Rio Piracicaba

Rio Piracicaba
Rio Piracicaba cheio (foto Ivana Negri)

Patrimônio da cidade, a Sapucaia florida (foto Ivana Negri)

Balão atravessando a ponte estaiada (foto Ivana Negri)

Diretoria

Diretoria da Academia Piracicabana de Letras

Presidente– Gustavo Jacques Alvim
Vice-Presidente– Cassio Camilo Almeida de Negri
Primeiro Secretário – Carmen Maria da Silva Fernandes Pilotto
Segundo Secretário – Evaldo Vicente
Primeiro Tesoureiro – Antônio Carlos Fusatto
Segundo Tesoureiro – Waldemar Romano
Bibliotecária – Aracy Duarte Ferrari

Conselho Fiscal

Walter Naime
Cezário de Campos Ferrari

Editor e Jornalista Responsável
João Umberto Nassif

Conselho editorial

Antonio Carlos Neder
Ivana Maria França de Negri
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto
Myria Machado Botelho


Seguidores

domingo, 7 de julho de 2013

UM JUNHO ABENÇOADO!

               

Maria Helena Vieira Aguiar Corazza - Cadeira no3 - Patrono: Luiz de Queiroz

            No mês de junho passado houve temas profundos a se comentar. Primeiro por ser o mês do meu Santo predileto, que é o Antonio, lá daquela linda terra italiana de Pádua a distribuir graças e milagres aos fiéis ávidos de favores e benesses, sem desprezar os outros, lindos também, São João, São Pedro e São Paulo, milagreiros idem, cada um com suas “rezas fortes e novenas” em suas igrejas tão procuradas e requisitadas pelo mundo. Pena não haver espaço suficiente para explorar as maravilhas de suas vidas, hoje aqui.
            Continuando os assuntos, com a vinda do Papa Francisco logo mais para a Jornada Mundial da Juventude 2013, que será realizada no Rio de Janeiro, e com tantos autores divulgando, sobretudo, com temática jovem “pop” como eles dizem, (pois um deles é até um sacerdote “sertanejo”!), e vários padres lançando suas obras que dizem muito a respeito do Santo Padre, e, têm invadido cabeças, na esperança de que, além da escrita, “a musica também pode ser uma aliada para se chegar mais aos jovens”, como afirmou nosso Papa atual. Nesse clima, iria indicar o livro “Sobre o céu e a Terra” um diálogo de dois homens simples e eruditos que acreditam que “as igrejas precisam “sujar os pés” para ajudar quem precisa de ajuda”. Antes ainda do seu pontificado, o arcebispo de Buenos Aires Jorge Mario Bergóglio e o rabino Abraham Skorka compartilham a fé de suas religiões para fazer “pessoas melhores”. Os temas e as reflexões são profundas como a fé, religião, morte, política, educação, pobreza, ciência, aborto, eutanásia e casamento de duas pessoas do mesmo sexo, por exemplo. E, nós teríamos muito a “conversar” sobre isso. Quem sabe na próxima vez...
No entanto, um clamor por justiça, responsabilidade e moralidade abalou nosso país esses dias, e gritou mais alto no mês de junho passado prometendo continuar neste mês de julho que acaba de entrar, exigindo revisão de atos e de ideias, povo brasileiro, de tantos Estados, e inúmeras cidades, contando de sua impaciência extrapolada, de seu desespero e descrença, do seu cansaço e suas necessidades mais do que justas e de suas “fatalidades”, fazendo de suas reivindicações pacíficas a ânsia de melhoria de um futuro que terá que trazer de volta sua dignidade esquecida e há tanto esperada.
Assim, o povo foi para as ruas, com o intuito de “mudar o Brasil”, em marcha, pedindo por Saúde, Educação, Segurança, e condições de vida e de trabalho, mais justas e mais decentes dizendo basta à corrupção de políticos inescrupulosos e de sua ganância desenfreada e insanidade de querer, e agir para comandar somente em benefício próprio, tão incoerente e desumano, enquanto o povo morre de fome, ou nas ruas, nos hospitais e nas drogas, na violência que aumenta dia a dia, ignorado, humilhado e mal tratado além do que se pode imaginar na sua racionalidade!
Acontece que o “gigante gritou e se levantou” graças a Deus, e está requerendo seus direitos de volta, apoiado antes que fosse tarde demais, sobretudo por uma juventude sensata e lúcida (já que poucos adultos há tanto tempo, nada conseguiram, desgraçadamente para o país...), maioria a sufocar os “baderneiros” que insistem em macular a integridade, a honestidade e o bem comum! Com qual propósito? Como isso ainda é possível? Aonde iríamos parar? Não bastaram anos e anos de injustiças e inconsequências, ladroagem, imoralidades e usurpações? Estava tudo no limite! Não dava mais para continuar! Bendita hora em que o Brasil acordou neste “junho abençoado”!
Os grandes desejos são para que todos os brasileiros continuem unidos neste momento de reflexão e conscientização, a fim de que, sejam alcançados dias mais promissores e decentes, de mais humanidade, e principalmente de fraternidade, solidariedade e justiça social.

