Rio Piracicaba

Rio Piracicaba
Rio Piracicaba cheio (crédito da foto Ivana Negri)

Diretoria

Diretoria da Academia Piracicabana de Letras

Presidente– Gustavo Jacques Alvim
Vice-Presidente– Cassio Camilo Almeida de Negri
Primeiro Secretário – Carmen Maria da Silva Fernandes Pilotto
Segundo Secretário – Evaldo Vicente
Primeiro Tesoureiro – Antônio Carlos Fusatto
Segundo Tesoureiro – Waldemar Romano
Bibliotecária – Aracy Duarte Ferrari

Conselho Fiscal

Walter Naime
Cezário de Campos Ferrari

Editor e Jornalista Responsável
João Umberto Nassif

Conselho editorial

Antonio Carlos Neder
Ivana Maria França de Negri
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto
Myria Machado Botelho


Seguidores

terça-feira, 7 de agosto de 2012

PIRACICABA, TERRA DO MEU AMOR

Maria Helena Vieira Aguiar Corazza
Cadeira n° 3 - Patrono: Luiz de Queiroz      
            Mais um ano de existência, Piracicaba (duzentos e quarenta e cinco para ser mais exata...), terra dos meus sonhos, dos meus grandes amores e dos encantadores descobrimentos da minha vida (e dos tristes também...).  Mais um ano para enaltecer e abençoar ser sua filha e acordar todas as manhãs sob seu céu de um azul infinito e de seu sol dourado pintando os telhados que vislumbro ao abrir minha janela, que me extasiam sem me cansar uma vez sequer dando-me a certeza que aqui nasci para cada dia a mais em minha vida, me deslumbrar com a riqueza desta terra “cheia de flores, de encantos, de prados, de campos, montes e horizontes,” a se esparramarem em cada canto, em cada esquina, em cada lugar, do centro ao arrabalde, dos bairros, os mais modestos aos mais abastados, com tanta gente batalhando quer nas alegrias como nas adversidades, a magnitude que traz este ar contagiante e impregnado de tanta ternura e de tantas emoções que minha terra natal possui!
            Tudo em minha terra me dá a certeza, que mesmo neste tempo de grandes distúrbios e amarguras pelos qual o mundo passa jamais os colocarei acima do que sinto por ela, (pois é impossível deletar seu passado glorioso), as tristezas que magoam o meu cotidiano, como a violência, as lagrimas, os sofrimentos e as tragédias que teimam diariamente em querer estragar a grande sorte de ter nascido aqui, mesmo confessando que a vida assim como está anda me amedrontando e amedrontando seus habitantes, nos inesperados infortúnios que a maldade de tantos infelizes e “doentes de desamor” derramam a cada instante, sem nexo nem por que. Minha Piracicaba tão linda e tão pródiga em suas belezas me faz recusar (sem poder ignorar, porém), cada notícia desalmada, cada gesto inconseqüente, cada atitude tresloucada, cada agressão desmesurada espalhados nos mais diversos lugares deste planeta tão sofrido, para que eles não me distraiam da grande graça que recebi de Deus de estar aqui, eu que a conheço desde antigamente com suas ruas de pó, ao paralelepípedo e ao asfalto, depois às avenidas, as construções arrojadas e as pontes, seu transito pacato de antes, ao absurdo atravancamento do “rush” de agora, quando ansiamos voltar para nossos lares, nossas casas, famílias que construímos aqui torcendo e rezando para que retornem ilesos e saudáveis após mais um dia de trabalho.
            E, meu rio então? Como não amar suas paisagens pintadas do verde das vegetações por onde ele passa cantando como um amante apaixonado e incansável deixando em suas margens as marcas do tempo que não pára, mas que ele não se deixa deter em seu rumo, no propósito de continuar seu curso predestinado e majestoso...
            Mais um ano de existência Piracicaba, minha terra adorada que acolhe um povo que acredita num futuro repleto de esperanças realizáveis, uma terra abençoada que aconchega e se orgulha de seus escritores e poetas que escrevem a sua história e a declamam, os pintores que a retratam, os músicos que a compõem e as vozes que a cantam, dos trabalhadores incansáveis, responsáveis pelo seu progresso, aos que se dedicam a ensinar, apesar de tão injustiçados, aos que desejam aprender para se aprimorar e engrandecer o amanhã, dos batalhadores que lutam pelas causas sociais tão carentes, necessitadas, sofridas e desajustadas...  Essa gente que passa por mim todos os dias e que eu respeito amo e admiro... Tanto a declarar e a testemunhar, tanto a torcer, orar e desejar melhorar sempre! Terra dos meus sonhos e dos meus ideais, da minha trajetória, dos meus amores e dos meus ais... Parabéns por mais este aniversário, minha amada e linda Piracicaba, terra do meu amor! 

