Rio Piracicaba

Rio Piracicaba
Rio Piracicaba cheio (foto Ivana Negri)

Patrimônio da cidade, a Sapucaia florida (foto Ivana Negri)

Balão atravessando a ponte estaiada (foto Ivana Negri)

Diretoria

Diretoria da Academia Piracicabana de Letras

Presidente– Gustavo Jacques Alvim
Vice-Presidente– Cassio Camilo Almeida de Negri
Primeiro Secretário – Carmen Maria da Silva Fernandes Pilotto
Segundo Secretário – Evaldo Vicente
Primeiro Tesoureiro – Antônio Carlos Fusatto
Segundo Tesoureiro – Waldemar Romano
Bibliotecária – Aracy Duarte Ferrari

Conselho Fiscal

Walter Naime
Cezário de Campos Ferrari

Editor e Jornalista Responsável
João Umberto Nassif

Conselho editorial

Antonio Carlos Neder
Ivana Maria França de Negri
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto
Myria Machado Botelho


Seguidores

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Prefiro olhar os ipês

Maria Helena Vieira Aguiar Corazza
Cadeira n° 3 - Patrono: Luiz de Queiroz
Sem exagero, mas é verdade! Abrir os noticiários e a cada dia ouvir, saber ou enxergar mais desgraças e desumanidades? Para quê? Para me entristecer a cada instante e fazer da vida um mar de tensões, descrenças e desesperanças? Não! Para mim, não está dando mais! Quero me ater a mais amanheceres de dias enquanto tiver tempo, quero sentir o perfume e o novo das manhãs, e colher quantos pores de sol estiverem ao meu dispor e ao meu alcance ainda... Quero agarrar tudo isso, e não desperdiçar um segundo sequer da esperança, minúscula que seja, mas que ainda trago dentro do meu coração e do meu ser, e de cada hora que me atinge gritando as paisagens que não desprezo por nada deste mundo, nem a diversidade de flores e de plantas que me encantam em cada desabrochar... Prefiro olhar os ipês que me comovem, promovendo em mim uma ternura estonteante que, se pudesse, me faria ajoelhar sempre, num agradecimento fantástico e enternecedor ao Criador, por tanta maravilha recebida!
Para mim chega de tanto sangue e de crimes hediondos, inexplicáveis e indescritíveis em se tratando de seres humanos atacando, maltratando, roubando ou destruindo, e desiludindo a vida, mesmo porque é o homem quem mata e maltrata! O animal irracional apenas cumpre sua missão natural de sobrevivência. É a sua natureza! No entanto, o comportamento animalesco do homem se torna dia a dia tão desordenado, chegando ao ponto de tirar a alegria da vida de muitos! Por isso resolvi olhar os ipês e, se fosse possível, não lembrar de tanta tristeza dos atingidos! Pelo menos, gostaria de “inventar truques” para me envolver e me conscientizar da impossibilidade de desprezar a beleza que, mesmo sendo tão agredida, ainda assim não se cansa de se revelar em tantos momentos inebriantes e inesquecíveis...
Quero, sim, mais do que nunca esquecer olhares tristes e desconsolados dos que choram a perda de seus entes queridos ou de seus amores, pela violenta insensatez indesculpável de desalmados, que colherão pelos seus desatinos e crueldades, e lembrar-me mais “dos olhos de Deus que enxugam as lágrimas humanas”... Quero olhar os ipês, repito, sobretudo nesta estação que é deles, e, quando sua explosão majestosa de cores, formatos e tamanhos, ainda nos conta histórias de emoção e dignidade, apesar deste mar de horrores em que o mundo se afunda incessantemente!
Culpados, culpa e revolta, desalinhamento social ou comportamental de cabeças doentes ou mal formadas, não é mais questão de avaliações ou desculpas. Onde encontrar tanta compreensão ou perdão para dar? Importa agora o mal além das forças e dos limites que este desequilíbrio desumano anda proporcionando, não só nos prejuízos materiais das vítimas, mas, no medo e no terror que machucam muito, e, pior de tudo, na destruição de sonhos, mutilando física e mentalmente, e, afinal ceifando tantas vidas!
Não quero, nem acredito mais em explicações de “quem de direito” que nada resolvme, nem consertam coisa alguma, nos tempos em que se acumulam sofrimentos, e não ouvem os gritos de socorro que se perdem por não serem jamais atendidos.
Prefiro olhar os ipês!...

