Rio Piracicaba

Rio Piracicaba
Rio Piracicaba cheio (crédito da foto Ivana Negri)

Diretoria

Diretoria da Academia Piracicabana de Letras

Presidente– Gustavo Jacques Alvim
Vice-Presidente– Cassio Camilo Almeida de Negri
Primeiro Secretário – Carmen Maria da Silva Fernandes Pilotto
Segundo Secretário – Evaldo Vicente
Primeiro Tesoureiro – Antônio Carlos Fusatto
Segundo Tesoureiro – Waldemar Romano
Bibliotecária – Aracy Duarte Ferrari

Conselho Fiscal

Walter Naime
Cezário de Campos Ferrari

Editor e Jornalista Responsável
João Umberto Nassif

Conselho editorial

Antonio Carlos Neder
Ivana Maria França de Negri
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto
Myria Machado Botelho


Seguidores

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

LEITURAS MÁGICAS

Elda Nympha Cobra Silveira
Cadeira n° 21 - Patrono: José Ferraz de Almeida Junior  


Ao longo da vida, quem gosta de ler, obviamente vai se inteirando de temas que os livros trazem para nos dar prazer e cultura. E esse prazer vai se ampliando á medida que aumentam nossos anos de leitura envolvente, cheirosa, sim cheirosa, porque o olfato se delicia com o perfume das folhas viradas em sequência.
Seu  cheiro é uma combinação de grama, ácidos, baunilha e mofo.  Mas, ao contrário do que pensa o senso comum, os primeiros livros impressos sobreviveram por mais de 500 anos devido à pureza do papel. Quando entramos nesses lugares onde se vendem livros usados e antigos, sentimos aquele aroma particular de livros envelhecidos pelo tempo. Alguns amam o cheiro e outros o detestam. Depende da idade o tema que nos agrada.
Quando criança gostávamos de livros infantis e cheio de figuras, que os tornavam mais chamativos para ajudar a criar os personagens na nossa imaginação como os de Monteiro Lobato com “Caçadas de Pedrinho” que ganhei da minha madrinha, Fábulas dos Irmãos Grimm com a história do Chapeuzinho Vermelho, Esopo que escreveu  “A Raposa e as Uvas” e “A Cigarra e a Formiga”, Perrault “A Bela Adormecida”,  Andersen que escreveu “João e Maria”, Carrol nos conta sobre “Alice no Pais das Maravilhas”, e em 1980 Ziraldo com “O Menino Maluquinho” foi ao auge, Mauricio de Souza com A Turma da Monica, Lewis Clive com as “Crônicas de Nárnia”.
Já na adolescência  temos um diferencial, por causa dos hormônios, que estavam despertando, preferíamos romances se fossemos  garotas e os meninos revistas  de super-heróis, e assim sucessivamente íamos transformando nosso gosto pelas leituras, de acordo com a faixa etária.
Várias décadas atrás a juventude amava ler livros de M. Delly, Agatha Cristhie, romances para adolescentes, Erico Veríssimo, Machado de Assis, e outros bem famosos como “A Moreninha” “O cortiço”. “Moby Dick”, “O pequeno Príncipe”, “O Retrato de Dorian Gray”, “Dom Quixote”, “Orgulho e Preconceito” de Jane Austen, “A escrava Isaura” de Bernardo Guimarães.
Em sequência vieram os livros de Julio Verne, clássicos da literatura que até hoje alimentam o imaginário das pessoas e que foi adaptado ao cinema, como também  “Moby Dick”, “Vinte Mil léguas Submarinas”, Hemingway, “A metamorfose”, de Francis Kafka, “O Morro dos Ventos Uivantes” de Emily Brontë.
Jorge Amado com “Capitães de Areia”, “Vidas Secas”, também o livro brasileiro “Feliz Ano Velho”, de Marcelo Rubens Paiva, e “Crime e Castigo” de Dostoievski, e daí em diante, já com boa bagagem literária, vai-se escolhendo certos Best Sellers,  ou não. na coleção de livros com muito conteúdo de literatura.
Hoje a série “Crepúsculo” é o livro predileto da maioria dos adolescentes ou quase todo jovem  leu ou está lendo, “O Senhor Dos Anéis”, Harry Potter de J. K. Rolwing, “O Hobbit”, “Os filhos”, de Húrin, Silmarillion e “Contos Inacabados”.
A juventude está interessada em Sagas, Histórias Mitológicas, Super Heróis mitológicos, Dan Brown com o  “Código Da Vinci” e assuntos sobre  viagens estelares, e assuntos  de terror de  violência e crime.
Creio eu, que o assunto romântico está meio jogado pra escanteio pela maioria, muito diferente de nós mais velhos, que gostávamos tanto. O sentimento sutil  do amor e do romantismo parece que caiu em desuso. Não se morre mais por amor!

