Rio Piracicaba

Rio Piracicaba
Rio Piracicaba cheio (foto Ivana Negri)

Patrimônio da cidade, a Sapucaia florida (foto Ivana Negri)

Balão atravessando a ponte estaiada (foto Ivana Negri)

Diretoria

Diretoria da Academia Piracicabana de Letras 2018/2021

Presidente– Vitor Pires Vencovsky
Vice-Presidente– Cassio Camilo Almeida de Negri
Primeiro Secretário – Ivana Maria França de Negri
Segundo Secretário – Carmen Maria da Silva Fernandes Pilotto
Primeiro Tesoureiro – Edson Rontani Junior
Segundo Tesoureiro – Waldemar Romano
Bibliotecária – Aracy Duarte Ferrari

Conselho Fiscal
Gustavo Jacques Dias Alvim
Alexandre Neder
Walter Naime

Editor e Jornalista Responsável
João Umberto Nassif

Conselho editorial

Evaldo Vicente
Antonio Carlos Fusatto
Ivana Maria França de Negri
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto



Seguidores

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Benedicto Evangelista Costa

Colaboração do Acadêmico Cássio Camilo Almeida de Negri
Cadeira n° 20 - Patrono: Benedicto Evangelista da Costa

Professor Benedicto Evangelista Costa

O professor Benedicto Evangelista da Costa nasceu em Piracicaba em 24/6/1921, filho de Benedicto Mariano Costa e Benedicta Rolim Costa .
Frequentou as escolas primárias de Santa Terezinha, grupo escolar do bairro Corumbataí, grupo escolar Dr. Alfredo Cardoso e grupo escolar da Escola Normal Oficial. Estudou também no Colé¬gio Piracicabano e no Sud Mennucci.
Frequentou o atelier de pintura de frei Paulo Maria de Sorocaba.
Em 1944 entrou na Escola de Agronomia Luiz de Queiroz, onde graduou-se engenheiro agrônomo em 1947. Lecionou matemática e desenho no Colégio Piracicabano, Escola de Comércio Cristóvão Colombo, Ginásio Estadual de São Pedro e efetivou-se na cadeira de desenho, lecionando em Nova Granada,Viradouro, Santa Barbara D’oeste e finalmente no Instituto de Educação Sud Mennucci.
Foi aí que meu destino cruzou-se com o do distinto professor, na disciplina de desenho geométrico.
Tinha meus quinze anos, e cursava o primeiro científico, hoje, primeiro ano do Ensino Médio. Fui levado à sala de desenho no segundo andar do Sud, que possuía carteiras especiais para tal estudo, parecidas com as pranchas onde os arquitetos trabalham.
À minha frente, imponente, dentro de seu terno impecável, o professor Costa impunha respeito e segurança de quem conhece o que faz e ama o seu trabalho, passando os dez mandamentos para os estudantes de desenho geométrico:
1. Possuir todo o material de desenho geométrico.
2. Ao comprar o material de desenho, preferir sempre o de melhor qualidade.
3. Conservar cuidadosamente o seu material de desenho, para que esteja sempre em condições de trabalho.
4. Guardar bem, em estojo apropriado, todo o material de desenho, evitando assim perda de tempo por extravio de uma ou outra peça.
5. Empregar cada instrumento de maneira conveniente, a fim de assegurar sucesso nos trabalhos, bem como discipliná-lo de forma a satisfazer os objetivos da matéria.
6. Procurar, em seus trabalhos, atender às imperiosas necessidades da ordem, limpeza, uniformidade e precisão.
7. Seguir sempre a orientação das pessoas mais experientes.
8. Não decorar aquilo que é ensinado, procurando empregar sempre o raciocínio para que se preencha outra finalidade muitíssimo importante do desenho geométrico, qual seja a de desenvolvimento daquela faculdade que, de um modo geral, é relegada a plano secundário pelos estudantes.
9. Estudar com dedicação e vontade de aprender.
10. Ter sempre em mente que a dedicação ao desenho técnico se dilate com a evolução da capacidade criadora do homem.
Eu, estudando na melhor escola de Piracicaba na época, que era o Sud Mennucci, como quase todo jovem adolescente, detestava regras, detestava estudar muito, estudava apenas o mínimo necessário para passar de ano, preferindo as brincadeiras e diversões e, portanto, não respeitei nenhum dos mandamentos, fui um “pecador “.
Demoradamente, o fim do ano chegou. Naqueles idos, parece que o tempo passava mais lentamente que hoje.
Veio o exame final e não consegui a nota necessária para passar. Veio a segunda época, que hoje se chama recuperação, e fui reprovado.
Nessa minha primeira e única reprovação, fiquei revoltado com o mestre e fui a ele recorrer pelo meio ponto que faltava.
Com aquela sabedoria de um verdadeiro professor e a paradoxal rigidez e ternura de um pai que ama seu filho, disse-me que iria manter a reprovação e que um dia, eu iria agradecê-lo por isso, pois vendo minhas notas dos anos anteriores, notou que o ano todo eu tirava notas baixas e somente no exame final tirava nota alta para passar raspando e, segundo ele, eu era inteligente, mas preguiçoso.
Tive que repetir o ano, mas com a diferença de que daí para a frente, aprendi a lição, transformando-me em um bom aluno.
Graças a essa mudança, consegui ingressar na faculdade de medicina e me formei.
Anos mais tarde, nossos caminhos novamente se cruzaram, agora eu como médico, ele como paciente.
Foi então a oportunidade de agradecê-lo, como ele havia previsto anos antes.
Após relembrarmos velhos tempos, disse-lhe:
– Professor Costa, hoje estou agradecendo pelo senhor ter um dia me reprovado, pois se não o fizesse, hoje não estaria fazendo o seu exame de ultrassonografia!
Vi que de seus olhos uma lágrima disfarçada escorreu, gerada pela emoção de que havia cumprido o seu dever para com o aluno. Foi assim que nossos caminhos se cruzaram e ele mudou o rumo da minha vida.
Quando me pediram para escolher o patrono da cadeira número vinte da Academia Piracicabana de Letras, nem pensei uma segunda vez para escolher o professor Benedicto Evangelista Costa, o homem que mudou minha vida e assim agradecê-lo pela segunda vez com esta singela homenagem.
Obrigado mais uma vez, professor Costa!

