Rio Piracicaba

Rio Piracicaba
Rio Piracicaba cheio (foto Ivana Negri)

Patrimônio da cidade, a Sapucaia florida (foto Ivana Negri)

Balão atravessando a ponte estaiada (foto Ivana Negri)

Diretoria

Diretoria da Academia Piracicabana de Letras

Presidente– Gustavo Jacques Alvim
Vice-Presidente– Cassio Camilo Almeida de Negri
Primeiro Secretário – Carmen Maria da Silva Fernandes Pilotto
Segundo Secretário – Evaldo Vicente
Primeiro Tesoureiro – Antônio Carlos Fusatto
Segundo Tesoureiro – Waldemar Romano
Bibliotecária – Aracy Duarte Ferrari

Conselho Fiscal

Walter Naime
Cezário de Campos Ferrari

Editor e Jornalista Responsável
João Umberto Nassif

Conselho editorial

Antonio Carlos Neder
Ivana Maria França de Negri
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto
Myria Machado Botelho


Seguidores

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Aos namorados de todos os tempos

 Acadêmica Myria Machado Botelho
Cadeira n° 24 - Patrona: Maria Cecília Machado Bonachella


 Não me acusem de pessimismo  quando, com sinceridade, proclamo que a energia extraordinária do amor , do amor que dá sentido à vida, já não vibra com a mesma intensidade, em razão de um crescente desencanto nos relacionamentos.
A febre consumista criada pela propaganda, gerou uma concepção de valores que teve grande influência nas últimas gerações.  A conquista da felicidade estaria em possuir quanto mais, e a mulher, de maneira inconsciente aderiu a este esquema, tornando-se , ela própria,  um objeto de consumo.
Nossos meios de comunicação, muito falhos, com raras exceções, não estimulam a boa leitura, a boa música, o lazer saudável, enfim, as necessidades fundamentais do ser humano no terreno espiritual, no sentido de  ajuda-lo e fortalece-lo contra o ritmo frenético e desgastante do mundo.
Quase tudo é feito  na base da alienação, da estridência.  Em qualquer festa familiar, nos bares e nas balada noturnas, o diálogo é quase impossível e a comunicação é gestual, porque o som ultrapassa os limites dos decibéis permitidos. A vodka, a cerveja e similares , para não mencionar as drogas mais pesadas, constituem elementos indispensáveis e naturais.  Os jovens que, desde cedo, não conheceram outras opções, consideram “caretice”, o contrário de tudo isso.  O gosto desvirtuou-se e a qualidade é ruim.
Não vai muito longe o tempo em que se aprendia, a mulher em especial, o comportamento social.  As boas maneiras vinham do berço, por meio do exemplo e da correção dos mais velhos ou até de professores especializados.  A postura, a elegância, o modo de falar, de andar, de dançar e de se conduzir à mesa, a arte de se escolher assuntos apropriados e o tratamento adequado eram exigências que, hoje, deram lugar à deseducação, ao desrespeito, à maneira relaxada.  E note-se que, não somente os jovens, mas também os “coroas” entraram na onda e apostam para ganhar.
Com tudo isso ocorreu um enorme desgaste.  Igualando-se ao homem nas atitudes, a mulher tornou-se desinteressante, abdicou da surpresa, do mistério, das sutilezas,  do encanto da feminilidade que a distinguia.  Sua conduta andrógina e sem qualquer recato inflacionou;  é ela  quem  procura , é ela quem  assume e toma as iniciativas.  Talvez seja esta uma das causas do crescente homossexualismo - o desinteresse estabelecido.
Será possível uma regressão?  A resposta, deixo-a para os que me acompanharam até aqui.  Gostaria de, num tempo bem próximo, desdizer tudo, e proclamar bem alto que jovens  na idade e no espírito, imbuíram-se da convicção de que a felicidade é muito mais do que um sonho;  é uma conquista feita de aperfeiçoamento e decisão.
Deus nos dá a cada um apenas a matéria prima.  Compete-nos, através  do esforço incessante, de um paciente trabalho sobre nós mesmos, trabalhar essa matéria, polindo, lavrando, retocando, embelezando, até que ela se torne uma obra-prima, não exterior, mas principalmente interior. Essa obra se chama uma nobre alma, um espírito versátil, passível de experimentar e merecer a verdadeira felicidade!

