocar; o canto estridente da cigarra (elas sumiram?) anunciando o verão; um canteiro onde se plantou amor além de flores; a música de um rádio ligado; o lápis e a borracha; a bênção de um copo de água; a caixa de fósforos e uma vela acesa com fé.
     Esta fé que faz da crônica semanal um poema de amor e de esperança. Escrever é vocação irreprimível e pedimos todas as licenças poéticas de plantão, para levarmos adiante este canto que não cessa. Nada pode cooptar a força do alfabeto sem que este o permita. E que toda a palavra nos conduza ao bom combate.

Nenhum comentário:

Galeria Acadêmica

Alexandre Sarkis Neder - Cadeira n° 13 - Patrono: Dario Brasil
André Bueno Oliveira - Cadeira n° 14 - Patrono: Branca Motta de Toledo Sachs
Antonio Carlos Fusatto - Cadeira n° 6 - Patrono: Nélio Ferraz de Arruda
Antonio Carlos Neder - Cadeira n° 15 - Patrono: Archimedes Dutra
Aracy Duarte Ferrari - Cadeira n° 16 - Patrono: José Mathias Bragion
Armando Alexandre dos Santos- Cadeira n° 10 - Patrono: Brasílio Machado
Carla Ceres Oliveira Capeleti - Cadeira n° 17 - Patrono: Virgínia Prata Gregolin
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto - Cadeira n° 19 - Patrono: Ubirajara Malagueta Lara
Cássio Camilo Almeida de Negri - Cadeira n° 20 - Patrono: Benedito Evangelista da Costa
Cezário de Campos Ferrari - Cadeira n° 12 - Patrono: Ricardo Ferraz do Amaral
Edson Rontani Júnior - Cadeira n° 18 - Patrono: Madalena Salatti de Almeida
Elda Nympha Cobra Silveira - Cadeira n° 21 - Patrono: José Ferraz de Almeida Junior
Ésio Antonio Pezzato - cadeira no 31 - Patrono Victorio Angelo Cobra
Evaldo Vicente - Cadeira n° 23 - Patrono: Leo Vaz
Felisbino de Almeida Leme - Cadeira n° 8 - Patrono: Fortunato Losso Netto
Geraldo Victorino de França - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior
Gregorio Marchiori Netto - Cadeira n° 28 - Patrono: Delfim Ferreira da Rocha Neto
Gustavo Jacques Dias Alvim - Cadeira n° 29 - Patrono: Laudelina Cotrim de Castro
Ivana Maria França de Negri - Cadeira n° 33 - Patrono: Fernando Ferraz de Arruda
Jamil Nassif Abib (Mons.) - Cadeira n° 1 - Patrono: João Chiarini
João Baptista de Souza Negreiros Athayde - Cadeira n° 34 - Patrono: Adriano Nogueira
João Umberto Nassif - Cadeira n° 35 - Patrono: Prudente José de Moraes Barros
Leda Coletti - Cadeira n° 36 - Patrono: Olívia Bianco
Maria Helena Vieira Aguiar Corazza - Cadeira n° 3 - Patrono: Luiz de Queiroz
Marisa Amábile Fillet Bueloni - cadeira no32 - Patrono Thales castanho de Andrade
Marly Therezinha Germano Perecin - Cadeira n° 2 - Patrona: Jaçanã Althair Pereira Guerrini
Maria de Lourdes Piedade Sodero Martins - Cadeira n° 26 - Patrono: Nelson Camponês do Brasil
Mônica Aguiar Corazza Stefani - Cadeira n° 9 - Patrono: José Maria de Carvalho Ferreira
Myria Machado Botelho - Cadeira n° 24 - Patrono: Maria Cecília Machado Bonachela
Newman Ribeiro Simões - cadeira no 38 - Patrono Elias de Mello Ayres
Olívio Alleoni – Cadeira n° 25 – Patrono: Francisco Lagreca
Paulo Celso Bassetti - Cadeira n° 39 - Patrono: José Luiz Guidotti
Rosaly Aparecida Curiacos de Almeida Leme - Cadeira n° 7 - Patrono: Helly de Campos Melges
Sílvia Regina de OLiveira - Cadeira no 22 - Patrono Erotides de Campos
Valdiza Maria Caprânico - Cadeira no 4 - Patrono Haldumont Nobre Ferraz
Vitor Pires Vencovsky - Cadeira no 30 - Patrono Jorge Anéfalos
Waldemar Romano - Cadeira n° 11 - Patrono: Benedito de Andrade
Walter Naime - Cadeira no 37 - Patrono Sebastião Ferraz