Rio Piracicaba

Rio Piracicaba
Rio Piracicaba cheio (foto Ivana Negri)

Patrimônio da cidade, a Sapucaia florida (foto Ivana Negri)

Balão atravessando a ponte estaiada (foto Ivana Negri)

Diretoria

Diretoria da Academia Piracicabana de Letras

Presidente– Gustavo Jacques Alvim
Vice-Presidente– Cassio Camilo Almeida de Negri
Primeiro Secretário – Carmen Maria da Silva Fernandes Pilotto
Segundo Secretário – Evaldo Vicente
Primeiro Tesoureiro – Antônio Carlos Fusatto
Segundo Tesoureiro – Waldemar Romano
Bibliotecária – Aracy Duarte Ferrari

Conselho Fiscal

Walter Naime
Cezário de Campos Ferrari

Editor e Jornalista Responsável
João Umberto Nassif

Conselho editorial

Antonio Carlos Neder
Ivana Maria França de Negri
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto
Myria Machado Botelho


Seguidores

sábado, 2 de agosto de 2014

AS VOVÓS

 Acadêmica Myria Machado Botelho
Cadeira n° 24 - Patrona: Maria Cecília Machado Bonachella

              26 de julho, dia de São Joaquim e Santana, pais de Nossa Senhora e avós de Jesus, quase passa despercebido como o dia dos avós, configurando uma injustiça.
            Sou vovó de oito netos, sete bisnetos e mais uma a caminho, e creio poder dizer que todos eles conviveram e convivem comigo desde que nasceram e não são poucas as doces lembranças desse convívio quando, em alguns, troquei as primeiras fraldas e dei os primeiros banhos. Embalei-os no aconchego do colo, da cadeira de balanço, dos cafunés e das canções de ninar. Havia um tempo para as histórias reais e imaginárias que até hoje repito e acrescento para os mais novos; inicia-se ali um aprendizado no mundo da imaginação e da fantasia, alicerce do sonho tão necessário na difícil batalha da vida. A expressão nova e bela de olhos atentos e ouvidos prontos, junto de tantas manifestações e porquês, se repete e caminha no tempo, sempre a determinar outras fases, outros objetivos, outras circunstâncias. É o mundo que se abre diante deles para descortinar a beleza das descobertas e dos encantos da vida. O que, hoje, infelizmente, não acontece para muitos pequeninos que, depois de crescidos não conheceram as delícias desse aconchego.
            Vivendo e participando de sonhos e conquistas, fracassos e vitorias, decepções e alegrias, respeitando seus espaços ou interferindo às vezes, brinquei, corri, dancei, cantei, me diverti e chorei com eles. Até hoje, ainda canto, danço e me escondo com minha neta caçula e a nova geração dos bisnetos, procurando sempre fazer presença nos momentos importantes de uma caminhada que não cessou e não cessará enquanto eu viver e tiver forças para estar ao lado deles . Não somente contribuo e aconselho, como também aprendo e muito; não  somente escuto, como também extravaso minhas dúvidas e dores, e ouço sugestões e críticas. Devo dizer, com certeza, que meus netos e minha família constituem uma das razões principais de minha vida.
            Sem falar do lado triste do abandono e das carências do afeto e do necessário acompanhamento, as crianças de hoje são vítimas das intromissões nefastas do mundo dos adultos, da terceirização, dos conceitos estúpidos que substituem os sentimentos verdadeiros e simples, sobretudo a tecnologia dos aparelhos e dos robôs que ameaça inclusive a substituição humana. Não vai tardar muito o tempo das babás eletrônicas mais eficientes, aliás já temos algumas como a TV e os celulares.

            Um grande número de pseudoeducadores, ideológicos de teorias que nunca conviveram com crianças, e políticos desinformados que proliferam como pragas, em vez de se deterem nos problemas que realmente afetam os pequenos propõem certas aberrações “politicamente corretas” que só trazem confusão e prejudicam, criando, isto sim, o preconceito e o estigma, tais como alterações em histórias e cânticos  milenares, incluídas as deliciosas histórias de Monteiro Lobato,   que tanto coloriu e fez sonhar o mundo infantil. A  última dessas aberrações  é a lei das palmadas que concede aos pequenos mais uma liberdade a seus desregramentos. Sou do tempo muito saudável da liberdade que impunha deveres e obrigações comportamentais, limites que educam e formam o caráter e a dignidade; algumas vezes, as palmadas necessárias, ajudaram-me bastante sem causarem traumas. Acredito que muitas vovós  se identificam comigo e, como eu, elevam a Deus uma ação de graças pela vida  e o convívio tão belo e enriquecedor que nos é dado.

