Rio Piracicaba

Rio Piracicaba
Rio Piracicaba cheio (foto Ivana Negri)

Patrimônio da cidade, a Sapucaia florida (foto Ivana Negri)

Balão atravessando a ponte estaiada (foto Ivana Negri)

Diretoria

Diretoria da Academia Piracicabana de Letras

Presidente– Gustavo Jacques Alvim
Vice-Presidente– Cassio Camilo Almeida de Negri
Primeiro Secretário – Carmen Maria da Silva Fernandes Pilotto
Segundo Secretário – Evaldo Vicente
Primeiro Tesoureiro – Antônio Carlos Fusatto
Segundo Tesoureiro – Waldemar Romano
Bibliotecária – Aracy Duarte Ferrari

Conselho Fiscal

Walter Naime
Cezário de Campos Ferrari

Editor e Jornalista Responsável
João Umberto Nassif

Conselho editorial

Antonio Carlos Neder
Ivana Maria França de Negri
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto
Myria Machado Botelho


Seguidores

sábado, 19 de outubro de 2013

Etiqueta e netiqueta

Armando Alexandre dos Santos
Cadeira n° 10 - Patrono: Brasílio Machado



A internet é uma realidade que, gostemos ou não, entrou em nossas vidas, modificando profundamente as relações sociais, impondo novos padrões de conduta e exigindo de nós, que nascemos muito antes de ela surgir no panorama mundial, um indispensável esforço de adaptação. Os jovens, já formados (ou formatados, como preferem alguns críticos? ou deformados, como preferem outros?) não necessitam dessa adaptação, porque para eles já lhes parece natural.
                    Já vi, na internet, vários sites compilando normas de “netiqueta”, ou seja, um conjunto de regras que deve observar o internauta bem educado. Analisei com cuidado o conteúdo desses sites e me dei conta de que, se comparadas as normas da netiqueta com as boas normas de educação convencional, basicamente os princípios são os mesmos, apenas aplicados a realidades e contextos diferentes.
                   Assim como não se deve gritar numa conversa cordial, tampouco se deve abusar do uso de maiúsculas e destaques gráficos em e-mails. Assim como é de mau tom falar demais de si mesmo e usar demais o pronome EU (o egotismo é quase sempre sintoma de egoísmo), assim também se deve proceder nas mensagens da internet. Assim como pessoas educadas não falam palavrões ou cometem erros atentatórios da linguagem culta, o mesmo vale para as mensagens. Assim como as boas relações na conversação humana requerem clareza e ausência de ironias excessivas, o mesmo se dá com as mensagens eletrônicas, e assim por diante.
Em última análise, parece-me que qualquer pessoa bem educada na vida social corrente, quando colocada diante de um teclado de computador e de um mouse, saberá se portar educadamente no relacionamento com os demais internautas.
                   Exemplos de sites que violam essas regras são muitos e frequentíssimos. São tantos, que até é difícil exemplificar. Dou alguns exemplos.
                   Parece-me irritante quando se escreve pormenorizadamente a uma empresa, solicitando uma providência, explicando um problema ou fazendo uma reclamação, e se recebe uma resposta padrão que mostra que a mensagem nem foi lida atentamente. Se eu fosse deputado federal proporia uma lei que, complementando o Código de Defesa do Consumidor, estabelecesse que a empresa, quando dá respostas genéricas e automáticas, também automaticamente reconhece como verdadeiras as declarações feitas pelo consumidor queixoso, em todos os seus pormenores.
                   Outra coisa irritante são os spans, oferecendo produtos não solicitados, muitas vezes até insultantes. Também os pedidos de contribuição para entidades caridosas ou beneficentes, frequentemente se tornam inconvenientes pelo tom agressivo adotado. Por mais nobre que seja a causa, nunca pode o solicitante esquecer que está pedindo um favor, que não tem o direito de exigir nada, menos ainda de tentar provocar no destinatário da mensagem um problema de consciência, do gênero “se você não der sua contribuição, morrerão tantas pessoas de tal doença e você será o responsável por isso”...
                   Enfim, o princípio geral é o que acima foi enunciado: quem é bem educado na vida corrente, também o será na Internet. E quem é malcriado socialmente, jamais será um zeloso respeitador da Netiqueta.



