Rio Piracicaba

Rio Piracicaba
Rio Piracicaba cheio (foto Ivana Negri)

Patrimônio da cidade, a Sapucaia florida (foto Ivana Negri)

Balão atravessando a ponte estaiada (foto Ivana Negri)

Diretoria

Diretoria da Academia Piracicabana de Letras 2018/2021

Presidente– Vitor Pires Vencovsky
Vice-Presidente– Cassio Camilo Almeida de Negri
Primeira Secretária – Ivana Maria França de Negri
Segunda Secretária – Carmen Maria da Silva Fernandes Pilotto
Primeiro Tesoureiro – Edson Rontani Junior
Segundo Tesoureiro – Waldemar Romano
Bibliotecária – Aracy Duarte Ferrari

Conselho Fiscal
Gustavo Jacques Dias Alvim
Alexandre Neder
Walter Naime

Editor e Jornalista Responsável
João Umberto Nassif

Conselho editorial

Evaldo Vicente
Antonio Carlos Fusatto
Ivana Maria França de Negri
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto



Seguidores

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Escotismo: "Escola na vida, pela vida e para a vida”




Elias Salum
Cadeira n° 5 - Patrono: Leandro Guerrini

Com a renovação do Escotismo em nossa cidade, em 1969, depositamos toda nossa confiança e esperança, desde o momento em que conseguimos promover um memorável encontro, na sala de reuniões do Jornal de Piracicaba, onde estiveram presentes ilustres cidadãos piracicabanos, que outrora foram escoteiros e chefes, como: Arquimedes Dutra, Felisberto Monteiro, Francisco Godoy, Célio Bighetti, Moacyr C. do Brasil, Tufi Napty (este vindo do Líbano), chefe Passari, chefe Caldeira, Perilo Pantaleão e outros.

Em Piracicaba, tudo nasceu durante o “Jamboree do Ar”, título que se dava às reuniões que os radioamadores de nossa região e do mundo faziam, através das mensagens radiofônicas, para aproximação e confraternização dos escoteiros, participantes do encontro, que se dava em outubro de cada ano. Foi quando despertou na nossa consciência a fundação de um Grupo Escoteiro para a cidade de Piracicaba, o que se deu em 1970 com o nome: "TAMANDARÉ".

Hoje, graças ao trabalho e perseverança de muitas pessoas, Piracicaba conta com três valorosos Grupos: "TAMANDARÉ" (1970), "PIRACICABA" (1984) e "SÂO MÁRIO" (1982).

Com o objetivo de oferecer algumas informações sobre o que são e o que fazem os escoteiros, mostramos aqui alguns princípios e regras de maior importância encontradas no P.O.R. (Princípios, Organizações e Regras).

MÉTODO: Dar responsabilidade e trabalhos aos rapazes de maneira que se sintam não espectadores de um programa, mas como ATORES do mesmo e conduzi-los por meio de jogos, costumes e tradições especiais, primitivas e românticas.

ADESTRAMENTO: Adestrar os jovens por meio de programas especiais, destinados a reunir as necessidades físicas e psicológicas em suas diferentes idades; LOBINHO: de 7 a 11 anos (estes seguem uma forma simplificada da promessa e da lei). ESCOTEIROS: de 11 a 17 anos. PIONEIROS: de 18 em diante.

ARTE E CAMPISMO: A saúde, a auto-estima, a coragem, o sentimento de camaradagem‚ uma profunda apreciação da obra de Deus, são desenvolvidos pela vida ao ar livre e o estudo da Natureza. O campismo é a chave de todo adestramento escoteiro.

MILITARISMO: Como organização, o Movimento Escoteiro não é militar em sua forma, espírito ou pensamento. O uniforme, a patrulha e a tropa, a unidade, a harmonia e o rítmo de espírito não são de ordem guerreira; servem para conservar o que os jovens adquirem no Escotismo. O Movimento Escoteiro não é militarista, porém é patriótico e prepara os jovens para a boa cidadania.

ESPÍRITO INTERNACIONAL: O Escotismo tem se ocupado em incluir e destacar em seu programa aquilo que os jovens das diferentes nações da Terra têm em comum: a igualdade de ideais e finalidades, pondo em prática meios adequados ao seu alcance e fazendo abstração de raças, crenças e castas. Daí sua influência no desenvolvimento da BOA VONTADE ENTRE AS NAÇÕES.

PROMESSA DO LOBINHO
Prometo pela minha honra fazer o melhor possível;
Para cumprir meu dever para com Deus e a minha Pátria
Obedecer à Lei do Lobinho
Fazer todos os dias uma boa ação.

