Rio Piracicaba

Rio Piracicaba
Rio Piracicaba cheio (foto Ivana Negri)

Patrimônio da cidade, a Sapucaia florida (foto Ivana Negri)

Balão atravessando a ponte estaiada (foto Ivana Negri)

Diretoria

Diretoria da Academia Piracicabana de Letras

Presidente– Gustavo Jacques Alvim
Vice-Presidente– Cassio Camilo Almeida de Negri
Primeiro Secretário – Carmen Maria da Silva Fernandes Pilotto
Segundo Secretário – Evaldo Vicente
Primeiro Tesoureiro – Antônio Carlos Fusatto
Segundo Tesoureiro – Waldemar Romano
Bibliotecária – Aracy Duarte Ferrari

Conselho Fiscal

Walter Naime
Cezário de Campos Ferrari

Editor e Jornalista Responsável
João Umberto Nassif

Conselho editorial

Antonio Carlos Neder
Ivana Maria França de Negri
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto
Myria Machado Botelho


Seguidores

terça-feira, 15 de julho de 2014

Amorosa consciência

 Marisa F. Bueloni
Cadeira no 32 - Patrono: Thales Castanho de Andrade
  
     Costumo cultivar uma tese relevante: a de que as coisas não devem ser tão facilmente descartadas. Muitas pessoas se cansam logo do que possuem e se atiram, irrefletidamente, à troca de tudo o que é passível de substituição. Fazem decoração nova na casa a cada ano, renovam também o guarda-roupa, compram e consomem de forma quase irracional, pondo de lado objetos e peças em perfeito estado de uso. Talvez por modismo, ou por pura veleidade.
Hoje, a ordem é reciclar e aproveitar tudo o que pode ser reutilizado. Vivemos tempos críticos, onde a questão do aquecimento global tem inspirado alguns líderes políticos na cruzada em defesa do planeta. O consumo desmedido e irresponsável deverá ser repensado, pois ele tem sua parcela na contribuição ao aquecimento. Será necessária uma revisão dos nossos hábitos e estilos de vida, da cultura da abundância e do desperdício, por meio da conscientização de que devemos extrair da Terra o suficiente para a nossa sobrevivência.
     Vemos em toda parte uma brutal incitação ao consumo. Todos nós precisamos adquirir o necessário para o bem estar do dia-a-dia, consumindo o que está ao nosso alcance. Contudo, a febre de comprar pode se transformar numa armadilha perigosa. Os desavisados caem fácil nesta rede sutil, sem considerar muito bem a razão de se gastar uma pequena fortuna em algo dispensável. Quanta coisa inútil se compra no apelo de um impulso e logo depois descartada. Se ao menos as pessoas se lembrassem de doar, de repartir com quem nada tem.
Diz um leitor que, nos dias de hoje, até mesmo os casamentos são “descartáveis”, as uniões acabam em pouco tempo. E por que isso está ocorrendo em escala assustadora? Mudou o casamento ou mudaram as pessoas? Minha mãe dizia que, para casar, uma pessoa precisa ter uma virtude primordial: a paciência. Paciência para a vida a dois, paciência para criar os filhos.
     Os pais de hoje, embora se esforcem, devem estar inseguros e confusos no quesito “educação”. E quando os jovens cometem toda sorte de delitos, culpam-se os pais. Na tevê, o pai de família reage assustadíssimo, atônito, ao saber que o filho participou de um roubo, de um crime.
A sociedade está vivendo um momento de grande desequilíbrio, os valores estão se invertendo de uma forma cruel. A crônica policial da vida é extensa e os casos são aterradores. O que haverá por trás de cada um deles? Certamente, falta de amor, falta de Deus.
     Ninguém mata, se tem Deus no coração. Ninguém manda matar, se ama e se é amado, se conheceu um dia a grandeza do amor e da proteção. Cresce feliz e saudável aquele que abraçou e foi abraçado, ainda que seja na pobreza ou na posse de poucos bens.
     É feliz a família cujos membros se respeitam, onde os filhos podem contar com pais que os ouvem. Grandiosa é a bênção da paz e da harmonia no lar, quando se reconhece a autoridade paterna. Quão importante é a confiança, o colo da mãe, o ombro do pai, a força do relacionamento franco, equilibrado e amoroso. É esta disponibilidade, esta aproximação de afetos que fazem bater mais forte o coração da vida.



