Rio Piracicaba

Rio Piracicaba
Rio Piracicaba cheio (foto Ivana Negri)

Patrimônio da cidade, a Sapucaia florida (foto Ivana Negri)

Balão atravessando a ponte estaiada (foto Ivana Negri)

Diretoria

Diretoria da Academia Piracicabana de Letras 2018/2021

Presidente– Vitor Pires Vencovsky
Vice-Presidente– Cassio Camilo Almeida de Negri
Primeira Secretária – Ivana Maria França de Negri
Segunda Secretária – Carmen Maria da Silva Fernandes Pilotto
Primeiro Tesoureiro – Edson Rontani Junior
Segundo Tesoureiro – Waldemar Romano
Bibliotecária – Aracy Duarte Ferrari

Conselho Fiscal
Gustavo Jacques Dias Alvim
Alexandre Neder
Walter Naime

Editor e Jornalista Responsável
João Umberto Nassif

Conselho editorial

Evaldo Vicente
Antonio Carlos Fusatto
Ivana Maria França de Negri
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto



Seguidores

quarta-feira, 6 de junho de 2012

“MARIA x FÁTIMA ou INVERNO x AGASALHO”

Maria Helena Vieira Aguiar Corazza
Cadeira n° 3 - Patrono: Luiz de Queiroz      
       Não sabia se escrevia neste mês de maio sobre “Maria x Fátima”, ou sobre “Inverno x Agasalho”. Resolvi então saudar Nossa Senhora de Fátima da qual sou muito devota e faço questão de levar isso a público, mas que muitos outros amam e veneram também, por tantas graças recebidas em suas vidas, lembrando Sua aparição em Portugal mais precisamente em Fátima, na “Cova da Iria” em treze de maio, onde Ela apareceu aos três pastorinhos, Lucia, Francisco e Jacinta (numa história verídica para os crédulos e religiosos da fé na Mãe de Nosso Senhor Jesus Cristo), quando essas crianças passaram por sérios transtornos e problemas pelas afirmações que faziam sobre as aparições que abalaram a opinião pública, que divergia entre os que acreditavam e os descrentes que não queriam admitir o fato. Quem conhece a cidade de Fátima pode constatar ali uma capela feita em Sua honra onde cristãos do mundo inteiro a visitam, se comovem muito pela força e energia inexplicáveis que tomam conta dos fiéis que oram por suas dificuldades e agradecimentos. A história é linda e é de fé, e o mistério dos milagres, não nos compete compreender, mas acatar e respeitar.
 O outro assunto do título então, que não se pode esquecer é o frio para quem não tem com o que se aquecer, sobretudo, nas noites de inverno onde geralmente as casas de quem tem menos renda (barracos ou construções desprovidas de condições adequadas), com frestas, sem fôrro, telhados mal colocados, pisos gelados pela carência de revestimento, uma situação de muito sofrimento, pois, convenhamos, o frio faz bater os dentes, e, quando é forte, dói, machuca, amedronta até.
Não há duvida que o frio principalmente para os bebês, os idosos e os doentes exerce um poder de judiar e piorar as condições de vida dificultando a saúde e destruindo a alegria e a normalidade para continuar a viver. Que grande emoção terá a coitada da dona da casa com o mínimo de recursos, que levanta tiritando de frio, ainda escuro, de madrugada, para fazer a irrisória marmita aos seus que saem para trabalhar, e além da penúria, com roupas inadequadas, velhas e precárias, pés gelados nas havaianas surradas, gastas, levando na parca sacola, um “quase nada de mais” para se alimentar por um dia inteiro de trabalho? E isso, só para dar um exemplo. A miséria é muito maior! Por isso, nesta época é preciso sair do comodismo e dar uma refletida no que se pode fazer para amenizar essas calamidades endossando fileiras de apoio aos menos favorecidos e deserdados da sorte, lembrando de tantos outros que têm em abundância e fartura, indiferentes, omissos, desatenciosos sem nem menos valorizar o que tem. Daí, um chamamento, no mínimo, para as “Campanhas do Agasalho” espalhadas por toda a cidade, cujo único intuito é arrecadar o maior numero possível de peças, não só de roupas, como cobertores e afins, que venham “esquentar” por assim dizer, o inverno daqueles que, ainda nos dias de hoje, apesar de tanta tecnologia e avanços sociais em tantos setores vivem marginalizados á espera de mãos caridosas a lhes conceder recursos já que por si mesma a vida ou sua condição de capacidade ou entendimento lhes tem negado.
          Aqui fica o pedido então, para que abram seus corações e que a compaixão se instale e a generosidade cumpra o seu papel de dignidade e justiça ao que, seja qual for o motivo, precisa de sua doação.