 “Prá frente Brasil”!

Um comentário:

Anônimo disse...

Concordo com as palavras deste belo texto, só acrescentaria uma frase que parece descrever o que o Papa Francisco deseja para o mundo:

Todas as pessoas podem ser santas, basta ajudar, repartir e fazer justiça segundo os ensinamentos de Jesus.
Dirce Maria Salvego

Galeria Acadêmica

Alexandre Sarkis Neder - Cadeira n° 13 - Patrono: Dario Brasil
André Bueno Oliveira - Cadeira n° 14 - Patrono: Branca Motta de Toledo Sachs
Antonio Carlos Fusatto - Cadeira n° 6 - Patrono: Nélio Ferraz de Arruda
Antonio Carlos Neder - Cadeira n° 15 - Patrono: Archimedes Dutra
Aracy Duarte Ferrari - Cadeira n° 16 - Patrono: José Mathias Bragion
Armando Alexandre dos Santos- Cadeira n° 10 - Patrono: Brasílio Machado
Barjas Negri - Cadeira no 5 - Patrono: Leandro Guerrini
Carla Ceres Oliveira Capeleti - Cadeira n° 17 - Patrono: Virgínia Prata Gregolin
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto - Cadeira n° 19 - Patrono: Ubirajara Malagueta Lara
Cássio Camilo Almeida de Negri - Cadeira n° 20 - Patrono: Benedito Evangelista da Costa
Cezário de Campos Ferrari - Cadeira n° 12 - Patrono: Ricardo Ferraz do Amaral
Edson Rontani Júnior - Cadeira n° 18 - Patrono: Madalena Salatti de Almeida
Elda Nympha Cobra Silveira - Cadeira n° 21 - Patrono: José Ferraz de Almeida Junior
Ésio Antonio Pezzato - cadeira no 31 - Patrono Victorio Angelo Cobra
Evaldo Vicente - Cadeira n° 23 - Patrono: Leo Vaz
Felisbino de Almeida Leme - Cadeira n° 8 - Patrono: Fortunato Losso Netto
Geraldo Victorino de França - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior
Gregorio Marchiori Netto - Cadeira n° 28 - Patrono: Delfim Ferreira da Rocha Neto
Gustavo Jacques Dias Alvim - Cadeira n° 29 - Patrono: Laudelina Cotrim de Castro
Ivana Maria França de Negri - Cadeira n° 33 - Patrono: Fernando Ferraz de Arruda
Jamil Nassif Abib (Mons.) - Cadeira n° 1 - Patrono: João Chiarini
João Baptista de Souza Negreiros Athayde - Cadeira n° 34 - Patrono: Adriano Nogueira
João Umberto Nassif - Cadeira n° 35 - Patrono: Prudente José de Moraes Barros
Leda Coletti - Cadeira n° 36 - Patrono: Olívia Bianco
Maria Helena Vieira Aguiar Corazza - Cadeira n° 3 - Patrono: Luiz de Queiroz
Marisa Amábile Fillet Bueloni - cadeira no32 - Patrono Thales castanho de Andrade
Marly Therezinha Germano Perecin - Cadeira n° 2 - Patrona: Jaçanã Althair Pereira Guerrini
Maria de Lourdes Piedade Sodero Martins - Cadeira n° 26 - Patrono: Nelson Camponês do Brasil
Mônica Aguiar Corazza Stefani - Cadeira n° 9 - Patrono: José Maria de Carvalho Ferreira
Myria Machado Botelho - Cadeira n° 24 - Patrono: Maria Cecília Machado Bonachela
Newman Ribeiro Simões - cadeira no 38 - Patrono Elias de Mello Ayres
Olívio Alleoni – Cadeira n° 25 – Patrono: Francisco Lagreca
Paulo Celso Bassetti - Cadeira n° 39 - Patrono: José Luiz Guidotti
Raquel Delvaje - Cadeira no 40 - Patrono Barão de Rezende
Rosaly Aparecida Curiacos de Almeida Leme - Cadeira n° 7 - Patrono: Helly de Campos Melges
Sílvia Regina de OLiveira - Cadeira no 22 - Patrono Erotides de Campos
Valdiza Maria Caprânico - Cadeira no 4 - Patrono Haldumont Nobre Ferraz
Vitor Pires Vencovsky - Cadeira no 30 - Patrono Jorge Anéfalos
Waldemar Romano - Cadeira n° 11 - Patrono: Benedito de Andrade
Walter Naime - Cadeira no 37 - Patrono Sebastião Ferraz