PROMESSA DO ESCOTEIRO
Prometo pela minha honra fazer o melhor possível:
Para cumprir meu dever para com Deus e a minha Pátria
Ajudar o próximo em toda e qualquer ocasião:
Obedecer à Lei do Escotismo.

Nenhum comentário:

Galeria Acadêmica

1-Alexandre Sarkis Neder - Cadeira n° 13 - Patrono: Dario Brasil
2-André Bueno Oliveira - Cadeira n° 14 - Patrono: Branca Motta de Toledo Sachs
3-Antonio Carlos Fusatto - Cadeira n° 6 - Patrono: Nélio Ferraz de Arruda
4-Antonio Carlos Neder - Cadeira n° 15 - Patrono: Archimedes Dutra
5-Aracy Duarte Ferrari - Cadeira n° 16 - Patrono: José Mathias Bragion
6-Armando Alexandre dos Santos- Cadeira n° 10 - Patrono: Brasílio Machado
7-Barjas Negri - Cadeira no 5 - Patrono: Leandro Guerrini
8-Carla Ceres Oliveira Capeleti - Cadeira n° 17 - Patrono: Virgínia Prata Gregolin
9-Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto - Cadeira n° 19 - Patrono: Ubirajara Malagueta Lara
10-Cássio Camilo Almeida de Negri - Cadeira n° 20 - Patrono: Benedito Evangelista da Costa
11-Cezário de Campos Ferrari - Cadeira n° 12 - Patrono: Ricardo Ferraz do Amaral
12-Edson Rontani Júnior - Cadeira n° 18 - Patrono: Madalena Salatti de Almeida
13-Elda Nympha Cobra Silveira - Cadeira n° 21 - Patrono: José Ferraz de Almeida Junior
14-Ésio Antonio Pezzato - cadeira no 31 - Patrono Victorio Angelo Cobra
15-Evaldo Vicente - Cadeira n° 23 - Patrono: Leo Vaz
16-Felisbino de Almeida Leme - Cadeira n° 8 - Patrono: Fortunato Losso Netto
17-Geraldo Victorino de França - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior
18-Gregorio Marchiori Netto - Cadeira n° 28 - Patrono: Delfim Ferreira da Rocha Neto
19-Gustavo Jacques Dias Alvim - Cadeira n° 29 - Patrono: Laudelina Cotrim de Castro
20-Ivana Maria França de Negri - Cadeira n° 33 - Patrono: Fernando Ferraz de Arruda
21-Jamil Nassif Abib (Mons.) - Cadeira n° 1 - Patrono: João Chiarini
22-João Baptista de Souza Negreiros Athayde - Cadeira n° 34 - Patrono: Adriano Nogueira
23-João Umberto Nassif - Cadeira n° 35 - Patrono: Prudente José de Moraes Barros
24-Leda Coletti - Cadeira n° 36 - Patrono: Olívia Bianco
25-Maria de Lourdes Piedade Sodero Martins - cadeira no 26 Patrono Nelson Camponês do Brasil
26-Maria Helena Vieira Aguiar Corazza - Cadeira n° 3 - Patrono: Luiz de Queiroz
27-Marisa Amábile Fillet Bueloni - cadeira no32 - Patrono Thales castanho de Andrade
28-Marly Therezinha Germano Perecin - Cadeira n° 2 - Patrona: Jaçanã Althair Pereira Guerrini
29-Mônica Aguiar Corazza Stefani - Cadeira n° 9 - Patrono: José Maria de Carvalho Ferreira
30-Myria Machado Botelho - Cadeira n° 24 - Patrono: Maria Cecília Machado Bonachela
31-Newman Ribeiro Simões - cadeira no 38 - Patrono Elias de Mello Ayres
32-Olívio Alleoni – Cadeira n° 25 – Patrono: Francisco Lagreca
33-Paulo Celso Bassetti - Cadeira n° 39 - Patrono: José Luiz Guidotti
34-Raquel Delvaje - Cadeira no 40 - Patrono Barão de Rezende
35-Rosaly Aparecida Curiacos de Almeida Leme - Cadeira n° 7 - Patrono: Helly de Campos Melges
36-Sílvia Regina de OLiveira - Cadeira no 22 - Patrono Erotides de Campos
37-Valdiza Maria Caprânico - Cadeira no 4 - Patrono Haldumont Nobre Ferraz
38-Vitor Pires Vencovsky - Cadeira no 30 - Patrono Jorge Anéfalos
39-Waldemar Romano - Cadeira n° 11 - Patrono: Benedito de Andrade
40-Walter Naime - Cadeira no 37 - Patrono Sebastião Ferraz
Lino Vitti - Acadêmico Honorário (in memoriam)