Nenhum comentário:

Galeria Acadêmica

Alexandre Sarkis Neder - Cadeira n° 13 - Patrono: Dario Brasil
André Bueno Oliveira - Cadeira n° 14 - Patrono: Branca Motta de Toledo Sachs
Antonio Carlos Fusatto - Cadeira n° 6 - Patrono: Nélio Ferraz de Arruda
Antonio Carlos Neder - Cadeira n° 15 - Patrono: Archimedes Dutra
Aracy Duarte Ferrari - Cadeira n° 16 - Patrono: José Mathias Bragion
Armando Alexandre dos Santos- Cadeira n° 10 - Patrono: Brasílio Machado
Carla Ceres Oliveira Capeleti - Cadeira n° 17 - Patrono: Virgínia Prata Gregolin
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto - Cadeira n° 19 - Patrono: Ubirajara Malagueta Lara
Cássio Camilo Almeida de Negri - Cadeira n° 20 - Patrono: Benedito Evangelista da Costa
Cezário de Campos Ferrari - Cadeira n° 12 - Patrono: Ricardo Ferraz do Amaral
Edson Rontani Júnior - Cadeira n° 18 - Patrono: Madalena Salatti de Almeida
Elda Nympha Cobra Silveira - Cadeira n° 21 - Patrono: José Ferraz de Almeida Junior
Ésio Antonio Pezzato - cadeira no 31 - Patrono Victorio Angelo Cobra
Evaldo Vicente - Cadeira n° 23 - Patrono: Leo Vaz
Felisbino de Almeida Leme - Cadeira n° 8 - Patrono: Fortunato Losso Netto
Geraldo Victorino de França - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior
Gregorio Marchiori Netto - Cadeira n° 28 - Patrono: Delfim Ferreira da Rocha Neto
Gustavo Jacques Dias Alvim - Cadeira n° 29 - Patrono: Laudelina Cotrim de Castro
Ivana Maria França de Negri - Cadeira n° 33 - Patrono: Fernando Ferraz de Arruda
Jamil Nassif Abib (Mons.) - Cadeira n° 1 - Patrono: João Chiarini
João Baptista de Souza Negreiros Athayde - Cadeira n° 34 - Patrono: Adriano Nogueira
João Umberto Nassif - Cadeira n° 35 - Patrono: Prudente José de Moraes Barros
Leda Coletti - Cadeira n° 36 - Patrono: Olívia Bianco
Maria Helena Vieira Aguiar Corazza - Cadeira n° 3 - Patrono: Luiz de Queiroz
Marisa Amábile Fillet Bueloni - cadeira no32 - Patrono Thales castanho de Andrade
Marly Therezinha Germano Perecin - Cadeira n° 2 - Patrona: Jaçanã Althair Pereira Guerrini
Maria de Lourdes Piedade Sodero Martins - Cadeira n° 26 - Patrono: Nelson Camponês do Brasil
Mônica Aguiar Corazza Stefani - Cadeira n° 9 - Patrono: José Maria de Carvalho Ferreira
Myria Machado Botelho - Cadeira n° 24 - Patrono: Maria Cecília Machado Bonachela
Newman Ribeiro Simões - cadeira no 38 - Patrono Elias de Mello Ayres
Olívio Alleoni – Cadeira n° 25 – Patrono: Francisco Lagreca
Paulo Celso Bassetti - Cadeira n° 39 - Patrono: José Luiz Guidotti
Rosaly Aparecida Curiacos de Almeida Leme - Cadeira n° 7 - Patrono: Helly de Campos Melges
Sílvia Regina de OLiveira - Cadeira no 22 - Patrono Erotides de Campos
Valdiza Maria Caprânico - Cadeira no 4 - Patrono Haldumont Nobre Ferraz
Vitor Pires Vencovsky - Cadeira no 30 - Patrono Jorge Anéfalos
Waldemar Romano - Cadeira n° 11 - Patrono: Benedito de Andrade
Walter Naime - Cadeira no 37 - Patrono Sebastião Ferraz