Nenhum comentário:

Galeria Acadêmica

Alexandre Sarkis Neder - Cadeira n° 13 - Patrono: Dario Brasil
André Bueno Oliveira - Cadeira n° 14 - Patrono: Branca Motta de Toledo Sachs
Antonio Carlos Fusatto - Cadeira n° 6 - Patrono: Nélio Ferraz de Arruda
Antonio Carlos Neder - Cadeira n° 15 - Patrono: Archimedes Dutra
Aracy Duarte Ferrari - Cadeira n° 16 - Patrono: José Mathias Bragion
Armando Alexandre dos Santos- Cadeira n° 10 - Patrono: Brasílio Machado
Barjas Negri - Cadeira no 5 - Patrono: Leandro Guerrini
Carla Ceres Oliveira Capeleti - Cadeira n° 17 - Patrono: Virgínia Prata Gregolin
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto - Cadeira n° 19 - Patrono: Ubirajara Malagueta Lara
Cássio Camilo Almeida de Negri - Cadeira n° 20 - Patrono: Benedito Evangelista da Costa
Cezário de Campos Ferrari - Cadeira n° 12 - Patrono: Ricardo Ferraz do Amaral
Edson Rontani Júnior - Cadeira n° 18 - Patrono: Madalena Salatti de Almeida
Elda Nympha Cobra Silveira - Cadeira n° 21 - Patrono: José Ferraz de Almeida Junior
Ésio Antonio Pezzato - cadeira no 31 - Patrono Victorio Angelo Cobra
Evaldo Vicente - Cadeira n° 23 - Patrono: Leo Vaz
Felisbino de Almeida Leme - Cadeira n° 8 - Patrono: Fortunato Losso Netto
Geraldo Victorino de França - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior
Gregorio Marchiori Netto - Cadeira n° 28 - Patrono: Delfim Ferreira da Rocha Neto
Gustavo Jacques Dias Alvim - Cadeira n° 29 - Patrono: Laudelina Cotrim de Castro
Ivana Maria França de Negri - Cadeira n° 33 - Patrono: Fernando Ferraz de Arruda
Jamil Nassif Abib (Mons.) - Cadeira n° 1 - Patrono: João Chiarini
João Baptista de Souza Negreiros Athayde - Cadeira n° 34 - Patrono: Adriano Nogueira
João Umberto Nassif - Cadeira n° 35 - Patrono: Prudente José de Moraes Barros
Leda Coletti - Cadeira n° 36 - Patrono: Olívia Bianco
Maria Helena Vieira Aguiar Corazza - Cadeira n° 3 - Patrono: Luiz de Queiroz
Marisa Amábile Fillet Bueloni - cadeira no32 - Patrono Thales castanho de Andrade
Marly Therezinha Germano Perecin - Cadeira n° 2 - Patrona: Jaçanã Althair Pereira Guerrini
Maria de Lourdes Piedade Sodero Martins - Cadeira n° 26 - Patrono: Nelson Camponês do Brasil
Mônica Aguiar Corazza Stefani - Cadeira n° 9 - Patrono: José Maria de Carvalho Ferreira
Myria Machado Botelho - Cadeira n° 24 - Patrono: Maria Cecília Machado Bonachela
Newman Ribeiro Simões - cadeira no 38 - Patrono Elias de Mello Ayres
Olívio Alleoni – Cadeira n° 25 – Patrono: Francisco Lagreca
Paulo Celso Bassetti - Cadeira n° 39 - Patrono: José Luiz Guidotti
Raquel Delvaje - Cadeira no 40 - Patrono Barão de Rezende
Rosaly Aparecida Curiacos de Almeida Leme - Cadeira n° 7 - Patrono: Helly de Campos Melges
Sílvia Regina de OLiveira - Cadeira no 22 - Patrono Erotides de Campos
Valdiza Maria Caprânico - Cadeira no 4 - Patrono Haldumont Nobre Ferraz
Vitor Pires Vencovsky - Cadeira no 30 - Patrono Jorge Anéfalos
Waldemar Romano - Cadeira n° 11 - Patrono: Benedito de Andrade
Walter Naime - Cadeira no 37 - Patrono Sebastião Ferraz