Rio Piracicaba

Rio Piracicaba
Rio Piracicaba cheio (foto Ivana Negri)

Patrimônio da cidade, a Sapucaia florida (foto Ivana Negri)

Balão atravessando a ponte estaiada (foto Ivana Negri)

Diretoria

Diretoria da Academia Piracicabana de Letras

Presidente– Gustavo Jacques Alvim
Vice-Presidente– Cassio Camilo Almeida de Negri
Primeiro Secretário – Carmen Maria da Silva Fernandes Pilotto
Segundo Secretário – Evaldo Vicente
Primeiro Tesoureiro – Antônio Carlos Fusatto
Segundo Tesoureiro – Waldemar Romano
Bibliotecária – Aracy Duarte Ferrari

Conselho Fiscal

Walter Naime
Cezário de Campos Ferrari

Editor e Jornalista Responsável
João Umberto Nassif

Conselho editorial

Antonio Carlos Neder
Ivana Maria França de Negri
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto
Myria Machado Botelho


Seguidores

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Colaboração da Acadêmica Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto - Cadeira no 19 - Patrono: Ubirajara Malagueta Lara



Simplicidade Voluntária


“Onde, em jardins exaustos
Nada já tenha fim,
Forma teus fúteis faustos
De tédio e de cetim.
Meus sonhos são exaustos,
Dorme comigo e em mim.”

(Fernando Pessoa – Poesias coligidas)



O pijama puído incomodava os parentes naquela noite de Natal. Todos insistiam com Helena sobre a necessidade de colocar uma roupa mais apresentável. A octogenária não se incomodava com a opinião dos sobrinhos. Em cada semblante só havia o desejo de vê-la partir para que a herança pudesse ser usufruída.
Sorriu ao imaginar o plano que arquitetara na última década. Quando se apercebera da mórbida senilidade e da dolência dos ossos, músculos e ideias. Tinha medo de ficar impregnada de imobilidade e não poder reagir.
Refizera o testamento por completo, deixando o mínimo para cada um. O grande montante de sua fortuna seria doado ao Estado.
Na hora da confusão da ceia, entrou em seu quarto por um instante, fugida da família que atulhava a sala. Trancou a porta. Armário revelado. Olhou para a porta dupla de verniz já carcomida cujos traços de pirógrafo recortavam arabescos venezianos. Do lado mais penso, anos de história familiar. Helena retirou, com as mãos trôpegas, o álbum de fotos já esmaecidas da prateleira do meio. Espalhou pela cama, recoberta de uma linda colcha de pique branca uma série de imagens de sua juventude.
Uma linda debutante de coque, a festa da Hípica, o Derby da primavera, o Réveillon no Copacabana Palace, a vinda do Príncipe
René ao Brasil... Saudades de um Rio de Janeiro de águas serenas que embalavam juventudes sadias. Ipanema com garotas inspiradas na bossa nova com letras instigantes e doces melodias. A lata d’água da Maria da favela era harmonia em um carnaval feito só de jinga e encantamento humano.
Almas expostas ao sabor de uma rotina plausível de exortação. Uma lágrima furtiva rolou e caiu sobre a foto carnavalesca de Ibrahim Sued borrando seu lindo summer prateado.
Olhou para o espelho, os olhos azuis reluziam, abriu a porta e desceu para rever a corja:
– “Ademã, família, que eu vou em frente”...


Dualidade Patética

Fico atônita no burburinho da rotina
enlevada pela obrigação e rigidez dos fatos
fixada num ponto estático do espaço
arremessada como projétil certeiro

O lado esquerdo sôfrego pela fuga
encena em falso uma súbita retirada
ensaiada inúmeras e inadvertidas vezes
no intuito inútil de esvair-se pela janela


O lado direito disfarça e fantasia
veste máscara, trajes e purpurina
mantendo em palco um afã aparvalhado
de compor parte do elenco cotidiano
O eu centrado esfacela-se pela angústia
do que reserva qualquer decisão tomada:
se enfrenta com galhardia a própria vida
ou opta pelo exílio da inexistência...