Será que até as expressões de amor se modificaram? Caíram as cartas de amor, tudo bem, mas só não gosta quem não as recebeu. Bem, agora é pelo WhatsApp, não é?

Nenhum comentário:

Galeria Acadêmica

Alexandre Sarkis Neder - Cadeira n° 13 - Patrono: Dario Brasil
André Bueno Oliveira - Cadeira n° 14 - Patrono: Branca Motta de Toledo Sachs
Antonio Carlos Fusatto - Cadeira n° 6 - Patrono: Nélio Ferraz de Arruda
Antonio Carlos Neder - Cadeira n° 15 - Patrono: Archimedes Dutra
Aracy Duarte Ferrari - Cadeira n° 16 - Patrono: José Mathias Bragion
Armando Alexandre dos Santos- Cadeira n° 10 - Patrono: Brasílio Machado
Carla Ceres Oliveira Capeleti - Cadeira n° 17 - Patrono: Virgínia Prata Gregolin
Edson Rontani Júnior - Cadeira n° 18 - Patrono: Madalena Salatti de Almeida
Ésio Antonio Pezzato - cadeira no 31 - Patrono Victorio Angelo Cobra
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto - Cadeira n° 19 - Patrono: Ubirajara Malagueta Lara
Cássio Camilo Almeida de Negri - Cadeira n° 20 - Patrono: Benedito Evangelista da Costa
Cezário de Campos Ferrari - Cadeira n° 12 - Patrono: Ricardo Ferraz do Amaral
Elda Nympha Cobra Silveira - Cadeira n° 21 - Patrono: José Ferraz de Almeida Junior
Evaldo Vicente - Cadeira n° 23 - Patrono: Leo Vaz
Felisbino de Almeida Leme - Cadeira n° 8 - Patrono: Fortunato Losso Netto
Geraldo Victorino de França - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior
Gregorio Marchiori Netto - Cadeira n° 28 - Patrono: Delfim Ferreira da Rocha Neto
Gustavo Jacques Dias Alvim - Cadeira n° 29 - Patrono: Laudelina Cotrim de Castro
Ivana Maria França de Negri - Cadeira n° 33 - Patrono: Fernando Ferraz de Arruda
Jamil Nassif Abib (Mons.) - Cadeira n° 1 - Patrono: João Chiarini
João Baptista de Souza Negreiros Athayde - Cadeira n° 34 - Patrono: Adriano Nogueira
João Umberto Nassif - Cadeira n° 35 - Patrono: Prudente José de Moraes Barros
Leda Coletti - Cadeira n° 36 - Patrono: Olívia Bianco
Maria Helena Vieira Aguiar Corazza - Cadeira n° 3 - Patrono: Luiz de Queiroz
Marisa Amábile Fillet Bueloni - cadeira no32 - Patrono Thales castanho de Andrade
Marly Therezinha Germano Perecin - Cadeira n° 2 - Patrona: Jaçanã Althair Pereira Guerrini
Maria de Lourdes Piedade Sodero Martins - Cadeira n° 26 - Patrono: Nelson Camponês do Brasil
Mônica Aguiar Corazza Stefani - Cadeira n° 9 - Patrono: José Maria de Carvalho Ferreira
Myria Machado Botelho - Cadeira n° 24 - Patrono: Maria Cecília Machado Bonachela
Newman Ribeiro Simões - cadeira no 38 - Patrono Elias de Mello Ayres
Olívio Alleoni – Cadeira n° 25 – Patrono: Francisco Lagreca
Paulo Celso Bassetti - Cadeira n° 39 - Patrono: José Luiz Guidotti
Rosaly Aparecida Curiacos de Almeida Leme - Cadeira n° 7 - Patrono: Helly de Campos Melges
Sílvia Regina de OLiveira - Cadeira no 22 - Patrono Erotides de Campos
Valdiza Maria Caprânico - Cadeira no 4 - Patrono Haldumont Nobre Ferraz
Vitor Pires Vencovsky - Cadeira no 30 - Patrono Jorge Anéfalos
Waldemar Romano - Cadeira n° 11 - Patrono: Benedito de Andrade
Walter Naime - Cadeira no 37 - Patrono Sebastião Ferraz