Nenhum comentário:

Galeria Acadêmica

1-Alexandre Sarkis Neder - Cadeira n° 13 - Patrono: Dario Brasil
2-André Bueno Oliveira - Cadeira n° 14 - Patrono: Branca Motta de Toledo Sachs
3-Antonio Carlos Fusatto - Cadeira n° 6 - Patrono: Nélio Ferraz de Arruda
4-Antonio Carlos Neder - Cadeira n° 15 - Patrono: Archimedes Dutra
5-Aracy Duarte Ferrari - Cadeira n° 16 - Patrono: José Mathias Bragion
6-Armando Alexandre dos Santos- Cadeira n° 10 - Patrono: Brasílio Machado
7-Barjas Negri - Cadeira no 5 - Patrono: Leandro Guerrini
8-Carla Ceres Oliveira Capeleti - Cadeira n° 17 - Patrono: Virgínia Prata Gregolin
9-Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto - Cadeira n° 19 - Patrono: Ubirajara Malagueta Lara
10-Cássio Camilo Almeida de Negri - Cadeira n° 20 - Patrono: Benedito Evangelista da Costa
11-Cezário de Campos Ferrari - Cadeira n° 12 - Patrono: Ricardo Ferraz do Amaral
12-Edson Rontani Júnior - Cadeira n° 18 - Patrono: Madalena Salatti de Almeida
13-Elda Nympha Cobra Silveira - Cadeira n° 21 - Patrono: José Ferraz de Almeida Junior
14-Ésio Antonio Pezzato - cadeira no 31 - Patrono Victorio Angelo Cobra
15-Evaldo Vicente - Cadeira n° 23 - Patrono: Leo Vaz
16-Felisbino de Almeida Leme - Cadeira n° 8 - Patrono: Fortunato Losso Netto
17-Geraldo Victorino de França - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior
18-Gregorio Marchiori Netto - Cadeira n° 28 - Patrono: Delfim Ferreira da Rocha Neto
19-Gustavo Jacques Dias Alvim - Cadeira n° 29 - Patrono: Laudelina Cotrim de Castro
20-Ivana Maria França de Negri - Cadeira n° 33 - Patrono: Fernando Ferraz de Arruda
21-Jamil Nassif Abib (Mons.) - Cadeira n° 1 - Patrono: João Chiarini
22-João Baptista de Souza Negreiros Athayde - Cadeira n° 34 - Patrono: Adriano Nogueira
23-João Umberto Nassif - Cadeira n° 35 - Patrono: Prudente José de Moraes Barros
24-Leda Coletti - Cadeira n° 36 - Patrono: Olívia Bianco
25-Maria de Lourdes Piedade Sodero Martins - cadeira no 26 Patrono Nelson Camponês do Brasil
26-Maria Helena Vieira Aguiar Corazza - Cadeira n° 3 - Patrono: Luiz de Queiroz
27-Marisa Amábile Fillet Bueloni - cadeira no32 - Patrono Thales castanho de Andrade
28-Marly Therezinha Germano Perecin - Cadeira n° 2 - Patrona: Jaçanã Althair Pereira Guerrini
29-Mônica Aguiar Corazza Stefani - Cadeira n° 9 - Patrono: José Maria de Carvalho Ferreira
30-Myria Machado Botelho - Cadeira n° 24 - Patrono: Maria Cecília Machado Bonachela
31-Newman Ribeiro Simões - cadeira no 38 - Patrono Elias de Mello Ayres
32-Olívio Alleoni – Cadeira n° 25 – Patrono: Francisco Lagreca
33-Paulo Celso Bassetti - Cadeira n° 39 - Patrono: José Luiz Guidotti
34-Raquel Delvaje - Cadeira no 40 - Patrono Barão de Rezende
35-Rosaly Aparecida Curiacos de Almeida Leme - Cadeira n° 7 - Patrono: Helly de Campos Melges
36-Sílvia Regina de OLiveira - Cadeira no 22 - Patrono Erotides de Campos
37-Valdiza Maria Caprânico - Cadeira no 4 - Patrono Haldumont Nobre Ferraz
38-Vitor Pires Vencovsky - Cadeira no 30 - Patrono Jorge Anéfalos
39-Waldemar Romano - Cadeira n° 11 - Patrono: Benedito de Andrade
40-Walter Naime - Cadeira no 37 - Patrono Sebastião Ferraz
Lino Vitti - Acadêmico Honorário (in memoriam)