Rio Piracicaba

Rio Piracicaba
Rio Piracicaba cheio (foto Ivana Negri)

Patrimônio da cidade, a Sapucaia florida (foto Ivana Negri)

Balão atravessando a ponte estaiada (foto Ivana Negri)

Diretoria

Diretoria da Academia Piracicabana de Letras

Presidente– Gustavo Jacques Alvim
Vice-Presidente– Cassio Camilo Almeida de Negri
Primeiro Secretário – Carmen Maria da Silva Fernandes Pilotto
Segundo Secretário – Evaldo Vicente
Primeiro Tesoureiro – Antônio Carlos Fusatto
Segundo Tesoureiro – Waldemar Romano
Bibliotecária – Aracy Duarte Ferrari

Conselho Fiscal

Walter Naime
Cezário de Campos Ferrari

Editor e Jornalista Responsável
João Umberto Nassif

Conselho editorial

Antonio Carlos Neder
Ivana Maria França de Negri
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto
Myria Machado Botelho


Seguidores

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Um Rei vem vindo

 Marisa F. Bueloni
Cadeira no 32 - Patrono: Thales Castanho de Andrade


   
    Um Menino nascerá de uma Virgem. “Como assim?”, perguntaria uma apresentadora de tevê. “Isso não tem lógica”. Mas na lógica de Deus tudo é possível. Até mesmo o nascimento virginal do Menino que vem ao mundo na realeza da manjedoura.

    Um Rei na manjedoura, como assim? Não somente a apresentadora faria a pergunta com perplexidade e ceticismo. Sim, as contradições, os disparates e os paradoxos de Deus deixam a todos constrangidos. Ele faz um Rei nascer longe dos palácios e das riquezas. Um pequenino que, na vida adulta, proferirá palavras de vida eterna.

    Um Rei vem vindo. Ah, os sábios adivinham que é o Menino da noite de Natal, quando os homens de boa vontade vão à igreja para celebrar Seu nascimento na missa mais bela. Bate o sino pequenino, sino de Belém. Canta toda a Criação, na espera deste acontecimento inefável.

    Um Rei vem vindo. Uma multidão deseja interpretar a outra vinda, aquela que começa com as taças flamejantes dos Anjos do Senhor e a justa punição para povos e nações. A vinda gloriosa do Rei da glória. Sobre esta deixo que pensem os corações.

    Quem já tem o Natal dentro de si sabe do significado do amor em toda a sua plenitude. Este Menino causa uma grande revolução. Sua chegada é sempre uma festa nas casas, nas ruas, nas celebrações com cânticos de alegria. Um Rei vem vindo. Para este Rei armamos o eterno presépio, a árvore, o pinheirinho lindo, e nossa alma se aperta ao infinito.

    Por que a chegada deste Rei é tão importante e celebrada? Ele mexe com o comércio e a indústria, com o governo e com as prefeituras, com o turismo, com o emprego temporário e a esperança das pessoas. Nenhum outro Rei tem o poder de manter lojas abertas até as 22 horas. Nenhum outro inspira tanto amor e tantos abraços, mensagens e presentes. Nenhum outro faz tantos amigos secretos. Nenhum outro move novenas nos lares e confraternizações.

    Há que se admirar a Sua realeza, o Seu poder e glória. Não há outro mais poderoso e mais nobre. Pequenino, no bercinho de palha, envolto em panos humildes, é visitado por reis que vêm de longe para conhecê-Lo. Quem é Ele, afinal? E por que queremos todos ser felizes no Seu natalício?

    A Ele dedicamos a nossa ternura, em clima de pura magia e encanto. Vive dentro de nós um eterno sonho de uma noite de Natal. Que esta noite magnífica, do mais profundo significado espiritual, vença as trevas dos tempos, o horror das barragens rompidas, a agonia dos pequeninos famintos, a fúria dos foragidos, a ganância das roubalheiras vergonhosas e as tragédias cotidianas em série.

    Que o feliz Natal esteja conosco para sempre. A data mais bela da cristandade nos reúna no abraço fraternal e sincero. Apesar de tudo, apesar da situação em que se encontra o nosso país, no mais grave dos impasses, vivendo uma crise política, econômica e moral.