Nenhum comentário:

Galeria Acadêmica

1-Alexandre Sarkis Neder - Cadeira n° 13 - Patrono: Dario Brasil
2-André Bueno Oliveira - Cadeira n° 14 - Patrono: Branca Motta de Toledo Sachs
3-Antonio Carlos Fusatto - Cadeira n° 6 - Patrono: Nélio Ferraz de Arruda
4-Antonio Carlos Neder - Cadeira n° 15 - Patrono: Archimedes Dutra
5-Aracy Duarte Ferrari - Cadeira n° 16 - Patrono: José Mathias Bragion
6-Armando Alexandre dos Santos- Cadeira n° 10 - Patrono: Brasílio Machado
7-Barjas Negri - Cadeira no 5 - Patrono: Leandro Guerrini
8-Carla Ceres Oliveira Capeleti - Cadeira n° 17 - Patrono: Virgínia Prata Gregolin
9-Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto - Cadeira n° 19 - Patrono: Ubirajara Malagueta Lara
10-Cássio Camilo Almeida de Negri - Cadeira n° 20 - Patrono: Benedito Evangelista da Costa
11-Cezário de Campos Ferrari - Cadeira n° 12 - Patrono: Ricardo Ferraz do Amaral
12-Edson Rontani Júnior - Cadeira n° 18 - Patrono: Madalena Salatti de Almeida
13-Elda Nympha Cobra Silveira - Cadeira n° 21 - Patrono: José Ferraz de Almeida Junior
14-Ésio Antonio Pezzato - cadeira no 31 - Patrono Victorio Angelo Cobra
15-Evaldo Vicente - Cadeira n° 23 - Patrono: Leo Vaz
16-Felisbino de Almeida Leme - Cadeira n° 8 - Patrono: Fortunato Losso Netto
17-Geraldo Victorino de França - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior
18-Gregorio Marchiori Netto - Cadeira n° 28 - Patrono: Delfim Ferreira da Rocha Neto
19-Gustavo Jacques Dias Alvim - Cadeira n° 29 - Patrono: Laudelina Cotrim de Castro
20-Ivana Maria França de Negri - Cadeira n° 33 - Patrono: Fernando Ferraz de Arruda
21-Jamil Nassif Abib (Mons.) - Cadeira n° 1 - Patrono: João Chiarini
22-João Baptista de Souza Negreiros Athayde - Cadeira n° 34 - Patrono: Adriano Nogueira
23-João Umberto Nassif - Cadeira n° 35 - Patrono: Prudente José de Moraes Barros
24-Leda Coletti - Cadeira n° 36 - Patrono: Olívia Bianco
25-Maria de Lourdes Piedade Sodero Martins - cadeira no 26 Patrono Nelson Camponês do Brasil
26-Maria Helena Vieira Aguiar Corazza - Cadeira n° 3 - Patrono: Luiz de Queiroz
27-Marisa Amábile Fillet Bueloni - cadeira no32 - Patrono Thales castanho de Andrade
28-Marly Therezinha Germano Perecin - Cadeira n° 2 - Patrona: Jaçanã Althair Pereira Guerrini
29-Mônica Aguiar Corazza Stefani - Cadeira n° 9 - Patrono: José Maria de Carvalho Ferreira
30-Myria Machado Botelho - Cadeira n° 24 - Patrono: Maria Cecília Machado Bonachela
31-Newman Ribeiro Simões - cadeira no 38 - Patrono Elias de Mello Ayres
32-Olívio Alleoni – Cadeira n° 25 – Patrono: Francisco Lagreca
33-Paulo Celso Bassetti - Cadeira n° 39 - Patrono: José Luiz Guidotti
34-Raquel Delvaje - Cadeira no 40 - Patrono Barão de Rezende
35-Rosaly Aparecida Curiacos de Almeida Leme - Cadeira n° 7 - Patrono: Helly de Campos Melges
36-Sílvia Regina de OLiveira - Cadeira no 22 - Patrono Erotides de Campos
37-Valdiza Maria Caprânico - Cadeira no 4 - Patrono Haldumont Nobre Ferraz
38-Vitor Pires Vencovsky - Cadeira no 30 - Patrono Jorge Anéfalos
39-Waldemar Romano - Cadeira n° 11 - Patrono: Benedito de Andrade
40-Walter Naime - Cadeira no 37 - Patrono Sebastião Ferraz
Lino Vitti - Acadêmico Honorário (in memoriam)