Nenhum comentário:

Galeria Acadêmica

Alexandre Sarkis Neder - Cadeira n° 13 - Patrono: Dario Brasil
André Bueno Oliveira - Cadeira n° 14 - Patrono: Branca Motta de Toledo Sachs
Antonio Carlos Fusatto - Cadeira n° 6 - Patrono: Nélio Ferraz de Arruda
Antonio Carlos Neder - Cadeira n° 15 - Patrono: Archimedes Dutra
Aracy Duarte Ferrari - Cadeira n° 16 - Patrono: José Mathias Bragion
Armando Alexandre dos Santos- Cadeira n° 10 - Patrono: Brasílio Machado
Barjas Negri - Cadeira no 5 - Patrono: Leandro Guerrini
Carla Ceres Oliveira Capeleti - Cadeira n° 17 - Patrono: Virgínia Prata Gregolin
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto - Cadeira n° 19 - Patrono: Ubirajara Malagueta Lara
Cássio Camilo Almeida de Negri - Cadeira n° 20 - Patrono: Benedito Evangelista da Costa
Cezário de Campos Ferrari - Cadeira n° 12 - Patrono: Ricardo Ferraz do Amaral
Edson Rontani Júnior - Cadeira n° 18 - Patrono: Madalena Salatti de Almeida
Elda Nympha Cobra Silveira - Cadeira n° 21 - Patrono: José Ferraz de Almeida Junior
Ésio Antonio Pezzato - cadeira no 31 - Patrono Victorio Angelo Cobra
Evaldo Vicente - Cadeira n° 23 - Patrono: Leo Vaz
Felisbino de Almeida Leme - Cadeira n° 8 - Patrono: Fortunato Losso Netto
Geraldo Victorino de França - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior
Gregorio Marchiori Netto - Cadeira n° 28 - Patrono: Delfim Ferreira da Rocha Neto
Gustavo Jacques Dias Alvim - Cadeira n° 29 - Patrono: Laudelina Cotrim de Castro
Ivana Maria França de Negri - Cadeira n° 33 - Patrono: Fernando Ferraz de Arruda
Jamil Nassif Abib (Mons.) - Cadeira n° 1 - Patrono: João Chiarini
João Baptista de Souza Negreiros Athayde - Cadeira n° 34 - Patrono: Adriano Nogueira
João Umberto Nassif - Cadeira n° 35 - Patrono: Prudente José de Moraes Barros
Leda Coletti - Cadeira n° 36 - Patrono: Olívia Bianco
Maria Helena Vieira Aguiar Corazza - Cadeira n° 3 - Patrono: Luiz de Queiroz
Marisa Amábile Fillet Bueloni - cadeira no32 - Patrono Thales castanho de Andrade
Marly Therezinha Germano Perecin - Cadeira n° 2 - Patrona: Jaçanã Althair Pereira Guerrini
Maria de Lourdes Piedade Sodero Martins - Cadeira n° 26 - Patrono: Nelson Camponês do Brasil
Mônica Aguiar Corazza Stefani - Cadeira n° 9 - Patrono: José Maria de Carvalho Ferreira
Myria Machado Botelho - Cadeira n° 24 - Patrono: Maria Cecília Machado Bonachela
Newman Ribeiro Simões - cadeira no 38 - Patrono Elias de Mello Ayres
Olívio Alleoni – Cadeira n° 25 – Patrono: Francisco Lagreca
Paulo Celso Bassetti - Cadeira n° 39 - Patrono: José Luiz Guidotti
Raquel Delvaje - Cadeira no 40 - Patrono Barão de Rezende
Rosaly Aparecida Curiacos de Almeida Leme - Cadeira n° 7 - Patrono: Helly de Campos Melges
Sílvia Regina de OLiveira - Cadeira no 22 - Patrono Erotides de Campos
Valdiza Maria Caprânico - Cadeira no 4 - Patrono Haldumont Nobre Ferraz
Vitor Pires Vencovsky - Cadeira no 30 - Patrono Jorge Anéfalos
Waldemar Romano - Cadeira n° 11 - Patrono: Benedito de Andrade
Walter Naime - Cadeira no 37 - Patrono Sebastião Ferraz