    Um Rei vem vindo e é para Ele que eu canto em mais um santo Natal. A Ele louvo e dou graças. Ao Rei que vai chegar toda a honra e toda glória, agora e para sempre. Amém.


Nenhum comentário:

Galeria Acadêmica

Alexandre Sarkis Neder - Cadeira n° 13 - Patrono: Dario Brasil
André Bueno Oliveira - Cadeira n° 14 - Patrono: Branca Motta de Toledo Sachs
Antonio Carlos Fusatto - Cadeira n° 6 - Patrono: Nélio Ferraz de Arruda
Antonio Carlos Neder - Cadeira n° 15 - Patrono: Archimedes Dutra
Aracy Duarte Ferrari - Cadeira n° 16 - Patrono: José Mathias Bragion
Armando Alexandre dos Santos- Cadeira n° 10 - Patrono: Brasílio Machado
Barjas Negri - Cadeira no 5 - Patrono: Leandro Guerrini
Carla Ceres Oliveira Capeleti - Cadeira n° 17 - Patrono: Virgínia Prata Gregolin
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto - Cadeira n° 19 - Patrono: Ubirajara Malagueta Lara
Cássio Camilo Almeida de Negri - Cadeira n° 20 - Patrono: Benedito Evangelista da Costa
Cezário de Campos Ferrari - Cadeira n° 12 - Patrono: Ricardo Ferraz do Amaral
Edson Rontani Júnior - Cadeira n° 18 - Patrono: Madalena Salatti de Almeida
Elda Nympha Cobra Silveira - Cadeira n° 21 - Patrono: José Ferraz de Almeida Junior
Ésio Antonio Pezzato - cadeira no 31 - Patrono Victorio Angelo Cobra
Evaldo Vicente - Cadeira n° 23 - Patrono: Leo Vaz
Felisbino de Almeida Leme - Cadeira n° 8 - Patrono: Fortunato Losso Netto
Geraldo Victorino de França - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior
Gregorio Marchiori Netto - Cadeira n° 28 - Patrono: Delfim Ferreira da Rocha Neto
Gustavo Jacques Dias Alvim - Cadeira n° 29 - Patrono: Laudelina Cotrim de Castro
Ivana Maria França de Negri - Cadeira n° 33 - Patrono: Fernando Ferraz de Arruda
Jamil Nassif Abib (Mons.) - Cadeira n° 1 - Patrono: João Chiarini
João Baptista de Souza Negreiros Athayde - Cadeira n° 34 - Patrono: Adriano Nogueira
João Umberto Nassif - Cadeira n° 35 - Patrono: Prudente José de Moraes Barros
Leda Coletti - Cadeira n° 36 - Patrono: Olívia Bianco
Maria Helena Vieira Aguiar Corazza - Cadeira n° 3 - Patrono: Luiz de Queiroz
Marisa Amábile Fillet Bueloni - cadeira no32 - Patrono Thales castanho de Andrade
Marly Therezinha Germano Perecin - Cadeira n° 2 - Patrona: Jaçanã Althair Pereira Guerrini
Maria de Lourdes Piedade Sodero Martins - Cadeira n° 26 - Patrono: Nelson Camponês do Brasil
Mônica Aguiar Corazza Stefani - Cadeira n° 9 - Patrono: José Maria de Carvalho Ferreira
Myria Machado Botelho - Cadeira n° 24 - Patrono: Maria Cecília Machado Bonachela
Newman Ribeiro Simões - cadeira no 38 - Patrono Elias de Mello Ayres
Olívio Alleoni – Cadeira n° 25 – Patrono: Francisco Lagreca
Paulo Celso Bassetti - Cadeira n° 39 - Patrono: José Luiz Guidotti
Raquel Delvaje - Cadeira no 40 - Patrono Barão de Rezende
Rosaly Aparecida Curiacos de Almeida Leme - Cadeira n° 7 - Patrono: Helly de Campos Melges
Sílvia Regina de OLiveira - Cadeira no 22 - Patrono Erotides de Campos
Valdiza Maria Caprânico - Cadeira no 4 - Patrono Haldumont Nobre Ferraz
Vitor Pires Vencovsky - Cadeira no 30 - Patrono Jorge Anéfalos
Waldemar Romano - Cadeira n° 11 - Patrono: Benedito de Andrade
Walter Naime - Cadeira no 37 - Patrono Sebastião Ferraz