Nenhum comentário:

Galeria Acadêmica

Alexandre Sarkis Neder - Cadeira n° 13 - Patrono: Dario Brasil
André Bueno Oliveira - Cadeira n° 14 - Patrono: Branca Motta de Toledo Sachs
Antonio Carlos Fusatto - Cadeira n° 6 - Patrono: Nélio Ferraz de Arruda
Antonio Carlos Neder - Cadeira n° 15 - Patrono: Archimedes Dutra
Aracy Duarte Ferrari - Cadeira n° 16 - Patrono: José Mathias Bragion
Armando Alexandre dos Santos- Cadeira n° 10 - Patrono: Brasílio Machado
Carla Ceres Oliveira Capeleti - Cadeira n° 17 - Patrono: Virgínia Prata Gregolin
Edson Rontani Júnior - Cadeira n° 18 - Patrono: Madalena Salatti de Almeida
Ésio Antonio Pezzato - cadeira no 31 - Patrono Victorio Angelo Cobra
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto - Cadeira n° 19 - Patrono: Ubirajara Malagueta Lara
Cássio Camilo Almeida de Negri - Cadeira n° 20 - Patrono: Benedito Evangelista da Costa
Cezário de Campos Ferrari - Cadeira n° 12 - Patrono: Ricardo Ferraz do Amaral
Elda Nympha Cobra Silveira - Cadeira n° 21 - Patrono: José Ferraz de Almeida Junior
Evaldo Vicente - Cadeira n° 23 - Patrono: Leo Vaz
Felisbino de Almeida Leme - Cadeira n° 8 - Patrono: Fortunato Losso Netto
Geraldo Victorino de França - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior
Gregorio Marchiori Netto - Cadeira n° 28 - Patrono: Delfim Ferreira da Rocha Neto
Gustavo Jacques Dias Alvim - Cadeira n° 29 - Patrono: Laudelina Cotrim de Castro
Ivana Maria França de Negri - Cadeira n° 33 - Patrono: Fernando Ferraz de Arruda
Jamil Nassif Abib (Mons.) - Cadeira n° 1 - Patrono: João Chiarini
João Baptista de Souza Negreiros Athayde - Cadeira n° 34 - Patrono: Adriano Nogueira
João Umberto Nassif - Cadeira n° 35 - Patrono: Prudente José de Moraes Barros
Leda Coletti - Cadeira n° 36 - Patrono: Olívia Bianco
Maria Helena Vieira Aguiar Corazza - Cadeira n° 3 - Patrono: Luiz de Queiroz
Marisa Amábile Fillet Bueloni - cadeira no32 - Patrono Thales castanho de Andrade
Marly Therezinha Germano Perecin - Cadeira n° 2 - Patrona: Jaçanã Althair Pereira Guerrini
Maria de Lourdes Piedade Sodero Martins - Cadeira n° 26 - Patrono: Nelson Camponês do Brasil
Mônica Aguiar Corazza Stefani - Cadeira n° 9 - Patrono: José Maria de Carvalho Ferreira
Myria Machado Botelho - Cadeira n° 24 - Patrono: Maria Cecília Machado Bonachela
Newman Ribeiro Simões - cadeira no 38 - Patrono Elias de Mello Ayres
Olívio Alleoni – Cadeira n° 25 – Patrono: Francisco Lagreca
Paulo Celso Bassetti - Cadeira n° 39 - Patrono: José Luiz Guidotti
Rosaly Aparecida Curiacos de Almeida Leme - Cadeira n° 7 - Patrono: Helly de Campos Melges
Sílvia Regina de OLiveira - Cadeira no 22 - Patrono Erotides de Campos
Valdiza Maria Caprânico - Cadeira no 4 - Patrono Haldumont Nobre Ferraz
Vitor Pires Vencovsky - Cadeira no 30 - Patrono Jorge Anéfalos
Waldemar Romano - Cadeira n° 11 - Patrono: Benedito de Andrade
Walter Naime - Cadeira no 37 - Patrono Sebastião Ferraz