Nenhum comentário:

Galeria Acadêmica

Alexandre Sarkis Neder - Cadeira n° 13 - Patrono: Dario Brasil
André Bueno Oliveira - Cadeira n° 14 - Patrono: Branca Motta de Toledo Sachs
Antonio Carlos Fusatto - Cadeira n° 6 - Patrono: Nélio Ferraz de Arruda
Antonio Carlos Neder - Cadeira n° 15 - Patrono: Archimedes Dutra
Aracy Duarte Ferrari - Cadeira n° 16 - Patrono: José Mathias Bragion
Armando Alexandre dos Santos- Cadeira n° 10 - Patrono: Brasílio Machado
Carla Ceres Oliveira Capeleti - Cadeira n° 17 - Patrono: Virgínia Prata Gregolin
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto - Cadeira n° 19 - Patrono: Ubirajara Malagueta Lara
Cássio Camilo Almeida de Negri - Cadeira n° 20 - Patrono: Benedito Evangelista da Costa
Cezário de Campos Ferrari - Cadeira n° 12 - Patrono: Ricardo Ferraz do Amaral
Edson Rontani Júnior - Cadeira n° 18 - Patrono: Madalena Salatti de Almeida
Elda Nympha Cobra Silveira - Cadeira n° 21 - Patrono: José Ferraz de Almeida Junior
Ésio Antonio Pezzato - cadeira no 31 - Patrono Victorio Angelo Cobra
Evaldo Vicente - Cadeira n° 23 - Patrono: Leo Vaz
Felisbino de Almeida Leme - Cadeira n° 8 - Patrono: Fortunato Losso Netto
Geraldo Victorino de França - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior
Gregorio Marchiori Netto - Cadeira n° 28 - Patrono: Delfim Ferreira da Rocha Neto
Gustavo Jacques Dias Alvim - Cadeira n° 29 - Patrono: Laudelina Cotrim de Castro
Ivana Maria França de Negri - Cadeira n° 33 - Patrono: Fernando Ferraz de Arruda
Jamil Nassif Abib (Mons.) - Cadeira n° 1 - Patrono: João Chiarini
João Baptista de Souza Negreiros Athayde - Cadeira n° 34 - Patrono: Adriano Nogueira
João Umberto Nassif - Cadeira n° 35 - Patrono: Prudente José de Moraes Barros
Leda Coletti - Cadeira n° 36 - Patrono: Olívia Bianco
Maria Helena Vieira Aguiar Corazza - Cadeira n° 3 - Patrono: Luiz de Queiroz
Marisa Amábile Fillet Bueloni - cadeira no32 - Patrono Thales castanho de Andrade
Marly Therezinha Germano Perecin - Cadeira n° 2 - Patrona: Jaçanã Althair Pereira Guerrini
Maria de Lourdes Piedade Sodero Martins - Cadeira n° 26 - Patrono: Nelson Camponês do Brasil
Mônica Aguiar Corazza Stefani - Cadeira n° 9 - Patrono: José Maria de Carvalho Ferreira
Myria Machado Botelho - Cadeira n° 24 - Patrono: Maria Cecília Machado Bonachela
Newman Ribeiro Simões - cadeira no 38 - Patrono Elias de Mello Ayres
Olívio Alleoni – Cadeira n° 25 – Patrono: Francisco Lagreca
Paulo Celso Bassetti - Cadeira n° 39 - Patrono: José Luiz Guidotti
Rosaly Aparecida Curiacos de Almeida Leme - Cadeira n° 7 - Patrono: Helly de Campos Melges
Sílvia Regina de OLiveira - Cadeira no 22 - Patrono Erotides de Campos
Valdiza Maria Caprânico - Cadeira no 4 - Patrono Haldumont Nobre Ferraz
Vitor Pires Vencovsky - Cadeira no 30 - Patrono Jorge Anéfalos
Waldemar Romano - Cadeira n° 11 - Patrono: Benedito de Andrade
Walter Naime - Cadeira no 37 - Patrono Sebastião Ferraz