Barbárie

Os povos se confrontam
mesquinhamente se digladiam
pela maldita posse das terras
em odiosa sede das guerras
decapitando-se mutuamente


E as sequelas dos encontros
geram cada vez mais violência
num pacto
em rictos
do acordo assumido
e consumado pelo descaso de seu próprio destino
em desatino


Qualquer aceno de complacência
geraria o entendimento possível
selando destinos
usados em sentidos contrários
sedados idealismos
cevadas intrigas
ceifadas vidas
segregados povos
sediadas mágoas
infiltradas nos corações humanos

O séquito dos desajustados
conhecidos como homens
de almas perfuradas
amorfas
execradas
seguem em batalhão
ao Ocaso do mundo
criado por seu próprio desatino...

Nenhum comentário:

Galeria Acadêmica

Alexandre Sarkis Neder - Cadeira n° 13 - Patrono: Dario Brasil
André Bueno Oliveira - Cadeira n° 14 - Patrono: Branca Motta de Toledo Sachs
Antonio Carlos Fusatto - Cadeira n° 6 - Patrono: Nélio Ferraz de Arruda
Antonio Carlos Neder - Cadeira n° 15 - Patrono: Archimedes Dutra
Aracy Duarte Ferrari - Cadeira n° 16 - Patrono: José Mathias Bragion
Armando Alexandre dos Santos- Cadeira n° 10 - Patrono: Brasílio Machado
Carla Ceres Oliveira Capeleti - Cadeira n° 17 - Patrono: Virgínia Prata Gregolin
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto - Cadeira n° 19 - Patrono: Ubirajara Malagueta Lara
Cássio Camilo Almeida de Negri - Cadeira n° 20 - Patrono: Benedito Evangelista da Costa
Cezário de Campos Ferrari - Cadeira n° 12 - Patrono: Ricardo Ferraz do Amaral
Edson Rontani Júnior - Cadeira n° 18 - Patrono: Madalena Salatti de Almeida
Elda Nympha Cobra Silveira - Cadeira n° 21 - Patrono: José Ferraz de Almeida Junior
Ésio Antonio Pezzato - cadeira no 31 - Patrono Victorio Angelo Cobra
Evaldo Vicente - Cadeira n° 23 - Patrono: Leo Vaz
Felisbino de Almeida Leme - Cadeira n° 8 - Patrono: Fortunato Losso Netto
Geraldo Victorino de França - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior
Gregorio Marchiori Netto - Cadeira n° 28 - Patrono: Delfim Ferreira da Rocha Neto
Gustavo Jacques Dias Alvim - Cadeira n° 29 - Patrono: Laudelina Cotrim de Castro
Ivana Maria França de Negri - Cadeira n° 33 - Patrono: Fernando Ferraz de Arruda
Jamil Nassif Abib (Mons.) - Cadeira n° 1 - Patrono: João Chiarini
João Baptista de Souza Negreiros Athayde - Cadeira n° 34 - Patrono: Adriano Nogueira
João Umberto Nassif - Cadeira n° 35 - Patrono: Prudente José de Moraes Barros
Leda Coletti - Cadeira n° 36 - Patrono: Olívia Bianco
Maria Helena Vieira Aguiar Corazza - Cadeira n° 3 - Patrono: Luiz de Queiroz
Marisa Amábile Fillet Bueloni - cadeira no32 - Patrono Thales castanho de Andrade
Marly Therezinha Germano Perecin - Cadeira n° 2 - Patrona: Jaçanã Althair Pereira Guerrini
Maria de Lourdes Piedade Sodero Martins - Cadeira n° 26 - Patrono: Nelson Camponês do Brasil
Mônica Aguiar Corazza Stefani - Cadeira n° 9 - Patrono: José Maria de Carvalho Ferreira
Myria Machado Botelho - Cadeira n° 24 - Patrono: Maria Cecília Machado Bonachela
Newman Ribeiro Simões - cadeira no 38 - Patrono Elias de Mello Ayres
Olívio Alleoni – Cadeira n° 25 – Patrono: Francisco Lagreca
Paulo Celso Bassetti - Cadeira n° 39 - Patrono: José Luiz Guidotti
Rosaly Aparecida Curiacos de Almeida Leme - Cadeira n° 7 - Patrono: Helly de Campos Melges
Sílvia Regina de OLiveira - Cadeira no 22 - Patrono Erotides de Campos
Valdiza Maria Caprânico - Cadeira no 4 - Patrono Haldumont Nobre Ferraz
Vitor Pires Vencovsky - Cadeira no 30 - Patrono Jorge Anéfalos
Waldemar Romano - Cadeira n° 11 - Patrono: Benedito de Andrade
Walter Naime - Cadeira no 37 - Patrono Sebastião Ferraz