Nenhum comentário:

Galeria Acadêmica

Alexandre Sarkis Neder - Cadeira n° 13 - Patrono: Dario Brasil
André Bueno Oliveira - Cadeira n° 14 - Patrono: Branca Motta de Toledo Sachs
Antonio Carlos Fusatto - Cadeira n° 6 - Patrono: Nélio Ferraz de Arruda
Antonio Carlos Neder - Cadeira n° 15 - Patrono: Archimedes Dutra
Aracy Duarte Ferrari - Cadeira n° 16 - Patrono: José Mathias Bragion
Armando Alexandre dos Santos- Cadeira n° 10 - Patrono: Brasílio Machado
Barjas Negri - Cadeira no 5 - Patrono: Leandro Guerrini
Carla Ceres Oliveira Capeleti - Cadeira n° 17 - Patrono: Virgínia Prata Gregolin
Carmen Maria da Silva Fernandez Pilotto - Cadeira n° 19 - Patrono: Ubirajara Malagueta Lara
Cássio Camilo Almeida de Negri - Cadeira n° 20 - Patrono: Benedito Evangelista da Costa
Cezário de Campos Ferrari - Cadeira n° 12 - Patrono: Ricardo Ferraz do Amaral
Edson Rontani Júnior - Cadeira n° 18 - Patrono: Madalena Salatti de Almeida
Elda Nympha Cobra Silveira - Cadeira n° 21 - Patrono: José Ferraz de Almeida Junior
Ésio Antonio Pezzato - cadeira no 31 - Patrono Victorio Angelo Cobra
Evaldo Vicente - Cadeira n° 23 - Patrono: Leo Vaz
Felisbino de Almeida Leme - Cadeira n° 8 - Patrono: Fortunato Losso Netto
Geraldo Victorino de França - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior
Gregorio Marchiori Netto - Cadeira n° 28 - Patrono: Delfim Ferreira da Rocha Neto
Gustavo Jacques Dias Alvim - Cadeira n° 29 - Patrono: Laudelina Cotrim de Castro
Ivana Maria França de Negri - Cadeira n° 33 - Patrono: Fernando Ferraz de Arruda
Jamil Nassif Abib (Mons.) - Cadeira n° 1 - Patrono: João Chiarini
João Baptista de Souza Negreiros Athayde - Cadeira n° 34 - Patrono: Adriano Nogueira
João Umberto Nassif - Cadeira n° 35 - Patrono: Prudente José de Moraes Barros
Leda Coletti - Cadeira n° 36 - Patrono: Olívia Bianco
Maria Helena Vieira Aguiar Corazza - Cadeira n° 3 - Patrono: Luiz de Queiroz
Marisa Amábile Fillet Bueloni - cadeira no32 - Patrono Thales castanho de Andrade
Marly Therezinha Germano Perecin - Cadeira n° 2 - Patrona: Jaçanã Althair Pereira Guerrini
Maria de Lourdes Piedade Sodero Martins - Cadeira n° 26 - Patrono: Nelson Camponês do Brasil
Mônica Aguiar Corazza Stefani - Cadeira n° 9 - Patrono: José Maria de Carvalho Ferreira
Myria Machado Botelho - Cadeira n° 24 - Patrono: Maria Cecília Machado Bonachela
Newman Ribeiro Simões - cadeira no 38 - Patrono Elias de Mello Ayres
Olívio Alleoni – Cadeira n° 25 – Patrono: Francisco Lagreca
Paulo Celso Bassetti - Cadeira n° 39 - Patrono: José Luiz Guidotti
Raquel Delvaje - Cadeira no 40 - Patrono Barão de Rezende
Rosaly Aparecida Curiacos de Almeida Leme - Cadeira n° 7 - Patrono: Helly de Campos Melges
Sílvia Regina de OLiveira - Cadeira no 22 - Patrono Erotides de Campos
Valdiza Maria Caprânico - Cadeira no 4 - Patrono Haldumont Nobre Ferraz
Vitor Pires Vencovsky - Cadeira no 30 - Patrono Jorge Anéfalos
Waldemar Romano - Cadeira n° 11 - Patrono: Benedito de Andrade
Walter Naime - Cadeira no 37 - Patrono Sebastião Ferraz